Estive a Ler: Os Contos Mais Arrepiantes de Howard Phillips Lovecraft


Seria impossível transcrevê-lo literalmente com toda a sua obscuridade e redundância, mas irei referir o essencial, o suficiente para mostrar por que razão o som da água contra o casco da embarcação se tornou tão insuportável ao ponto de eu ter tapado os ouvidos com algodão.

O TEXTO SEGUINTE ABORDA O LIVRO OS CONTOS MAIS ARREPIANTES DE HOWARD PHILLIPS LOVECRAFT

Howard Phillips Lovecraft é considerado o expoente máximo da literatura de horror do início do século XX, mas nem sempre o foi. Oriundo de famílias abastadas, a doença mental sempre acompanhou de perto os membros da sua família e após a morte dos pais, viu o seu querido avô endividar-se até o deixar com sérios problemas financeiros. Lovecraft passou por dificuldades, muito por conta da sua dedicação à literatura que pouco mais conseguiu, à época, do que ocasionais espaços em revistas e imprensa pulp fiction.

Mas aquele estranho homem que não gostava da luz do sol e amava gatos pretos foi uma figura real, de verdadeira importância naquilo que é considerado a fuga aos estereotipos literários. Na sua obra não encontramos bruxas, fantasmas, lobisomens ou vampiros. Vemos monstros horripilantes que saíram da sua imaginação e formaram uma verdadeira mitologia que, nos dias de hoje, é um marco indelével da literatura de género e inspiração para imensos escritores.

Resultado de imagem para os contos mais arrepiantes de howard phillips lovecraft saída de emergência
Fonte: https://observador.pt/especiais/o-intruso-o-medo-nos-contos-de-h-p-lovecraft-esta-de-volta/

Lovecraft foi um pioneiro no que diz respeito à mistura de ficção científica com terror, e o seu trabalho é considerado único e inimitável no que à dimensão e ao pormenor dizem respeito. Com edição de Luís Corte Real, o fundador da Edições Saída de Emergência que participou ainda no design de capa, arte e editorial, Os Contos Mais Arrepiantes de Howard Phillips Lovecraft é uma homenagem mais do que digna àquele que foi um artista incomparável, não obstante a sua morte precoce, aos 46 anos.

“Howard Phillips Lovecraft é um escritor único e intemporal que, conto após conto, consegue sempre fascinar-me.

Na senda do trabalho realizado o ano passado com a obra de Edgar Allan Poe, a Saída de Emergência volta a apostar numa seleção da melhor ficção de um aclamado autor de terror para mais uma maravilhosa edição em capa dura. O livro é ilustrado por 22 artistas nacionais, onde se encontram os nomes de Miguel Jorge, Miguel Ruivo, Joana Afonso, Luís Morcela, Bárbara Lopes, Fábio Veras, Carlos Fernandes, Ricardo Venâncio, Ricardo Cabral, Filipe Andrade, Raquel Costa, João Maio Pinto ou Leonor Pacheco. Mais uma fantástica edição de colecionador para juntar à estante.

Sem Título
Fonte: http://www.saidadeemergencia.com/produto/os-contos-mais-arrepiantes-de-h-p-lovecraft/

O livro foi apresentado no passado dia 6 de setembro no Cinema São Jorge, incluído no programa do MoteLX, com apresentação do realizador Edgar Pêra e do músico Paulo Furtado dos The Legendary Tigerman, que mostraram ainda excertos do projecto “3D LOVECRAFTLAND”. A obra terá ainda direito a uma exposição no Festival Bang!, no dia 27 de outubro.

Desde logo o livro deixa claro que não é um trabalho qualquer. O trabalhado da capa, à imagem do que fora feito com a obra de Edgar Allan Poe, é um complexo de detalhes incríveis e bem elaborados. No editorial de Luís Corte Real, testemunhamos a já habitual irreverência do editor, que deixa claro não sentir grande afeição pela pessoa que foi Howard Phillips Lovecraft, muito por conta das suas convicções racistas e xenófobas, aparte o seu respeito por ele enquanto autor.

