Herança, Ciclo da Herança #4


Não há nada mais perigoso no mundo que um homem com consciência.

O texto seguinte contém spoilers do livro “Herança”, quarto volume da série Ciclo da Herança.

Christopher Paolini concebeu para a sua Alagaesia uma história em três volumes, nomeando-a desde o início como Trilogia da Herança. Os seus planos, no entanto, não deram certo, e necessitou de um quarto volume para concluir a saga iniciada com Eragon.

Herança, o quarto volume, começa com a conquista de Belatona, onde o dragão Saphira quase é morto por uma lança chamada Dauthdaert, um instrumento construído por elfos para matar dragões. Após a conquista da cidade, um imenso número de homens-gato surge por entre os pavilhões de campanha, e Grimmr Meia-pata, o seu líder, forja uma aliança com os Varden, sob a liderança de Nasuada.

sem-titulo
Eragon e um Khul (pinterest)

Enquanto Eragon aperfeiçoa o treino físico com Arya, Roran é enviado para tomar Aroughts, e embora seja alvo de um atentado a meio da noite, não só sobrevive como consegue tomar a cidade, quase perdendo a vida por isso. Quando a guerra se centra em Dras-Leona, percebem que a cidade se encontra sob a proteção de Murtagh e o seu dragão Thorn. Assim sendo, concluem que a única forma de a tomar é enveredando pelos seus túneis secretos, por onde Eragon, Arya, Angela e um elfo chamado Wyrden se introduzem. O elfo acaba por morrer e os restantes são aprisionados, mas o homem-gato Solembum salva Angela e unidos impedem que os sacerdotes dêm Eragon e Arya de comer às crias de Ra’zac, os seus deuses. Com a energia armazenada no anel Aren, Eragon consegue desequilibrar as defesas da cidade e tomá-la.

A aparição de Galbatorix

Durante um momento de fraqueza, Murtagh ataca o acampamento Varden e consegue raptar Nasuada, embora Eragon e Arya tudo façam para o impedir. As atenções focam-se então em Urû-baen, onde Galbatorix tortura Nasuada para a tornar sua serva. A líder dos Varden consegue resistir à persuasão, graças ao apoio de Murtagh. Desconhecendo esse pormenor, Galbatorix tudo faz para a vergar aos seus desígnios. Eragon e Saphira, seguindo as directrizes do dragão Glaedr, procuram uma ilha inóspita, onde encontram escondidos muitos Eldunaris, os corações dos corações, e ainda alguns ovos de dragões por nascer. A guerra estala aos portões de Urû-baen, e Eragon lidera um grupo para o interior do castelo.

sem-titulo
Mapa de Alagaësia (inheriwiki)

Vários elfos que o acompanhavam desaparecem, mas graças à proteção de Elva, ele consegue chegar à sala onde Galbatorix o espera. Depois de vencer um combate com Murtagh, Eragon recorre à magia para fazer com que Galbatorix perceba a crueldade dos seus atos. Essa força acaba por matar o seu maior inimigo. No exterior, muitos Varden são mortos às mãos de um terrível general de Galbatorix, com um Eldunari ao pescoço, mas Roran consegue vencê-lo.

Os Varden tomam Urû-baen e Nasuada é proclamada senhora de todo o Império. Murtagh e o seu dragão despedem-se de Eragon e desaparecem, enquanto Arya regressa à terra dos elfos com um ovo de dragão. Eragon trabalha como lugar-tenente de Nasuada durante uns tempos, mas acaba por decidir-se a fazer uma longa viagem com Saphira e alguns elfos, com o intuito de vir a desempenhar um papel de destaque no futuro dos Cavaleiros do Dragão.

sem-titulo
Capa 1001 Mundos
SINOPSE:

Há pouco tempo atrás, Eragon – Aniquilador de Espectros, Cavaleiro de Dragão – não era mais que um pobre rapaz fazendeiro, e o seu dragão, Safira, era apenas uma pedra azul na floresta. Agora o destino de toda uma sociedade pesa sobre os seus ombros. Longos meses de treinos e batalhas trouxeram esperança e vitórias, bem como perdas de partir o coração. Ainda assim, a derradeira batalha aguarda-os, onde terão de confrontar Galbatorix. E, quando o fizerem, têm de ser suficientemente fortes para o derrotar. São os únicos que o podem conseguir. Não existem segundas tentativas. O Cavaleiro e o seu Dragão chegaram até onde ninguém acreditava ser possível. Mas serão capazes de vencer o rei tirano e restaurar a justiça em Alagaësia? Se sim, a que custo? Este é o final da Saga da Herança, muito aguardado em todo o mundo por uma legião de fãs ansiosos.

OPINIÃO:

Há muito a dizer sobre este livro. Herança é o quarto volume da saga de Christopher Paolini com o mesmo nome, seguindo a peugada de grandes nomes do género. As lacunas são muitas, mas vamos falar daquilo que este livro tem de melhor. A nível de escrita, é notória a evolução do escritor desde o primeiro livro, que se revelou pouco mais que uma escrita amadora, ou não fosse Paolini um adolescente por essa altura. Talvez por isso, também a história foi claramente influenciada pelos épicos Senhor dos Anéis e Star Wars, e toda a saga acabou por ficar refém dessas mesmas referências.

Paolini não tem uma escrita de encher o olho, mas tornou-se bastante competente. O argumento deste quarto volume é coeso e vibrante, mantendo uma sensação de épico em toda a sua largura. Gostei, honestamente, desta saga, embora Paolini não tenha conseguido vincular o seu nome àqueles que mais me impressionaram. Longe disso, até.

sem-titulo
Olho de Saphira (konyvklub)

Se a evolução do escritor acompanhou a evolução do protagonista, não se pode dizer que a conclusão da obra tenha feito jus a essa mesma evolução. O final pecou por exaustivo. Aliás, todo o livro seria mais bem sucedido se fosse contado em metade das páginas. Muitas foram as que nada adiantaram para a história e prejudicaram em muito o ritmo que o autor vinha imprimindo.

Os finais dos personagens foram também todos eles muito esparsos e indefinidos, com reticências e pontos de interrogação sobre o futuro de cada um, o que até se entenderia se o autor não se tivesse esforçado por impedir futuros conflitos com soluções forçadas. Personagens como Murtagh mereciam maior destaque, e a magia tornou-se um instrumento narrativo utilizado em demasia. O final a fazer lembrar em demasia a obra de Tolkien foi inegavelmente frustrante.

sem-titulo
Ellesmera (paolini)

O Ciclo da Herança é a prova que aquilo que poderia ser uma boa saga, será facilmente renegado e esquecido, por falta de originalidade. Christopher Paolini tem potencial, mas terá de o desenvolver com muito mais experiência e trabalhar por esquecer as suas referências de infância.

Avaliação: 6/10

Ciclo da Herança (Gailivro/1001 Mundos):

#1 Eragon (lido não comentado)

#2 Eldest (lido não comentado)

#3 Brisingr

#4 Herança

Anúncios

2 thoughts on “Herança, Ciclo da Herança #4

  1. Pingback: Resumo Trimestral de Leituras #7 – Nuno Ferreira

  2. Pingback: Brisingr, Ciclo da Herança #3 – Nuno Ferreira

feedback

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s