Tigana – A Lâmina na Alma


O texto seguinte pode conter spoilers do livro “A Lâmina na Alma”, primeiro volume da série Tigana.

Guy Gavriel Kay nasceu no Canadá em 1954. É um escritor multifacetado, conhecido pelos seus romances, obras de fantasia épica inspiradas em povos e épocas da nossa realidade. Tudo começou quando Christopher, filho do percursor do fantástico JRR Tolkien, o convidou para o ajudar a concluir o livro O Silmarillion. A partir daí, a carreira de Kay foi um crescendo de sucessos e prémios. Algumas das suas obras mais vendidas em todo o mundo foram a saga A Tapeçaria de Fionavar, os solos Os Leões de Al-Rassan e Tigana ou a mais recente obra inspirada na cultura chinesa: O Rio das Estrelas, ainda não publicado em Portugal.

Tigana
Capa Saída de Emergência
Sinopse:

Tigana é uma obra rara e encantadora onde mito e magia se tornam reais e entram nas nossas vidas. Esta é a história de uma nação oprimida que luta para ser livre depois de cair nas mãos de conquistadores implacáveis. É a história de um povo tão amaldiçoado pelas negras feitiçarias do rei Brandin que o próprio nome da sua bela terra não pode ser lembrado ou pronunciado.

Mas anos após a devastação da sua capital, um pequeno grupo de sobreviventes, liderado pelo príncipe Alessan, inicia uma cruzada perigosa para destronar os reis despóticos que governam a Península da Palma, numa tentativa recuperar um nome banido: Tigana.

Num mundo ricamente detalhado, onde impera a violência das paixões, este épico sublime sobre um povo determinado em alcançar os seus sonhos mudou para sempre as fronteiras da fantasia.

Opinião:

Cheguei a este Tigana basicamente sem expectativas. Sabia que a opinião geral era bastante positiva, mas apesar de a sinopse não me despertar grande interesse, arrisquei a comprar, afinal a crítica considera-o um mundo muito bem construído e com grandes alusões à Itália medieval. A coisa não começou muito bem. Ao fim do primeiro capítulo não sabia nada sobre a história e estava confundido com personagens dos quais a descrição era escassa. Ao fim de quatro capítulos, e que longos que são (o primeiro volume destas cerca de 340 páginas tem apenas 11 capítulos), estava verdadeiramente dececionado. Devin, o protagonista, faz-me lembrar o personagem de mangá Naruto, e isso não é nada de bom. Catriana, a rapariga que supostamente devia ser a contracena deste personagem principal, é uma típica menina orgulhosa que tem menos destaque que a maior parte dos personagens secundários.

A minha opinião por essa altura do campeonato era claramente má. Mas posso dizer que isso mudou. Mudou porque apareceram personagens como Alessan, Baerd, o duque Sandre, o seu filho Tomasso e o feiticeiro Alberico (que pouco apareceu neste primeiro volume). E depois apareceu Dianora. O primeiro capítulo de Dianora é dos mais completos e ricos que já li em fantasia, e por esta altura já eu estava convencido do trabalho de Guy Gavriel Kay.

sem-titulo
Personagens de Tigana (pinterest)

Os pormenores do passado da personagem foram riquíssimos, o cenário social e económico da Palma foi muito bem trabalhado por Kay, assim como as relações entre as pessoas. Uma obra incrivelmente bem fundamentada, sem a menor dúvida. Posso dizer que a escrita do autor é algo poética e ele tentou transmitir-nos uma forte sensação de saudosismo pela Tigana perdida, pelas memórias do passado. É certo que ele conseguiu despertar alguma nostalgia dentro de mim, mas parece-me que não tanto quanto o autor pretendeu. Bater sempre na mesma tecla – as saudades da terra esquecida – não me comoveu, mas e daí, o problema talvez seja meu. Aparte essa questão, Tigana é um livro com qualidade.

O livro peca, no entanto, por alguma falta de ação. Peca por termos muito poucas situações com vários dos personagens principais, por sabermos mais do passado deles do que da ação deles no presente. E isso pouco tem a ver com o trabalho do autor, mas principalmente com a editora portuguesa Saída de Emergência, por ter dividido o livro em dois. Ficamos com a sensação que o primeiro volume é pequeníssimo e que pouco aconteceu. Achei as cenas de sexo um tanto ou quanto ridículas, e talvez porque foram sempre com o protagonista, Devin, um personagem, na minha opinião, completamente dispensável nesta obra.

sem-titulo
Península da Palma (Russel Writing)

Não gosto da forma como o autor trabalha para nos surpreender, porque antes de ele nos surpreender com revelações ou identidades de personagens, ele confunde-nos. Podia levar-nos a achar uma coisa, ou a apresentar um personagem para depois bombardear-nos com uma revelação de nos pôr um sorriso nos lábios. Mas não, Kay leva-nos a ficar completamente à toa, ouvindo a conversa entre vários personagens sem saber quem é quem (e isso desmotiva o leitor), para depois páginas à frente nos dizer que o personagem x era o tal e a personagem y era outro nosso conhecido. Não posso dizer que adorei o livro, mas recomendo para quem goste de fantasia. Tem coisas boas e coisas más, mas foi uma ótima leitura e sem dúvida que quero ler, o quanto antes, a segunda parte desta obra.

Avaliação: 5/10

Tigana (Saída de Emergência):

#1 A Lâmina na Alma

#2 A Voz da Vingança

Anúncios

9 thoughts on “Tigana – A Lâmina na Alma

  1. Elsa Esteves

    Este autor é realmente dos piores que li. Esta obra na minha opinião é francamente má, não só pela falta de ação , mas também pela incoerência da escrita. As coisas não condizem, parecem frases soltas ali a pairar e o leitor fica sem perceber nada. Tenho este livro mas não o coloco sequer na minha estante.

    1. A minha opinião não é tão má como a tua!! Eu gostei, mas fiz questão de frisar no artigo tudo o que não gostei. 😀 Podia ser bem melhor. Quanto ao autor, é o primeiro livro que leio dele, não dá para fazer um balanço positivo ou negativo do mesmo.

  2. Fiacha O Corvo Negro

    Viva Nuno,

    Gosto deste escritor, mas ainda assim o seu melhor livro quanto a mim é mesmo “Os Leões de Al Rassan” um romance histórico muito bom mesmo 😉

    Quanto à Editora dividir o livro, é realmente muito mau mesmo e não ajuda em nada que o escritor depois venda bem por cá.

    Mas pronto este livro até se lê muito bem 🙂

    Abraço

      1. Hum pois é o melhor está para vir, já se sabe que o final acelera um pouco, esta fase foi mais de introdução das personagens / enredo, agora vem o desfecho final 😉

        Sem duvida, Lynch que estás a ler, por exemplo 😛

      2. Lynch é mesmo um mestre xD Pois nos próximos tempos tenho muitos livros com que me entreter: para além das 2 antologias que comprei no Fórum Fantástico, tenho “O Processo” do Franz Kafka e “O Espião que veio do Frio” do John le Carré. Já para não falar do digital, depois das Mentiras do Locke Lamora quero ir logo para a continuação xD

  3. Fiacha O Corvo Negro

    Viva mestre Zallar 😀

    Sem duvida, estou a adorar o segundo volume 😉

    “O Espião que veio do frio” é muito bom, gostei bastante, embora seja mais de espionagem, quanto ao digital é a loucura total eheheh

    Abraço

  4. Pingback: Tigana – A Voz da Vingança | Nuno Ferreira

Comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s