Saga #4


Mas um futuro rei precisa mais do que aliados. Ele precisa de audiência.

O TEXTO SEGUINTE CONTÉM SPOILERS DO QUARTO VOLUME DA SÉRIE SAGA (FORMATO BD)

Alguns meses após o lançamento do terceiro volume, eis que a G Floy publica o volume 4 da novela gráfica escrita por Brian K. Vaughan e ilustrada por Fiona Staples, que compreende os números 19 ao 24.

Passaram-se alguns anos e a pequena Hazel já não é uma bebé de colo, mas uma adorável criancinha com um par de cornos e pequenas asas. Logo no princípio do livro, ela adverte que este volume conta como os pais se separaram. Alana e Marko já não se encontram em fuga, ainda que continuem certos de que são procurados no planeta Gardénia. Enquanto Marko faz as vezes de fada do lar, cuidando da casa e levando a filha ao infantário (onde se encanta por uma professora de dança), Alana faz pela vida, trabalhando numa trupe teatral que serve também como rede de tráfico de drogas.

sem-titulo
Prancha Saga (Image Comics)

Yuma, a ex-mulher do escritor Oswald Heist, também trabalha na trupe e torna-se grande amiga de Alana. Entretanto, no Planeta Robot, com o Príncipe Robot IV desaparecido, a princesa dá à luz o seu rebento. A criança é de imediato raptada por um dos seus vassalos, enlouquecido, que deixa uma esteira de morte à sua passagem.

A pouco e pouco, a relação de Marko e Alana esgota-se em discussões, e ela expulsa-o de casa. A partir daí, os destinos dos vários personagens cruzam-se. Dengo, o robot que raptara o pequeno príncipe, alcança Alana e a sua família, enquanto Robot IV encontra Marko.  Os dois tentarão salvar o que resta das suas famílias. Por sua vez, encontramos o freelancer Vontade ainda em estado vegetativo, a ter sonhos lascivos com a aracnídea Haste. A sua irmã Marca enfrenta Gwendolyn, o gato detector de mentiras e a ex-escrava Sophie, juntando-se a elas quando percebe que estão do lado do seu irmão.

Sem Título
Capa G Floy
SINOPSE:

Fantasia e ficção-científica juntam-se como nunca antes neste épico subversivo e provocador, obra de dois dos mais aclamados nomes da banda desenhada actual, o escritor Brian K. Vaughan e a artista Fiona Staples.

Dois soldados de lados opostos de um conflito galáctico apaixonam-se, mas os combatentes dessa guerra não vão aceitar a afronta que esse amor representa à sua narrativa belicista. Os anos passaram, Hazel cresceu e já anda, mas os seus pais, Alana e Marko, terão de sobreviver não só aos muitos adversários que pretendem capturá-los ou eliminá-los, mas às dificuldades que sentem numa galáxia hostil, que tudo faz para os separar. No quarto volume de SAGA, reencontramos algumas das suas mais fascinantes personagens: Gwendolyn; A Marca, a irmã de A Vontade e uma das assassinas profissionais, hã… perdão, uma das freelancers da saga; a jovem Sophie, a ex-miúda escrava; e muitas outras personagens desta imensa história que tem granjeado a admiração e preferência dos leitores.

OPINIÃO:

Vaughan estabelece neste quarto volume mais um passo na evolução da relação amorosa de um casal. Depois do amor, do nascimento de um filho e da adaptação à vida de pais, o autor explora agora a inadaptação, as discussões e a separação. É claro que sabemos que isto não será o fim de nada e Alana e Marko – os dois protagonistas – ainda terão muitas aventuras pela frente, mas esta descrição realista do dia-a-dia de uma família no cenário mais do que original, povoado de criaturas tão medonhas quanto cómicas, criado por Brian K. Vaughan enriquece e muito esta história.

sem-titulo
Dengo golpeia a princesa (Image Comics)

Saga é a história de uma perseguição em que tudo corre mal, mas os personagens vão-se cruzando e resolvendo as situações de uma forma fluída e credível. Este volume em particular não me cativou como os anteriores, talvez por ser mais focado na nova vida dos dois protagonistas, mas continua ótimo em discurso. Os personagens Izabel e Klara são quase figurantes a esta altura do campeonato, mas são das personagens mais hilariantes. A narrativa consegue divertir e fazer-nos identificar com personagens sem deixar de falar sobre assuntos sérios num mundo completamente alucinado. O traço vívido e as cores fortes de Fiona Staples ambientam a história de forma muito agradável.

É, de resto, uma novela gráfica que recomendo a todos os que quiserem passar um bom bocado a sorrir e a sofrer com uma família tradicional, não tão tradicional assim.

Avaliação: 7/10

Saga (G Floy Studio):

#1 Volume 1

#2 Volume 2

#3 Volume 3

#4 Volume 4

#5 Volume 5

#6 Volume 6

Anúncios

6 thoughts on “Saga #4

  1. Pingback: Saga #1 – Nuno Ferreira

  2. Pingback: Saga #2 – Nuno Ferreira

  3. Pingback: Saga #3 – Nuno Ferreira

  4. Pingback: Resumo Trimestral de Leituras #6 – Nuno Ferreira

  5. Pingback: Saga #5 – Nuno Ferreira

  6. Pingback: Saga #6 – Nuno Ferreira

Comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s