Operação Tolerância Zero, X-Men #65


O texto seguinte pode conter spoilers do livro “Operação Tolerância Zero”, volume 65 da série X-Men (formato BD)

Fã de comics desde muito novo, sempre tive uma expressa paixão pelos X-Men em formato banda desenhada, uma vez que não sou fã das suas adaptações para desenho animado nem cinema. Apesar de ter um ou outro exemplar mais antigo, só comecei a seguir as aventuras deste grupo desde o final dos anos 90, com o arco da Operação Tolerância Zero. Inicio com este post a análise às referidas BD’s.

Sem título

A Operação Tolerância Zero

Publicada nos E.U.A em 1997, este arco de história envolveu várias revistas do Universo Marvel, mas acompanhei mais de perto nas BD’s dos X-Men e Wolverine. O inimigo comum é Bastion, um agente do governo enigmático e cruel. Despoletado por vários eventos de grande importância, como o arco Massacre ou o homicídio de Graydon Creed, esta saga mostra-nos a reação dos homens comuns, que começaram não só a temer a raça mutante como se mostraram certos de que ela seria uma ameaça letal ao bem-estar da civilização. Com o medo nas ruas a aumentar e a instabilidade política a destacar sujeitos que vêm nela uma janela de oportunidade para se destacarem, começam a surgir as primeiras medidas políticas contra a “ameaça mutante”. Neste contexto, Bastion foi autorizado a avançar com o seu programa de exterminação de mutantes, o Programa Tolerância Zero. Munido de recursos humanos, técnicos e armamento evoluído, com instalações elaboradas para a captura, tortura e mutilação dessas potenciais ameaças, Bastion consegue convencer a opinião pública e capturar os membros do grupo conhecido como X-Men.

Mas isto foi apenas no início. 

OPINIÃO:

Com argumento de Scott Lobdell, desenhos de Carlos Pacheco e arte-final de Arth Tibert, a revista começa com Jean Grey. A X-Men encontra-se com o Homem de Ferro, alguém que ela julgava morto, num espaço fechado. Quando o suposto Homem de Ferro a tenta capturar, ela esquiva-se e acaba por encontrar os seus companheiros, nas Montanhas do Colorado, onde se enfrentam numa batalha aérea com aeronaves militares. É quando surgem os incríveis Sentinelas, os colossais robots constuídos para caçar mutantes. Após uma batalha em que se destacam as capacidades de controlar o clima de Ororo Munroe, a Tempestade, os Sentinelas acabam por conseguir capturar os X-Men. Durante todo esse tempo, Bastion mantinha o Professor Xavier em cativeiro, e no final da edição percebe-se que ele conseguira acesso à Mansão X e aos seus segredos.

Estas BD’s sabem-me sempre a pouco. Não foi dos arcos de história que mais me apaixonaram, mas foi sem dúvida intenso e memorável. É sempre com alguma alegria que releio estas revistas, que considero parte do meu tesouro literário. Já conhecia X-Men dos desenhos animados quando comecei a ler BD’s, mas sempre segui com mais entusiasmo as comics. Tempestade e Jean foram as personagens que mais se destacaram nesta edição, no lado dos X-Men, mas Bastion é um vilão incontornável e dos mais odiosos que tive o prazer de conhecer.

Avaliação: 7/10

Advertisements

One thought on “Operação Tolerância Zero, X-Men #65

  1. Pingback: Resumo Trimestral de Leituras #1 | Nuno Ferreira

feedback

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s