Fala-se de: Game of Thrones T7


A tão aclamada sétima temporada de Game of Thrones chegou ao fim, e poucos são os que não viram os sete episódios exibidos em 2017. Emilia Clarke, Kit Harington, Lena Headey e companhia foram os rostos de uma das temporadas mais aguardadas, com uma sequência de reencontros e de confluências que a maioria dos fãs aguardava desde a primeira temporada. Nem mesmo a diminuição de episódios ou de elenco veio roubar público ao programa, que registou as melhores audiências desde o início da mesma.

David Benioff e D. B. Weiss continuam como showrunners e produtores executivos, ficando seguramente na História do pequeno ecrã pelo trabalho na série da HBO. É responsabilidade deles parte do sucesso de Game of Thrones e muito da conclusão narrativa que testemunhamos semana após semana em direção ao grande final. Contudo, há que realçar que limitam-se a trabalhar sobre a obra de um mestre literário chamado George R. R. Martin, e as escolhas que têm deliberado não são imunes à crítica. Defenda-se ou não o trabalho da dupla, é inegável que o seu cunho pessoal afastou a série do rumo que a levou ao sucesso.

Sem título
Fonte: http://wallpaperswide.com

A falta de material canónico para trabalhar (a ação dos livros já publicados compreende apenas as 5 primeiras temporadas) levou a produção a desenvencilhar-se sozinha dos vários nós cegos que a trama de Martin havia criado. A 6.ª temporada veio fazê-lo com distinção, posicionando cada personagem no local adequado para o desenvolvimento natural do enredo. A morte de Stannis Baratheon e a ridícula adaptação do núcleo de Dorne, assim como a exclusão de personagens icónicos da série literária como Victarion Greyjoy ou Arianne Martell, foram poucas das minhas críticas em relação à temporada passada.

“Provocar reencontros, eliminar alguns inimigos, fechar alguns núcleos e juntar outros é imprescindível para dar um fim à história.”

A promessa da conquista de Westeros por Daenerys Targaryen, porém, veio semear a minha curiosidade nesta temporada. Se já achava a adaptação de D&D uma fanfic (bem feita, porém), ficou notório neste novo ano que a dupla empenhou-se em agradar aos fãs. De que maneira? Dando-lhes o que desejavam, ainda que tenha sido contrariá-los, matando os personagens favoritos, agredindo outros, violando, explorando e fomentando guerras em cima de guerras, o que deu fama e sucesso a Game of Thrones. Um paradigma interessante, não?

Sem título
Fonte: http://mywebhunger.com/game-of-thrones-wallpaper-winter-is-coming-wallpaper.html

De uma certa perspetiva, compreendo as opções narrativas levadas a cabo. Tragédias em cima de tragédias só criam mais enredos e é muito por causa disso que George R. R. Martin não consegue desenrolar o novelo que criou nem caminhar para o fim da sua saga (há quantos anos mesmo esperamos pelo livro?). Provocar reencontros, eliminar alguns inimigos, fechar alguns núcleos e juntar outros é imprescindível para dar um fim à história. E proporcionar já muitos desses encontros e reencontros nesta penúltima temporada é mais positivo do que deixar tudo para o fim.

CUIDADO! A PARTIR DAQUI PODES ENCONTRAR ALGUNS SPOILERS.

Ainda assim, fica a ideia de que D&D transformaram Game of Thrones numa novela brasileira de finais tradicionais. Quase consigo imaginar o discurso debitado de Jon Snow perante a Cersei dobrado em pt-br, quando lhe garantiu que não podia ajoelhar-se perante ela porque havia já ajoelhado a outra rainha. A pelinhos prateados Daenerys Targaryen, a Non-Queimada, a Québrádôra di Correntjis. Temos os dois protagonistas a formar um casal fofinho, Cersei Lannister a ganhar contornos de “madrasta má” e os restantes personagens todos eles a fugirem aos tons cinzentos que admirava na série. Pouco me surpreenderia de ver Samwell Tarly a tornar-se Alto Septão para casar os dois.

Sem título
Fonte: http://www.rtl.fr/culture/cine-series-jeux-video/videos-game-of-thrones-saison-7-jon-snow-daenerys-le-casting-en-costumes-7788052564

A morte de Mindinho foi um dos momentos mais altos da temporada. Todos os seus podres foram postos a descoberto, e não consegui deixar de sentir um sobressalto quando o punhal com que tentara matar Bran, um dia, lhe riscou a garganta pelas mãos de uma Arya Stark cada vez mais perto do dark side (muito embora a sua expressão serena digna dos melhores memes continue igual a si mesma). No entanto, gostaria que o final de Mindinho ocorresse à vista de mais personagens importantes, mais grandiosa por assim dizer.

Tyrion Lannister foi uma das desilusões da temporada. Peter Dinklage continua a ser uma das grandes atrações da trama, mas onde estão as suas saídas inesperadas e sarcasmo refinado? Toda a temporada vimo-lo como um clarão de bom-senso para com as atitudes governativas de Daenerys, mas faltou ali algo. E, esteja ou não a ser justo, o que me vem à mente é que faltam diálogos escritos por Martin para adaptar. Os diálogos, na verdade, foram o grande destaque negativo desta temporada. As frases de efeito foram escassas.

