Os Pilares da Terra #2


O texto seguinte pode conter spoilers do livro “Os Pilares da Terra”, volume dois

Publicado em 1989, Os Pilares da Terra é uma das obras mais marcantes da carreira literária de Ken Follett. É um livro com mais de 1000 páginas, fraccionado em quatro partes que correspondem à fase temporal na qual a ação decorre. Em Portugal, foi dividido em dois volumes pela Editorial Presença.

Se o primeiro volume nos apresenta os personagens, as suas índoles, motivações e obstáculos, e de forma elegante nos mostra como eles se cruzam e perspetivam a construção da Catedral de Kingsbridge, neste segundo volume vemos como as suas intenções são conduzidas, como ultrapassam novos obstáculos e acima de tudo, como tudo se ajusta com o passar dos anos.

sem-titulo
Aliena e Jack (série televisiva)

A história passa-se entre o condado de Shiring, tomado pelos cruéis Hamleigh aos herdeiros de Bartholomew, e o priorado de Kingsbridge, que passa de aldeia a cidade graças aos métodos e energia do novo prior Phillip e dos seus novos residentes. E se a construção da Catedral é o epicentro da narrativa, o personagem Jack revela-se o fio que liga todos os acontecimentos.

Começando como um rapaz simples e esquisito que passou toda a infância na floresta, acaba por se tornar um jovem bonito e, graças à influência do seu padrasto Tom, um artífice de talento. Passa também de um quase figurante em grande parte do primeiro volume, a grande protagonista da história. Os Pilares da Terra é um retrato ficcional dos conflitos entre a Igreja e a nobreza, que se iniciam com uma luta pela sucessão (o período histórico que ficaria conhecido como A Anarquia), e que termina no homicídio de Thomas Becket pelos cavaleiros às ordens de Henrique II.

Sem título
Capa Editorial Presença

 

SINOPSE:

Do mesmo autor do thriller “A Ameaça”, chega-nos o primeiro volume de um arrebatador romance histórico que se revelou ser uma obra-prima aclamada pela comunidade de leitores de vários países que num verdadeiro fenómeno de passa-palavra a catapultaram para a ribalta. Originalmente publicado em 1989, veio para o nosso país em 1995, publicado por outra editora portuguesa, recuperando-o agora a Presença para dar continuidade às obras de Ken Follett. O seu estilo inconfundível de mestre do suspense denota-se no desenrolar desta história épica, tecida por intrigas, aventura e luta política. A trama centra-se no século XII, em Inglaterra, onde um pedreiro persegue o sonho de edificar uma catedral gótica, digna de tocar os céus. Em redor desta ambição soberba, o leitor vai acompanhando um quadro composto por várias personagens, colorido e rico em acção e descrição de um período da Idade Média a que não faltou emotividade, poder, vingança e traição. Conheça o trabalho de um autêntico mestre da palavra naquela que é considerada a sua obra de eleição.

 

OPINIÃO:

Ao nível de leituras, comecei o ano da melhor maneira. A par de alguns contos, este Os Pilares da Terra foi mesmo o livro perfeito para ler junto à lareira, nas noites frias de janeiro. Para além de ser leitura obrigatória para todos os fãs de romance histórico, é dos livros mais consensuais para os fãs de literatura. A escrita de Follett é elegante e fluída, mas não é esse aspeto que realmente prende o leitor. São os personagens, a sua profundidade, a forma como eles se cruzam e relacionam, a forma íntima com que percorremos os seus pontos de vista e os vemos crescer, que nos apaixona. Muitos dos personagens são apenas crianças quando começamos a leitura do livro, e quando chegamos à última página, são já pessoas no crepúsculo da idade.

sem-titulo
Personagens de Os Pilares da Terra (Browse Art em deviantart)

Sinto vontade de dizer que não gostei tanto deste segundo volume como do primeiro. De facto, as deambulações de Tom e da sua família, os reveses da jovem Aliena, a arrebatadora Ellen e a ingenuidade de um esperançoso Phillip são as grandes marcas que Os Pilares da Terra me deixam. Mas acima de tudo a forma como as vidas deles se foram cruzando, como os personagens se foram descobrindo e como a narrativa foi entrosada marcaram a primeira parte deste livro.

Nesse aspeto, senti que este segundo volume foi muito mais corrido, mas não posso apresentar isso como um defeito; se continuasse ao mesmo ritmo que outras fases, teria-se tornado um livro maçudo. Por outro lado, os acontecimentos neste segundo volume foram muito mais intensos e adorei o final dado a cada personagem. Lamentei a perda de protagonismo de Ellen, uma personagem com quem me maravilhei ao início, mas acabou por ser determinante no decorrer da trama. Um livro com momentos mais demorados e outros mais velozes, com personagens secundários a ganhar protagonismo e protagonistas a virar secundários, o que resultou num todo bastante satisfatório.

Não há muito mais a dizer a respeito desta obra-prima. Certamente é um dos melhores romances históricos que já li.

Avaliação: 9/10

Os Pilares da Terra (Editorial Presença):

#1 Volume Um

#2 Volume Dois

Anúncios

5 thoughts on “Os Pilares da Terra #2

  1. Viva,

    Por acaso recordo-me que gostei mais deste segundo volume muito por culpa do desenvolvimento que Jack levou, que grande personagem 🙂

    Mas concordo as personagens são o melhor que o livro tem para oferecer, muito bom

    Abraço e boas leituras

  2. Pingback: Resumo Trimestral de Leituras #5 – Nuno Ferreira

  3. Pingback: Os Pilares da Terra #1 – Nuno Ferreira

  4. Pingback: As Escolhas de 2016 – Nuno Ferreira

feedback

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s