Estive a Ler: O Terror #1


Será que a coisa conseguiu também bloquear a escotilha de proa? Ao menos não pode subir o mastro. Uma coisa com aquele tamanho nunca conseguirá trepar. Nenhum urso branco – se é que se trata de um urso branco – foi alguma vez visto a trepar.

A coisa começou a subir o mastro grande.

O TEXTO SEGUINTE ABORDA O LIVRO O TERROR, VOLUME UM DE DOIS

O Terror é o último grande sucesso do escritor norte-americano Dan Simmons, premiado como vencedor do World Fantasy Award em 1986 com A Canção de Kali, do Bram Stoker Award de 1989 com Carrion Comfort, do Hugo e do Locus Award pelo romance de ficção científica Hyperion em 1990, tendo vencido ainda o Locus em 93 com Children of the Night e em 2004 com lium. O Terror foi publicado originalmente em janeiro de 2007 pela editora Little, Brown and Company.

Conhecido por juntar fantasia, ficção científica e terror nos seus romances, Simmons viu no seu mais recente sucesso uma das suas obras mais emblemáticas. Em Portugal, o livro foi dividido em dois volumes pela editora Saída de Emergência, que o publicou em 2011. Em 2018, devido à adaptação do livro para série de TV, foram colocadas novas sobrecapas promocionais nos dois tomos. Com tradução de Ester Cortegano, o primeiro volume tem um total de 320 páginas.

Imagem relacionada
Fonte: https://www.stern.de/kultur/tv/tv-serie–the-terror–das-monster–das-aus-der-kaelte-kam-7998960.html

Se tenho defeitos a apontar a este livro, certamente que não é culpa de Dan Simmons mas minha. Vi a série da AMC que adapta o livro antes de o ler, o que pode ter condicionado um pouco a minha experiência de leitura. Se eu viesse de olhos virgens para este O Terror, aquilo que foi um livro fantástico podia ter sido uma das experiências de leitura mais maravilhosas da minha vida.

“Não é para devorar de um só gole, mas sim para se degustar pacientemente.”

É pois claro que olhei para as personagens com os rostos dos atores, que estudei permanentemente as semelhanças e as diferenças entre os enredos e que no fim fiquei com a sensação de que a série foi uma excelente adaptação, com performances incríveis, mas que o romance é bem melhor. E quanto a isso, não me restam dúvidas, se bem que alguns pormenores foram mais bem desenvolvidos na série [onde está o macaquinho de estimação de Goodsir?]. Da morte de Franklin aos fantásticos capítulos POV de Crozier, O Terror é um livro maravilhoso.

Resultado de imagem para o terror saída de emergência
Fonte: http://www.saidadeemergencia.com/produto/terror-vol-1/

Com o objetivo de encontrar uma passagem para a China pelo Ártico, dois navios são enviados das terras de Sua Majestade com provisões para três anos de viagem. Os navios chamados Terror e Erebus desapareceram no gelo, para serem encontrados os seus destroços apenas no início do século XXI. É a partir deste acidente que Dan Simmons criou a sua interpretação dos factos e adicionou-lhe uma boa dose de fantasia, inspirada nas lendas inuit.

A história começa no inverno de 1847. Durante mais de um ano, o HMS Terror e HMS Erebus ficam presos no gelo, a 28 milhas a noroeste da Ilha do Rei Guilherme. O clima é terrivelmente gelado e as provisões enlatadas dos navios, muitas delas defeituosas e contrafeitas,  escasseiam. O gelo marinho e as massas terrestres são misteriosamente desprovidos de qualquer vida selvagem que possa ser caçada. Além dos perigos naturais, as tripulações estão sendo perseguidas e atacadas por um monstro – Tuunbaq – que se assemelha a um imenso urso polar.

Resultado de imagem para the terror dan simmons
Fonte: https://www.signalhorizon.com/single-post/2018/04/10/What-Is-a-Tuunbaq

Através de recordações, Simmons revela os antecedentes que levaram à calamitosa expedição. A iniciativa de Franklin é a última de uma série de tentativas de forçar a Passagem do Noroeste, todas elas fracassadas. Sir John Franklin, caído em desgraça, vê a expedição como sua última chance de glória e reconhecimento. Já o capitão Francis Crozier, deprimido pela rejeição de Sophia Cracroft, sobrinha de Franklin, vê na expedição para o Ártico uma distração conveniente.

“Se eu viesse de olhos virgens para este O Terror, aquilo que foi um livro fantástico podia ter sido uma das experiências de leitura mais maravilhosas da minha vida.

