Lobos de Calla, A Torre Negra #5


– E as sneetches – disse Eddie. – Já ouviste falar do Harry Potter?

– Acho que não. Tu já?

– Não, e vou dizer-te porquê. Porque as sneetches são do futuro. Talvez de um livro de banda desenhada da Marvel que vai sair em 1990 ou 1995. Percebes o que estou a dizer?

Jake anuiu com a cabeça.

O texto seguinte contém spoilers do livro “Lobos de Calla”, quinto volume da série A Torre Negra.

Lobos de Calla é o quinto volume da visionária saga de Stephen King, A Torre Negra. A história acompanha a viagem do pistoleiro Roland Deschain, de Gilead, na peugada do seu objetivo final, a misteriosa A Torre Negra.

O que é a Torre Negra?

A Torre Negra pode ser considerado o lugar onde tudo acaba, o cume da montanha, o Santo Graal da epopeia de Roland. É também o lugar onde vive o poderoso vilão Rei Rubro.  Na saga é comum dizerem que “o último andar da Torre encontra-se vazio” para dizer que Deus não existe. Tudo isto num mundo paralelo ao nosso, onde os descendentes do Rei Artur tornaram-se cowboys. Para Roland, o seu ka (destino) é encontrar a Torre, e para isso veio buscar ao nosso mundo, através de portais, três companheiros de aventura: Jake, Eddie e Susannah, a que se juntou o caricato billy-bumbler Oi. Juntos, formam o ka-tet do dezanove.

Os Lobos de Calla.

Após uma série de aventuras, o ka-tet chega a Calla, uma remota zona de rancheiros onde a população vive assolada por uma ameaça terrível. De tempos a tempos, um grupo de cavaleiros com cabeças de lobo invade a população e rapta-lhes as crianças. Acontece que os naturais de Calla normalmente têm gémeos, e os Lobos levam-lhes um exemplar de cada. Passado pouco tempo, um comboio devolve as crianças raptadas, mas vêm com grandes atrasos mentais, deformando-se fisicamente com o passar dos anos até morrerem de dor. Chamam-lhes os roont. Para além dos rancheiros e das suas famílias, em Calla também vivem os manni (um clã de índios), um robot que serve como criado (Andy) e um padre (Callahan) saído de outro livro de Stephen King (Salem’s Lot – A Hora do Vampiro).

sem-titulo
ka-tet do 19 (pinterest)

Roland e o seu ka-tet vêm dar a este povo uma esperança de enfrentar os temíveis Lobos, planeando metodicamente uma emboscada aos seus inimigos. Treiná-los não é uma tarefa difícil, uma vez que a maioria das mulheres da população está familiarizada com o lançamento do prato, relacionado com o culto a uma deusa chamada Riza. Paralelamente a esse desafio, o grupo enfrenta outros. Susannah está grávida de um demónio, depois de ter sido obrigada a copular com ele para trazer Jake ao Mundo Médio no terceiro volume, e uma nova e terrível personalidade chamada Mia parece querer possuí-la. O padre Callahan torna-se também ele membro do ka-tet de Roland e conta-lhes todas as suas aventuras desde os eventos vividos em Salem’s Lot até chegar a Calla Bryn Sturgis. Mas há também viagens ao nosso mundo. Os servos do Rei Rubro planeiam comprar um lugar em Nova Iorque onde apenas existe uma rosa (o correspondente à Torre Negra no nosso mundo), propriedade nas mãos de um livreiro chamado Calvin Tower, o mesmo que vendeu o livro Charlie Pouca-Terra a Jake antes de ele viajar para o Mundo Médio. Os pistoleiros do ka-tet têm como missão convencer Tower a vender a eles a propriedade.

Entre traições, romances, descobertas inacreditáveis e visões do mais absoluto terror, Roland e os seus companheiros enfrentam os Lobos num confronto tão trágico quanto hilariante. Pelo meio, têm de se adaptar aos hábitos estranhos do povo de Calla, como por exemplo a palavra commala, que é usada para um sem-número de fins, com uma conotação muitas vezes sexual.

