Estive a Ler: Príncipe das Trevas, A Guerra da Rainha Vermelha #1


A mãe dele deve ter dormido com trolls. Trolls bonitos, no entanto.

O TEXTO SEGUINTE ABORDA O LIVRO “PRÍNCIPE DAS TREVAS”, PRIMEIRO VOLUME DA SÉRIE A GUERRA DA RAINHA VERMELHA

Mark Lawrence é um escritor britânico e investigador no campo da inteligência artificial, tendo já colaborado com os governos norte americano e britânico. Estreou-se na escrita com Príncipe dos Espinhos, obra que o colocou entre os finalistas do Prémio Goodreads para Melhor Livro Fantástico em 2011, livro que foi publicado pela TopSeller em Portugal, bem como os restantes volumes da Trilogia dos Espinhos, Rei dos Espinhos e Imperador dos Espinhos.

Em 2018 chega às livrarias portuguesas, também pela TopSeller, o livro Príncipe das Trevas, publicado originalmente por Lawrence em 2014 com o título Prince of Fools. Trata-se de uma nova trilogia chamada A Guerra da Rainha Vermelha. Já traduzido em mais de 20 idiomas, Lawrence é um dos maiores representantes, entre os autores contemporâneos de maior sucesso, da literatura fantástica para adultos, de que este Príncipe das Trevas não é exceção. O exemplar da TopSeller tem um total de 384 páginas.

Imagem relacionada
Fonte: https://www.inprnt.com/gallery/jason_chan/prince-of-fools/

Gostei mais deste livro do que estava à espera. Não é nenhuma maravilha da literatura fantástica nem traz nada de novo ao género, mas depois da Trilogia dos Espinhos era difícil que o desempenho de Lawrence não melhorasse. A Guerra da Rainha Vermelha passa-se no mesmo mundo pós-apocalíptico da Trilogia dos Espinhos e na mesma linha temporal, surgindo até pontas em que as narrativas das duas trilogias se cruzam.

“É um livro que peca por não trazer nada de novo, mas também nunca o prometeu.”

Se os principais problemas de Mark Lawrence na Trilogia dos Espinhos foram um protagonista insípido e uma salada russa de linhas temporais e de pontos de vista, o autor parece tê-los corrigido neste Príncipe das Trevas. A leitura é bem mais fluída e bem-humorada, e para isso contribui não só uma estrutura narrativa com cabeça, tronco e membros, como a existência de um protagonista divertido e despretensioso à sua medida.

Resultado de imagem para príncipe das trevas lawrence topseller
Fonte: https://www.clubedoslivros.pt/2018/05/topseller-principe-das-trevas-de-mark.html

A Rainha Vermelha está velha. Ainda assim, controla todo o poder no seu vasto império. Jalan Kendeth, o protagonista, é o neto da Rainha Vermelha e o décimo na linha de sucessão ao trono de Marcha Vermelha, e por ser tão improvável que assuma o trono algum dia ele não se importa muito com as tramas políticas da corte, ao invés disso prefere passar os seus dias a jogar, a beber e, ou a seduzir alguma mulher, ou a fugir dos irmãos delas.

Jalan é assumidamente cobarde, mas por equívoco ou sorte, as suas ações acabam por ser vistas como heróicas, para o que contribui o seu inestimável dom para mentir. Fá-lo de forma tão veemente que consegue até convencer-se até a si mesmo. Desse modo, Jalan vai vivendo a vida despreocupada da corte, como todo o cretino sorridente da aristocracia deve parecer. A única coisa que o difere de todos os outros, é a sua capacidade para ver a Irmã Silenciosa, uma velha bruxa que acreditam ser conselheira da Rainha Vermelha e que mais ninguém parece conseguir ver.

Imagem relacionada
Fonte: fantasy-smorgasbord.blogspot.com

Ele tenta abstrair-se disso, apesar do trauma que o marcou na infância da primeira vez que a viu, mas algo dentro dele parece mudar quando ouve da boca de Snorri, um guerreiro nórdico de passagem por Vermillion, uma história envolvendo corpos regressados da morte e do lendário Rei Morto. Bem, não o muda tanto assim, porque desde logo a ideia de Jalan passa por ganhar algum usufruto do nórdico e da sua aparente credulidade.

“Príncipe das Trevas parece também mais bem estruturado, revelando uma maior maturidade como escritor por parte de Lawrence.

A Rainha Vermelha reúne todos os seus familiares numa sala para que oiçam os relatos destes forasteiros, relatos credíveis sobre o poder do Rei Morto e dos fenómenos paranormais que começam a ocorrer. Mas Jalan está lá apenas de corpo presente, aborrecido e frívolo, como sempre, focando-se somente em detalhes estéticos e recordações. E é por causa de todo esse cepticismo que se sente extremamente frustrado quando uma magia poderosa o liga ao bárbaro viking.

Resultado de imagem para PRINCE OF FOOLS FANART
Fonte: https://www.pinterest.com/pin/291256300886498958/

Durante a representação de uma ópera, os espectadores são alvos de um ataque tão terrível que quase todos morrem. Jalan é dos poucos que sobrevive, mas é dado como morto. A força responsável pelo atentado é mágica e provém da Irmã Silenciosa, que enlaça Jalan e Snorri numa magia fortíssima, com um objetivo muito bem formado. Afinal, de um lado está a Dama Azul, do outro, A Rainha Vermelha. Quem vencerá essa batalha?

Jalan percebe rapidamente que sempre que se afasta de Snorri algo de mau lhes acontece, e é por isso que precisa unir-se ao nórdico e encontrar uma forma de desfazer o feitiço. Para isso, tem de deixar a vida que sempre conheceu e lançar-se numa jornada épica rumo ao norte gelado. Pelo caminho, encontrará várias figuras familiares para quem leu a Trilogia dos Espinhos, até à derradeira empreitada épica no mundo dos vikings, onde Jalan conhecerá outras facetas do seu eu.

Resultado de imagem para PRINCE OF FOOLS FANART
Fonte: https://www.goodreads.com/book/show/18693743-prince-of-fools

De Gayrus a Skilfar, de Jalan a Tuttugu, Príncipe das Trevas apresenta um painel de personagens muito interessantes, e ainda que algumas tenham poucas aparições, parecem omnipresentes na mente do protagonista. Com uma proposta mais soft e bem-humorada que a Trilogia dos Espinhos, Príncipe das Trevas parece também mais bem estruturado, revelando uma maior maturidade como escritor por parte de Lawrence.

É um livro que peca por não trazer nada de novo, mas também nunca o prometeu. Leve, corrido e cheio de ritmo, Príncipe das Trevas traz um protagonista cheio de maneirismos e com uma personalidade bem mais rica e interessante que a de Jorg de Ancrath, e é através das suas nuances e subterfúgios que conhecemos melhor o mundo em que deriva. Um mundo fragmentado que ainda parece ter muito para oferecer.

Avaliação: 8/10

A Guerra da Rainha Vermelha (TopSeller):

#1 Príncipe das Trevas

#2 A Chave de Loki

Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close