Em seguida, temos uma muito completa biografia de Lovecraft pelas mãos de António Monteiro, um trabalho muito bem fotografado e detalhado sobre a vida e a obra do escritor, que nos deixa mais familiarizados com ele. Somos obrigados, ainda que inconscientemente, a associar detalhes da sua vida à obscuridade palpável da sua obra. Depois desse extraordinário trabalho de pesquisa, entramos então naqueles que são considerados os contos mais arrepiantes do escritor.

IMG_20181014_162802.jpg

Ao contrário do que tinha acontecido com a obra de Edgar Allan Poe, desconhecia muitos dos contos apresentados nesta colectânea, apesar de já ter lido pelo menos uns dez contos de Lovecraft. O Despertar de Ctulhu e O que Sussurra nas Trevas foram contos que já conhecia e, por isso, não os reli. Mas nestas 544 páginas de brilhantes contos e ilustrações, destaco o excelente trabalho de tradução por parte de João Henrique Pinto, José Manuel Lopes, Fernando Ribeiro, Tiago Rosa, João Catarino, Dora Reis e Sílvia Rodrigues, que não descuraram nenhum pormenor e realizaram um incrível trabalho de pesquisa espelhado nas inúmeras notas de rodapé que ajudam a compreender a por vezes confusa lógica de Lovecraft.

“Desde logo o livro deixa claro que não é um trabalho qualquer.

Com uma imaginação riquíssima, Lovecraft criou um panteão, Os Anciões, onde se encontram criações suas como Ctulhu ou Yog-Sothoth, concebendo ainda locais fictícios como a famosa cidade fictícia Arkham, onde se encontra o rio e a Universidade de Miskatonic, ou o vilarejo portuário de Innsmouth, assombrado por divindades aquáticas. Estas localidades fictícias foram usadas por inúmeros outros autores, mas permanecem eternamente como um marco da obra de Lovecraft, bem como o seu tenebroso livro proibido Necronomicon, um portal para criaturas das trevas escrito pelo árabe louco Abdul Alhazred, mais uma criação fictícia do autor.

Neste livro riquíssimo, destaco os contos Factos Acerca do Falecido Arthur Jermyn e Sua Família, pela riqueza dos detalhes e pela originalidade na ligação entre a cultura anglo-saxónica com o passado, As Ratazanas nas Paredes, onde um mal muito antigo reside numa construção de origens aparentemente romanas, A Abominação de Dunwich, O Intruso e Herbert West Reanimador, pelo tamanho horror que eles despertam, ou o pequeno A Música de Erich Zahn, onde Lovecraft desenha com mestria um conto sobre uma música poderosa e uma rua misteriosa que não mais é encontrada.

IMG_20181014_162742.jpg

O Medo Oculto, O Modelo de Pickman e O Aventesma no Escuro são outros contos bastante interessantes, ainda que me tenham parecido algo idênticos a outros que já havia lido do autor. A Sombra de Innsmouth e A Criatura na Soleira da Porta foram outros contos de grande interesse, mais focados no problema de Innsmouth e nas criaturas de natureza aquática. O único problema em ler esta obra de seguida, é que os contos às tantas começam a parecer repetitivos, daí que sugira que leiam um conto, separadamente, de vez em quando. A experiência será bem mais proveitosa.

Howard Phillips Lovecraft é um escritor único e intemporal que, conto após conto, consegue sempre fascinar-me. A sua escrita é bastante adjectivada e os pormenores são mais que muitos, mas essas características agradam-me muito. Lovecraft consegue despertar em qualquer um o horror palpável, ainda que as suas criações sejam tão fantasistas que poderíamos achar impossível de lhes dar crédito. Ele conseguiu dar-lhes forma e textura, levando à loucura os protagonistas das suas histórias, tão mortais e tão comuns como nós. Bem, talvez nem tanto.

Este livro foi cedido em parceria com a editora Saída de Emergência.

Avaliação: 8/10

 

4 comentários em “Estive a Ler: Os Contos Mais Arrepiantes de Howard Phillips Lovecraft

Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close