Sem título
Fonte: https://winteriscoming.net/2017/07/10/rory-mccann-the-hound-snowy-violent-season-7-game-of-thrones/

A falta de lógica temporal registada no episódio 6 quando Daenerys chegou ao norte em tempo recorde não me merece grande destaque, até porque ver Cão de Caça a montar um dragão, o passado de Jorah Mormont a ser explorado e um dragão a ser morto e transformado por um White Walker compensaram os aspetos negativos. Neste último episódio, porém, senti a falta de uma batalha épica estilo “Hardhome” que precedesse a queda da Muralha. Acompanhámos aquela Muralha durante tantas temporadas, e nem um último vislumbre àqueles cenários onde “pertencemos” tivemos direito. Se Tormund morreu ali, merecia ao menos uma última frase épica.

“Os diálogos, na verdade, foram o grande destaque negativo desta temporada. As frases de efeito foram escassas.”

A revelação sobre a paternidade de Jon Snow foi outra desilusão. Na temporada anterior, já tinhamos ficado esclarecidos que ele era filho de Rhaegar Targaryen e Lyanna Stark. A invenção do “divórcio” entre Rhaegar e Elia Martell para legitimar Jon como Aegon Targaryen vem apenas pôr mais achas na fogueira e indignar o fandom dos livros. Quanto ao próprio Jon Snow, continuou sem saber de nada, como sempre. Apesar de acabar na cama com a rainha dos dragões, o que já é qualquer coisa.

Sem título
Fonte: https://www.theverge.com/2017/8/20/16176916/game-of-thrones-lore-night-king-white-walkers-history-explainer

Não fico, porém, com má memória da temporada, no seu todo. A evolução de Sansa Stark, o reencontro entre os irmãos, os jogos estratégicos de Daenerys e Cersei Lannister e os debates internos de Jaime foram marcas de qualidade da série. O ataque naval de Euron Greyjoy à frota de Yara, a morte épica de Olenna Tyrell, a batalha do contingente Lannister contra o dragão de Daenerys e a cavalaria dothraki assim como o avanço do wight capturado em direção à Cersei no Fosso dos Dragões foram, para mim, alguns dos melhores momentos. Segundo consta, em novembro de 2018 há mais.

Avaliação: 7/10

Anúncios

4 thoughts on “Fala-se de: Game of Thrones T7

  1. Luisa Bernardino

    Muito bem Nuno fizeste um excelente trabalho neste post . Concordo com praticamente tudo o que escreveste. Eu confesso que estava com uma expectativa alta e achei que faltou algo mais (estavamos mal habituados). Estava preparada para derramar vales de lágrimas, afinal…nhehhh… Vá veio uma lagrimita aquando as irmãs Stark se reencontraram finalmente e quando o Dragão caiu.
    Notou-se claramente que os diálogos foram mais fracos. E também achei o Tyrion muito politicamente correcto. De todos os personagens a Cersey destaca-se quanto a mim(detesto a criatura). A atriz é excelente. A morte do Mindinho, caramba fiquei mesmo satisfeita só não superou a morte do Joffrey. Esse é que dei pulos de alegria. Gostei imenso dos irmãos Stark. Eu sabia que a Sansa um dia estaria à altura.
    Quanto ao romance do Jon e Daenarys. Era aquilo que grande parte de nós desejava ( eu incluída). Podiam era ter desenvolvido mais. Ora ficamo-nos com a vista de um belo “rabo” e não nos podemos queixar. A queda da muralha! Acho que o momento foi banal. Sempre achei que seria algo épico com luta e morte. Afinal derrubou a muralha e aí vamos nós. Não acredito que o Tormund tenha morrido. Acho que ainda vamos ter monstrinhos (ou não) com a Brienne.
    Fiquei intrigada com o resto da conversa da Cersey e Tyrion. E também com a cara que o Tyrion faz quando vê o Snow a entrar no camarote da Dany. Das duas uma ou ele também está apaixonado por ela ou sabe as origens do Snow ou então poderá estar relacionado com o que conversou com Cersey.

    Bom bom era o Martin acabar o livro. Estou muito curiosa por saber como desenvolveu ele toda a trama. Certamente aparte da série (o que seria bom).

    1. Olá Luísa, obrigado pelo comentário. Ahahah já me fizeste rir com o rabo e os monstrinhos. Eu interpretei aquela expressão do Tyrion como preocupação em relação ao futuro com Jon e Daenerys envolvidos. Mas também dá um bom plot para a próxima temporada ele ter feito algum acordo com a irmã. Passou-me agora que ele tenha prometido a cabeça do Snow por exemplo e ter ficado preocupado com a hipótese de a Dany se ter apaixonado por ele. Mas visto que a Cersei nunca tencionou mesmo avançar com os exércitos contra os mortos, esse acordo não faria sentido. Eu acho é que o Tyrion é um personagem chave que pode e deve ter um papel mais importante do que ser Mão no final da história. E vamos ver agora como corre quando o Jaime se juntar a eles.

      1. Luisa Bernardino

        Eu acho que ou o Jon ou a Dany morre no final na luta com os white Walkers. Estou inclinada para a Dany. Que entretanto teve um filho do Jon e o mesmo é que o cria e é o herdeiro do trono que foi pelos ares devido à guerra (Acho que fui confusa)

      2. 😂😂 também acho que um deles morre, mas a minha teoria é que é o Jon, porque a Dany é o Azor Ahai que foi prometido, nasceu no meio de sal e fumaça e para a espada pegar fogo terá de sacrificar o seu amor. Acredito que isto seja uma metáfora para algo que possa ocorrer mas ainda assim acho que o Senhor da Luz ressuscitou o Snow para que a verdade sobre ele viesse à tona e também para garantir a sucessão, reprodução entre os Targaryen. A Dany acredita não poder ter mais filhos, mas como ele é um Targaryen e ainda por cima ressuscitado é provável que tenha. Mas penso que o papel dele é mais por aí, para além, claro, de ter conseguido unir o norte para ela. :p

Comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s