Estive a Ler: Os Dilemas do Assassino, Saga O Regresso do Assassino #2


Ele fez um pequeno gesto de indiferença com a mão. “Não duvido de que tenha sido. Mas agora falo de outra coisa. Falo de dragões verdadeiros. Dragões que respiram, que comem e crescem e se multiplicam como qualquer outra criatura. Alguma vez sonhaste com um dragão assim? Um dragão chamado Tintaglia?”

O texto seguinte pode conter spoilers do livro “Os Dilemas do Assassino”, segundo volume da série Saga O Regresso do Assassino

Com tradução de Jorge Candeias, Os Dilemas do Assassino corresponde à primeira metade do livro The Golden Fool, o segundo da trilogia The Tawny Men da autora californiana Margaret Ogden, mais conhecida entre os fãs de fantasia como Robin Hobb. Publicado pela Edições Saída de Emergência em 2011, este é o primeiro livro da autora que leio incluído no passatempo Vamos Viajar com Robin Hobb, que estou a organizar aqui no blogue e nas redes sociais.

Licenciada em Comunicação na Universidade de Denver, Colorado, e residente em Washington, Robin Hobb escreveu cinco trilogias pertencentes ao mundo de FitzCavalaria Visionário, uma série conhecida como The Realm of Elderlings, dos quais três trilogias têm Fitz como protagonista. São mesmo essas três trilogias que estão a ser publicadas em português, sendo que o primeiro livro da terceira série sai já esta semana, motivo pelo qual iniciei este desafio.

Sem título
Bobo e Fitz (Fonte: vlac.deviantart.com)

Um noivado turbulento

O Príncipe Respeitador é o herdeiro dos Seis Ducados. Filho de Kettricken das Montanhas e de Veracidade Visionário, então morto, tornou-se um rapaz bastante promissor. Para assegurar a paz e a subsistência mercantil do seu reino, a rainha estabeleceu um acordo com os ilhéus, prometendo a mão do seu filho à narcheska das Ilhas Externas, Eliânia. Eles são um povo selvagem, de quem não se guarda a melhor das recordações. As Runas de Deus são um grupo de ilhas hostis, com um povo bélico, aguerrido às suas tradições e com um caráter temperamental, diretamente envolvido na guerra que fustigou os Seis Ducados por anos.

As cerimónias de noivado são, por isso, uma oportunidade única para que se conheçam mutuamente e, também, um período de grande exigência protocolar, uma vez que qualquer atitude menos ponderada pode pôr em cheque não só o noivado como a própria paz entre os povos. O príncipe, porém, sofreu demasiadas mudanças recentes na sua vida, para que se preocupe em demasia com isso. Uma seita de manhosos revoltada com os maus-tratos a que os seus iguais, aqueles que possuem o dom de se conectar com animais, têm sido alvo, começou a perseguir e a chantagear os que comungam do mesmo dom e que se recusam a admiti-lo.

Sem título
Bobo/Dom Dourado (Fonte: enife.deviantart.com)

Os pigarços, como se chamam, conjuraram um plano que resultou na captura do príncipe. Graças ao Bobo e a FitzCavalaria, agora conhecidos como Dom Dourado e o seu criado Tomé Texugo, o príncipe regressou a Torre do Cervo em segurança, a tempo da chegada da narcheska e do seu contingente. No entanto, as perdas sofridas deixaram-nos abalados e a ameaça continua eminente. Louvovinho, o líder dos pigarços, encontra-se a recuperar de ferimentos, mas os seus sequazes sabem quem Respeitador é, e sabem que ele também é manhoso, assim como o criado chamado Tomé Texugo. Fitz é alvo de uma espera e uma mensagem subliminar é-lhe deixada, assim como a Loureira, a caçadora da rainha que, ainda que não partilhe o dom, é a única da sua família que não o obteve.

Olhos-de-Noite morreu e a gata a quem Respeitador era filiado também. Fitz não consegue curar as suas feridas, mas a dor aproxima-o de Respeitador, que vê nele o único amigo a quem recorrer. Ainda que o príncipe desconheça que o criado de Dom Dourado é, na verdade, seu tio, insiste em ser treinado por este na arte do Talento, uma magia poderosa nos Seis Ducados. Fitz começa a treinar o rapaz, embora nunca tenha sido realmente versado nessa matéria. Os problemas na vida de ambos, porém, não se resumem à dor da perda e à ameaça dos pigarços.

