One-Punch Man #1


Raaaiooos! Mais uma luta que acabou com um único golpe.

O texto seguinte pode conter spoilers do primeiro volume da série One-Punch Man (Formato BD)

One-Punch Man é a mais recente coqueluche da Devir no nosso país. Depois de um início auspicioso em 2009, como webcomic, One-Punch Man tornou-se rapidamente um mangá de culto, com adaptação para anime.

Argumentista de Makai no Ossan e Mob Psycho 100, One é o pseudónimo do autor, cuja publicação de One-Punch Man no mundo virtual catapultou-o para o sucesso. Em meados de 2012, a série tinha já mais de dez milhões de visualizações. Dois anos depois, começou a sair em livro. A arte é responsabilidade de Yusuke Murata, famoso pela sua participação em Eyeshield 21. Alcançou o 122º Prémio Hop Step com Partner no ano de 1995 e ficou em segundo lugar com Samui Hanashi, em 1998.

Sem Título
Capa Devir

Um herói entediado

Somos apresentados a um super-herói com pouco de tradicional. Saitama é um herói por mero desporto. Ele treinou de forma tão intensa e dedicada que ficou super-poderoso. Pelo caminho, perdeu o cabelo. Estamos num mundo futurista, em que monstros de todos os tipos surgiram, destruindo a humanidade povoação atrás de povoação. Foi para os deter que Saitama se treinou, depois de sofrer na pele uma juventude marcada pela violência dos mais velhos (onde travou um primeiro embate com um porquinho-mealheiro gigante) e de se tornar um jovem recém-desempregado, quando salvou um rapaz de queixo protuberante de ser morto por um homem caranguejo.

Saitama habituou-se a resolver com facilidade qualquer despique, trajando um fato amarelo. E essa facilidade tornou-o misantropo. Se, por um lado, ele tornou-se herói para salvar os mais fracos e oprimidos, por outro, os inimigos não pararam de aparecer. Para sua infelicidade, Saitama ficou tão forte que é capaz de derrotar os inimigos com um só murro. Mas isso não lhe traz felicidade. É que por muitos que mate, eles parecem nascer de todos os cantos, impedindo-o de viver com harmonia a sua vida naquele mundo macerado pelo terror.

Sem Título
Prancha Devir

Uma invasão de mosquitos

A povoação onde vive Saitama, assim como as cidades adjacentes, são violentadas frequentemente por esses ataques de monstros vis de características singulares. Para Saitama, salvar os locais é um divertimento, e salvar o seu quarto, uma necessidade basilar. A sua vida muda, porém, quando uma grande invasão de mosquitos aproxima-se da cidade, atacando todos no seu caminho, mesmo os mais temerosos.

É quando Saitama se decide a enfrentar esse obstáculo que cruza-se com Genos, um jovem rapaz de dezanove anos cheio de estilo e conhecimentos de defesa. Rapidamente Saitama percebe que Genos é um ciborgue, após um terrível incidente que obrigou um cientista a reabilitá-lo através da robótica. Genos vê em Saitama uma inspiração, numa substituição simbólica do homem que lhe salvou a vida. Dessa forma, Saitama aceita formar uma dupla com ele, ainda que não aceite bem ser visto como um professor.

Sem Título
Prancha Devir
SINOPSE:

Um herói que derrota monstros incríveis com um só murro? Acreditam mesmo que isto é um mangá de lutas infindáveis?
Mesmo quando se pode resolver tudo com um soco, restam tantos outros problemas na vida.

Um fantástico mangá, que começou na internet, sobre um personagem banal, que não quer ser super-herói – a sua força desmesurada é para ele uma fonte de problemas pois não tendo adversários à altura aborrece-se e os combates não o estimulam.

Uma história plena de ironia e reflexão sobre a nossa sociedade atual e os limites práticos do uso da violência.

OPINIÃO:

Depois de ter assistido, o ano passado, ao primeiro episódio do anime desenvolvido da webcomic One-Punch Man, foi com um misto de apreensão e interesse que me aventurei pelo mangá. O argumento de One, um dos autores mais provocadores da nova geração mangá, desconstruiu o estereotipo shounen, marca indelével da cultura japonesa que nos apresenta um protagonista em busca das suas capacidades, e brincou com o conceito de super-herói na criação de Saitama.

A fuga ao cliché não se revelou evidente neste primeiro volume. De facto, somos apresentados a um protagonista divertido com maior interesse em manter intacto o seu quarto do que salvar a Humanidade, embora também o faça de uma forma algo casual. Saitama é, ainda assim, um personagem e tanto, à volta do qual a ação acontece, sempre na forma de ataques de monstros. 

Sem Título
Prancha Devir

Para quem segue o anime, percebe que as cenas são idênticas, passadas a papel-químico, com um início um pouco repetitivo. Desde a forma como somos confrontados com um herói frustrado, a curiosidade em redor de como ele se tornou aquilo que é e os motivos que o norteiam. A grande virtude de One no argumento é o objetivo – ou falta dele – por parte do protagonista, e a forma como ele o humaniza. Saitama revela-se uma pessoa comum, com os seus defeitos e qualidades, com um quotidiano estabelecido e uma vida bastante comum. De resto, achei que a narrativa melhorou bastante com a aparição de Genos, apresentando um paradigma de vida e de vontades com alguns toques de humor.

Se a narração divertiu q. b., a ilustração não perde em comparação. O desenho de Murata conquista pela irreverência, com uma panóplia de detalhes em cenas de ação, onde o protagonista adquire uma expressão badass, e uma simplicidade de traços suaves e até caricaturais nas cenas mais passivas e de alívio cómico. 

Avaliação: 6/10

One-Punch Man (Devir):

#1 One-Punch Man Vol. 01

#2 One-Punch Man Vol. 02

Anúncios

One thought on “One-Punch Man #1

  1. Pingback: Estive a Ler: One-Punch Man #2 – Notícias de Zallar

feedback

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s