Embora a empresa pareça abençoada (o cirurgião Goodsir pressente isso mesmo durante a partida), três homens morrem de doença durante o primeiro inverno no gelo, e logo depois, Franklin toma a decisão precipitada de viajar ao redor da costa nordeste da Ilha do Rei Guilherme, o que leva a que os navios ficarem encalhados no gelo. No verão de 1847, Franklin envia vários grupos em direções distintas, na esperança de encontrar água aberta. Nenhum dos grupos consegue alcançar esse objetivo.

Imagem relacionada
Fonte: http://www.phoenixnewtimes.com/film/the-terror-is-scary-good-even-if-monster-leaves-you-cold-10262807

No entanto, o grupo onde se encontra Goodsir depara-se com um inusitado casal de esquimós, uma jovem e um homem velho. Eles disparam acidentalmente contra o homem quando são atacados por um monstro, que mata o tenente Graham Gore, líder da composição. Quando o grupo retorna aos navios, carregam consigo o homem ferido, para o tentar salvar, e a rapariga segue-os. Crozier chama-a de Senhora Silêncio, uma vez que perdeu a sua língua pela base, emudecendo-a.

Após a morte do velho esquimó a bordo do Erebus, o monstro começa a perseguir as tripulações e a atacá-las. Embora o animal mostre sinais de uma inteligência malévola, os tripulantes começam por acreditar que não é mais do que um urso invulgarmente agressivo. Essa suposição leva-os a subestimar a criatura. Sir John Franklin é morto numa tentativa infrutífera de armadilhar a criatura, e muitos outros vão sendo vítimas da fera ao longo dos meses.

Imagem relacionada
Fonte: https://bookbastion.net/2018/04/06/review-the-terror-by-dan-simmons/

Alguns livros, como As Mentiras de Locke Lamora, Os Pilares da Terra ou A Súbita Aparição de Hope Arden marcaram-me pela originalidade, entusiasmo e curiosidade galopante que despertaram em mim, mas quase tanto quanto esse tipo de leitura, dá-me gozo ler livros mais calmos, que se arrastem aqui e ali mas deixando-te de boca aberta, sabendo como te surpreender na altura certa.

“A história não percorre uma única linha temporal, mas Simmons sabe desdobrar o eixo do tempo narrativo com maestria.”

Nesse aspeto, Dan Simmons enquadra-se no estilo de George R. R. Martin ou Robin Hobb, oferecendo uma leitura deliciosa, que sabe tanto afrouxar como acelerar quando menos esperas. O Terror é um livro extremamente equilibrado, sabendo quando e como desequilibrar-se. Não é para devorar de um só gole, mas sim para se degustar pacientemente.

Imagem relacionada
Fonte: https://gilbertspeaks.wordpress.com/2018/04/04/gilbert-speaks-on-the-terror-s01-e03/

A história não percorre uma única linha temporal, mas Simmons sabe desdobrar o eixo do tempo narrativo com maestria. Começamos a história a meio da ação, sabemos que há ali dois navios encalhados no gelo e que há uma coisa malévola lá fora, e só depois, quer através dos capítulos de Sir John Franklin, das entradas no diário de Harry D. S. Goodsir e de alguns flashbacks de Crozier, vamos vendo o que ficou para trás, camada sob camada, sem se tornar confuso nem quebrar o ritmo de leitura.

Dan Simmons tem uma escrita simples, mas gostosa de se ler, revelando amplos conhecimentos sobre a vida no mar sem os despejar de chofre, revelando bagagem e bom-senso. Terminei cada capítulo com a vontade de ler só mais um, prorrogando cada separação do livro para saber o que aconteceria em seguida. Embora não o possa catalogar como viciante, foi um volume genial em ganchos e extremamente convincente em toda a sua extensão.

Este livro foi cedido em parceria com a editora Saída de Emergência.

Avaliação: 9/10

O Terror (Saída de Emergência)

#1 Volume 1

#2 Volume 2

 

6 comentários em “Estive a Ler: O Terror #1

  1. Maravilhoso o livro, mas tenho pena desta coisa de se dividir tudo em dois volumes aqui por terras lusas.
    Fico à espera do comentário ao segundo volume.

    Eu gostei imenso, e estive agora um bocadinho a tentar situar-me por ver os nomes geográficos em português.

    Estou agora à espera para ver a série (mas só depois da cara metade ler o livro também). 🙂

    1. Eu também tenho pena, mas pronto, mais importante é publicarem-nos.
      Eu gostei imenso da série, tem algumas diferenças mas igualmente boa. Acho que fazes muito bem.
      Estou a gostar do segundo volume. 🙂
      Obrigado pelo comentário e boas leituras.

Deixe uma resposta para Nuno Ferreira Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close