Sem título
Eliânia (Fonte: sffbookreview.wordpress.com)

Uma chuva de problemas

Fitz acaba por não resistir ao calor que Gina representa. A bruxa ambulante que acolheu o seu filho adoptivo torna-se mais do que uma amiga e conselheira, vindo a ser também sua amante. Isso, porém, revela ser fraco consolo para as suas carências afetivas, e rapidamente percebe não estar a ser justo para consigo ou para com a mulher. Também o seu rapaz, Zar, o desilude, com comportamentos indisciplinados como aprendiz do seu ofício. O namoro com Esvânia parece ser a causa de tais problemas, mas o jovem não parece incomodar-se com a ira do tutor nem mesmo com a ameaça que o pai da rapariga pode significar.

O contingente das Ilhas Externas também é um problema a ter em conta. Nos labirintos secretos de Torre do Cervo, Fitz tem acesso ao quarto de Eliânia, onde percebe rapidamente que Peotre Aguapreta, o tio da rapariga, tem muito mais influência política e pessoal na vida dela do que o seu próprio pai, o aparente líder Arcão Espadarrubra. Também a misteriosa aia da jovem, Hênia, parece ser a voz de alguém importante, com ideias estabelecidas e algo diferentes daquelas que Eliânia ou Peotre defendem.

Sem título
Se Trump governasse Torre do Cervo, as coisas não correriam bem (Fonte: allthe2048.com)

A união entre Eliânia e Respeitador não parece ser vista com bons olhos pela jovem, e tão pouco pelo príncipe, que comete uma gaffe ao menosprezá-la durante um jogo com a Dama Vance, sobrinha de Dom Sextão de Razos, por quem o príncipe parece sinceramente mais interessado. O erro de Respeitador obriga Kettricken a agir mais rapidamente, mas a rainha, velha amiga de Fitz, não consegue fazer muito quando tudo à sua volta parece mover-se por si mesmo. Nem mesmo Breu, o seu velho conselheiro, parece tão capaz como antes para mover as peças do jogo, fruto da sua idade avançada.

Caiem em FitzCavalaria as rédeas dos acontecimentos. Cansado de lutar contra os ímpetos dos jovens, uma vez que tanto Respeitador como Zar transformaram-se nos principais causadores dos seus problemas, não se esquece da filha Urtiga, que o procura nos sonhos através do Talento. Também é obrigado a lidar com Obtuso, o criado deficiente de Breu que se revela forte no Talento, e com as dúvidas em relação a Cortês Bresinga, o manhoso de quem sempre suspeitou estar envolvido na armadilha dos pigarços a Respeitador, presente em Torre do Cervo para as comemorações do noivado.

Também Bobo se transforma numa personagem de difícil interpretação. Boatos em torno da sua verdadeira natureza percorrem Torre do Cervo, e as revelações que Fitz tem de uma faceta do seu passado levam-no a perder a confiança que sentia para com o melhor amigo. Mas é a chegada de uma comitiva de Vilamonte, protagonizada por um jovem escamoso chamado Selden Vestrit, a pedir ajuda para fazer guerra a Calcede, e a referência a um dragão chamado Tintaglia, que revoluciona não só as cerimónias de noivado como o próprio âmago de Torre do Cervo.

Sem Título
Capa Saída de Emergência (Fonte: saidadeemergencia.com)
SINOPSE:

Uma obra-prima da fantasia épica.

O seu nome é murmurado com temor e respeito. A sua figura move-se nas sombras da noite e das políticas. Acaba de salvar o herdeiro do reino. Mas será suficiente? Depois de salvar o príncipe das garras dos pigarços e de sofrer a mais devastadora perda possível ao fazê-lo, o lendário assassino regressa ao lugar a que em tempos chamou lar. Aí, esperam-no dias difíceis de adaptação, mas também o esperam oportunidades, velhos e novos amigos e até um filho adolescente. E espera-o também um príncipe, do seu sangue sem que o saiba, dotado com as magias desse sangue mas sem conhecimentos para lidar com elas, e prometido a uma princesa estrangeira. Como irá Fitz lidar com todos os desafios que o aguardam em Torre do Cervo? Que soluções encontrará para os seus dilemas?

OPINIÃO:

Um mar de conflitos e de intrigas, Os Dilemas do Assassino é mais uma prova de que Robin Hobb é muito mais do que apresentou na primeira trilogia. Elegante, fluída e cheia de ritmo, esta leitura revelou-se bem mais célere e estimulante do que eu a imaginava. A promoção de reflexões interiores e a discussão sobre temas comuns a todos nós como a juventude, a honestidade e o bem-estar emocional foram maravilhosamente decompostos pela autora californiana, que em nenhum momento deixou cair o gume da sua “pena”.