Sem Título

SINOPSE:

Roland Deschain e o seu ka-tet atravessam as florestas do Mundo Médio em direção à Torre Negra. O caminho leva-os aos arredores de Calla Bryn Sturgis, onde, sob a calma vida campestre, se esconde algo horrível. A cada geração, vindos das trevas do Trovão, chegam seres com máscaras de lobos , montados em cavalos cinzentos, para roubarem as crianças da vila. Resistir-lhes implica arriscar tudo, mas os pistoleiros fazem do risco a sua vida. As suas armas, contudo, não serão suficientes…

OPINIÃO (SEM SPOILERS):

Depois de, no último volume, a história de Roland e o seu ka-tet ter-me desapontado um pouco, com mais de 500 páginas de flashback sobre o passado do herói e um final pouco convincente, eis que Lobos de Calla volta a ganhar-me como fã. Tal como nos anteriores volumes, somos convidados a ler um grande calhamaço cheio de informação demasiado detalhada sobre aspetos que parecem de pouca importância. Desta vez, coube ao personagem padre Callahan o protagonismo da chamada palha. A história que ele contou acabou por ter algum interesse, mas pouco acrescentou ao enredo e podia ter sido cortada pela metade que todos saíriamos a ganhar.

Adorei o núcleo de Calla Bryn Sturgis. Todos os personagens acabaram por ter a sua importância e foi um sentimento bom ver o ka-tet parcialmente dividido, a lidar com as suas tramas pessoais e a conhecer outras pessoas; parados depois de tantas passagens fugazes por tantos outros locais. Apesar de muitas vozes preferirem o Feiticeiro e a Bola de Cristal a este Lobos de Calla – percebo que teve mais informações importantes para a busca pela Torre Negra -, gostei mais deste livro. Algumas tramas ficaram por resolver, mas encerrou-se aquela a que este volume se propunha, terminando com um bom gancho para o livro seguinte.

sem-titulo
Lobos de Calla (31daysofhell)

O sentido de humor de Stephen King é a grande mais-valia desta saga, mais ainda que a sua capacidade de contar e descrever histórias e cenários. As referências aparecem quando menos esperamos, e nesta história abrangem A Guerra das Estrelas, Harry Potter, Sherlock Holmes e num momento especial, King faz referência a ele próprio. Ao contrário do que aconteceu no volume anterior, termino este livro com a sensação que as peças se estão a encaixar com mais fluidez, e a vontade em ler o seguinte aumentou. Só posso dizer: vem vem commala.

Avaliação: 8/10

Livros Publicados (Bertrand Editora):

#1 O Pistoleiro

#2 A Escolha dos Três

#3 As Terras Devastadas

#4 O Feiticeiro e a Bola de Cristal

#4,5 A Lenda do Vento

#5 Lobos de Calla

#6 A Canção de Susannah

Anúncios

9 thoughts on “Lobos de Calla, A Torre Negra #5

  1. Pingback: Resumo Trimestral de Leituras #6 – Nuno Ferreira

  2. Torre Negra é uma das minhas séries favoritas e, talvez, a que mais me importo. Lobos de Calla me marcou demais na época que li, até hoje relei algumas coisas e busco resenhas para manter a história viva. E o engraçado é que comecei a ler a série no meu aniversário de 19 anos HAHHA

    beijos.
    vidaemserie.com

    1. Olá Kamylla. Eu tambem gosto muito dessa série. Ahahah que boa coincidência. Obrigado pelo comentário e seja bem vinda ao meu blogue. Volte sempre que desejar.
      beijinho e boas leituras.

  3. Pingback: O Pistoleiro, A Torre Negra #1 – Nuno Ferreira

  4. Pingback: A Escolha dos 3, A Torre Negra #2 – Nuno Ferreira

  5. Pingback: A Lenda do Vento, A Torre Negra #4.5 – Nuno Ferreira

  6. Pingback: As Terras Devastadas, A Torre Negra #3 – Nuno Ferreira

  7. Pingback: O Feiticeiro e a Bola de Cristal – Nuno Ferreira

  8. Pingback: A Canção de Susannah, A Torre Negra #6 – Nuno Ferreira

feedback

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s