Mão Crua


O texto seguinte contém spoilers do livro “Mão Crua”

Com um percurso académico ligado às ciências forenses e criminais, Sílvia Gil seguiu os caminhos da arte corporal, tendo desenvolvido e disseminado pelo mundo uma série de trabalhos relacionados com design e joalharia. Mão Crua é a sua primeira incursão pelo mundo literário, onde liga o amor ao estudo criminal à sua vivência pessoal.

sem-titulo
Correntes (thevalueofsufferingproject)

Mão Crua apresenta-nos Lara, uma contabilista forense que rapidamente é arrastada para uma vida dupla, seduzida por prazeres sádicos que seriam prontamente reprovados pela sociedade moralista em que vivemos, caso viessem a público. Cansada do machismo exacerbado em que sempre viveu, como um pai austero e um patrão odioso, Lara segue a sua colega de trabalho, Cristina, que a apresenta a um mundo diferente e marginal que lhe oferece a liberdade que ela sempre almejou.

De coração dividido entre Cristina, a sua musa, e Victor, um polícia musculado, Lara é arrastada para um cenário dantesco onde os papéis se confundem. A sensação de endeusamento que a dominação lhe confere transforma-a numa justiceira, quando os valores mais básicos da sua essência se mesclam com o poder que as atividades clandestinas lhe oferecem. Fazer justiça com as próprias mãos, no entanto, pode transformá-la numa assassina, e perder as pessoas que mais ama.

Sem Título
Capa Chiado Editora
SINOPSE:

Lara é uma contabilista forense, independente e de vida regrada.
Ao aceitar um encontro às cegas com um desconhecido vê a sua vida alterar-se drasticamente ficando presa num mundo de sexo e vícios.
Após um revés na empresa na qual trabalhava e sem meios financeiros para subsistir, vê-se forçada a entrar no mundo da Dominação Profissional.
Apaixonada por um colega na Polícia fica numa posição vulnerável mas não consegue afastar-se dos prazeres proibidos.
Tudo corre bem até receber um pedido mais extremo…
…um submisso viciado em asfixia erótica quer ser deixado inconsciente… no limiar entre a vida e a morte!
Mas algo corre mal…

OPINIÃO:

Este livro veio-me parar às mãos pouco depois da autora, a simpática Sílvia Gil, me convidar a opiná-lo. Comecei com algumas reticências, porque o romance erótico não é propriamente o meu estilo favorito, mas avancei sem receios.

A nível de história, é um livro bem construído. Sem tempos mortos, lê-se rapidamente, com a constante vontade de saber o que vai acontecer em seguida com a protagonista. O tipo de sadismo enunciado, o modo de vida das pessoas que vivem essa “segunda vida”, está muito bem retratado pela autora. Pensei tratar-se de um livro isolado, e fiquei um pouco com o pão tirado da boca quando chego à última página e percebo que, não só o livro tem continuação, como o livro terminou no momento do clímax. Um gancho interessante para fazer-nos acompanhar o restante num próximo volume.

A nível literário, achei um pouco pobre. A autora tem potencial para escrever, mas devia trabalhar mais essa parte. Com um vocabulário mais treinado, o livro seria levado mais “a sério”. Como sabemos, a Chiado Editora não exerce qualquer trabalho de revisão, e apesar de Mão Crua não exibir erros ortográficos que embaracem a leitura, alguns pormenores incomodaram-me, nomeadamente as expressões estrangeiras não serem colocadas em itálico, os diálogos terem “etiquetas” sem travessões a separar e, principalmente, algum vocabulário mais vulgar. Este tipo de literatura erótica destina-se a um público mais feminino, e ao escrever erotismo é preciso algum tato para não cair na vulgaridade. Se os personagens podem usar palavrões e apelidos de conotação sexual, o mesmo não deve acontecer na narração, como se sucede várias vezes ao longo deste livro. Não que seja uma linguagem que choque (quem pega neste livro já terá de ter uma mente aberta), mas que retira um pouco o brilho que a boa literatura erótica oferece. E Sílvia Gil pode deixar a sua marca neste campo, se melhorar esse aspeto. A nível de ritmo e de história, não tenho defeitos a apontar e espero ler mais da autora.

Avaliação: 4/10

 

 

Anúncios

3 thoughts on “Mão Crua

  1. Viva,

    Pois a Chiado ajudaria muito escritor se fizesse aquilo que lhes compete, mas pronto o importante é que tenhas gostado e pelo que percebo ficaste ali pendurado com aquele final eheheh

    Abraço e boas leituras

  2. Pingback: Resumo Trimestral de Leituras #7 – Nuno Ferreira

Comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s