Hobb apresenta-nos a um mundo fantástico e torna-o credível e isso é, sinceramente, o que mais me apraz em ler um livro. Ela relata com beleza cada cenário, sem excluir as ervas daninhas que, irrefutavelmente, povoam cada realidade. Se os momentos de introspeção, em outros momentos, me deixaram entediado com as aventuras de Fitz, aquelas que tenho agora oportunidade de ler surgem como um intervalo após cada acontecimento, levando-me a pensar sobre o mesmo, a maturar as questões e a respirar fundo. Cada introspeção revela-se tão ou mais deliciosa que os eventos em si.

Sem título
Será? :p (Fonte:makeameme.org)

Muito embora a trama dos pigarços seja de facto irreal, este segundo volume traz mais fantasia que o primeiro livro, e isso não é mau. Embora ainda torça o nariz à adição de mais dragões a esta série, tanto a referência a Tintaglia como a navivivos me deixa a querer saber mais sobre eles. Os novos personagens revelaram-se mais promissores e cheios de potencial que aqueles que povoaram o primeiro volume, e os mistérios foram posicionados muito bem do ponto de vista estratégico. Ainda assim, aqueles que envolvem os personagens centrais da narrativa parecem ainda mais apelativos. Bobo, o que raio andaste tu a fazer?

“Os novos personagens revelaram-se mais promissores e cheios de potencial que aqueles que povoaram o primeiro volume, e os mistérios foram posicionados muito bem do ponto de vista estratégico.”

Pouco vimos de Kettricken nestes dois livros e, no entanto, ela é uma das personagens que mais me agradaram. A sua evolução revelou-se nos pequenos pormenores, dos trejeitos aos comportamentos que Robin Hobb tão bem sabe desenhar. A evolução comportamental e a maturidade são tão visíveis nessa personagem como no próprio Fitz, que ganhou o meu respeito nestes livros. Ganhou experiência e perdeu intempestividade, muito embora continue a aprender com as próprias experiências. Breu é outra das boas surpresas deste livro, com duas facetas tão enigmáticas quanto realistas. O avançar da idade é relatado com credibilidade. Também Respeitador revela-se, livro após livro, um personagem cheio de potencial, e Loureira continua de certo modo um mistério.

Sem título
Breu Tombastrela (Fonte: tumblr.com/farseer)

Não seria, confesso, um livro que eu escreveria. Não é um género de fantasia que me empolgue por aí além e é bem mais esmiuçado e menos sugestivo do que aquilo que me apaixona. O medieval também não parece trazer grandes novidades. Mas a escrita envolvente e as questões debatidas pela autora, a par da riqueza de personagens criadas, merece não só a minha pontuação como os meus maiores elogios.

Vamos Viajar com Robin Hobb é um desafio NDZ para que todos aqueles que querem embarcar comigo na aventura de ler, de 8 de maio a 8 de julho, um ou mais livros da autora. Eu vou ler mais, e vocês?

Este livro foi cedido em parceria com a editora Saída de Emergência.

Avaliação: 9/10

Saga do Assassino (Saída de Emergência):

#1 Aprendiz de Assassino

#2 O Punhal do Assassino

#3 A Corte dos Traidores

#4 A Vingança do Assassino

#5 A Demanda do Visionário

Saga O Regresso do Assassino (Saída de Emergência):

#1 O Regresso do Assassino

#2 Os Dilemas do Assassino

#3 Sangue do Assassino

#4 A Jornada do Assassino

#5 Os Dragões do Assassino

Anúncios

9 thoughts on “Estive a Ler: Os Dilemas do Assassino, Saga O Regresso do Assassino #2

  1. Ois,

    Fico muito contente que esta nova trilogia te cative mais, como sabes sou grande admirador desta escritora e sempre te disse que esta trilogia seria melhor, mas ainda tens ai mais uns livros pela frente.
    E espero ler no imediato a nova trilogia que vai ser publicada pela SDE logo conta comigo para o desafio 😀

    Abraço e boas leituras

  2. Pingback: Vamos Viajar Com Robin Hobb: Ponto de Situação – Notícias de Zallar

  3. Olá!

    Ainda bem que continuas a acompanhar estas aventuras! E vai ficando cada vez melhor. O último livro desta saga é um luxo, é maravilhoso =)

    Excelente opinião!

    Bjs e boas leituras

  4. Pingback: Estive a Ler: Sangue do Assassino, Saga O Regresso do Assassino #3 – Notícias de Zallar

  5. Pingback: Estive a Ler: O Regresso do Assassino, Saga O Regresso do Assassino #1 – Notícias de Zallar

  6. Pingback: Resumo Trimestral de Leituras #10 – Notícias de Zallar

  7. Pingback: Estive a Ler: A Jornada do Assassino, Saga O Regresso do Assassino #4 – Notícias de Zallar

Comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s