Estive a Ler: Três Coroas Negras, Três Coroas Negras #1


De pé, em cima do toro de madeira, as paredes do salão sombrio parecem-lhe pesadas, como se se fechassem sobre ela com o peso de todos os Arron que se encontram no interior. Vieram de toda a ilha para a ocasião. O 16.º aniversário das rainhas.

O TEXTO SEGUINTE ABORDA O LIVRO “TRÊS COROAS NEGRAS”, PRIMEIRO VOLUME DA SÉRIE TRÊS COROAS NEGRAS

Best-seller do New York Times, Três Coroas Negras foi bastante aclamado pela crítica young adult em 2016, ano em que saiu o livro. A autora é Kendare Blake, escritora natural da Coreia do Sul que cresceu nos EUA. Tem um mestrado em Escrita, pela Middlesex University em Londres e vive atualmente em Kent, no Washington. Com Anna Dressed in Blood, o seu romance de estreia, Kendare acumulou vários prémios e nomeações.

Em setembro deste ano foi lançado o terceiro volume da série Três Coroas Negras, Two Dark Reigns, quando a autora Kendare Blake já publicou algumas prequelas deste universo, também pela editora Harper Teen. No nosso país, Três Coroas Negras chegou no início de setembro deste ano, numa edição especial ComicCon Portugal 2018 pelas mãos da Porto Editora, uma edição lindíssima com 328 páginas e tradução de Alexandra Guimarães.

Resultado de imagem para three dark crowns
Fonte: https://onepageatatimeweb.wordpress.com/2016/10/06/three-dark-crowns-by-kendare-blake/

Salve-se quem puder! Três Coroas Negras apresenta-nos um mundo que, de tempos a tempos, vê três irmãs gémeas combaterem até à morte para que uma se torne a rainha de Fennbirn. Katharine, Arsinoe e Mirabella são as protagonistas deste livro, cada uma com o seu respetivo capítulo de ponto de vista. Elas foram premiadas com uma dádiva, mas também com a certeza de que apenas uma sobreviverá após o famoso baile de Beltane que festeja os seus dezasseis anos.

“Três Coroas Negras foi uma boa leitura, que podia tornar-se muito mais interessante e credível com uma roupagem mais adulta.

A dádiva é um dom de magia valioso e raro, apesar de qualquer pessoa poder utilizar tipos de magia mais baixa, magia esta que é olhada com preconceito. As três herdeiras da coroa foram separadas aos seis anos e treinadas no isolamento, tendo em vista despertar os seus dons. Desde essa idade, nunca mais possuíram contacto umas com as outras mas sabem que, para viverem, as suas irmãs terão de morrer. Para isso, treinam os seus dons até à exaustão.

Três coroas negras
Fonte: https://www.portoeditora.pt/produtos/ficha/tres-coroas-negras/20742693

Katharine é uma envenenadora, com o poder de manipular os venenos mais mortais, bem como de os ingerir sem que produzam no seu corpo efeitos letais. Está sediada na Mansão de Greavesdrake em Indrid Down, vigiada e treinada bem de perto pelas irmãs Arron, Natalia e Genevieve. A vida de Katharine parece solitária e cruel, sem muitas demonstrações de afeto, até à chegada de um sobrinho de Natalia, o galante Pietyr.

Arsinoe deveria ter o dom de forjar uma ligação com um animal, afinal é uma naturalista, mas o despertar da sua dádiva parece demorado. Vive em Wolf Spring, onde o contacto com a natureza é profundo. Cinco anos antes, a tentativa de fugir da ilha com os seus amigos Juillenne “Jules” Milone e Joseph Sandrin resultou na separação entre as jovens e o rapaz, que fora banido da ilha por cinco anos, e no exílio de Caragh, tia de Jules.

Resultado de imagem para three dark crowns
Fonte: http://thereadingescapadereviews.blogspot.com

Jules é a naturalista mais poderosa da ilha, filha de Madrigal e a melhor amiga de Arsinoe. Forjou uma ligação com um puma de nome Camden, que a acompanha para todo o lado, e tenta ajudar Arsinoe a despertar a sua dádiva. Tem um amor de infância por Joseph, que se reacende quando este regressa à ilha, acompanhado por um jovem continental chamado William Chatworth Junior, mais conhecido por Billy, um dos pretendentes à futura rainha… seja ela quem for.

“O choque entre os Arron, poderosos envenenadores, e as sacerdotisas do Templo, é colossal.”

Por sua vez, Mirabella é uma elemental, capaz de produzir fogo e manusear os ventos à sua vontade. Das três irmãs, é a mais poderosa e bem preparada. Mirabella vive no Templo, cercada de sacerdotisas castradoras e vingativas que passam o tempo a instigá-la contra as irmãs. Ali, ela apenas conta com a amizade de Bree e Elizabeth. Mas, apesar de todo o seu poder e de todo a intriga em que é tecida, ela recorda-se de Katharine e Arsinoe e não consegue odiá-las.

Imagem relacionada
Fonte: https://news.readmoo.com/2017/08/06/three-dark-crowns/

A narrativa acompanha estas irmãs e as várias personagens que as seguem, revelando um mundo vasto e cheio de potencial. A história agrada-me, sobretudo porque o passado das personagens é muito rico e são tecidas várias subtramas e intrigas ao longo do livro. O choque entre os Arron, poderosos envenenadores, e as sacerdotisas do Templo, é colossal. Se bem que ainda me pareça que tenhamos visto pouco de Natalia e de Luca.

A trajectória das personagens foi bem gizada, ainda que Katharine, a primeira a nos ser apresentada, tenha sido menos desenvolvida que as restantes. Gostaria de ter visto mais interação entre ela e as irmãs Arron e encontrar mais nuances nos seus relacionamentos. Mesmo assim, a narrativa segue um bom ritmo, a escrita é simples mas fluída e principalmente a ação que envolve os naturalistas e os acontecimentos do passado em Wolf Spring foram agradáveis.

Imagem relacionada
Fonte: https://ravenscratch.tumblr.com/post/168970597812/queen-mirabella-three-dark-crowns

A trama fecha com chave de ouro. Kendare Blake não abusou dos plot-twists, mas dois acontecimentos em especial surpreenderam no fim do livro. Estou a falar de uma atitude de Pietyr e de uma descoberta de Arsinoe, mas como calculam não vos irei estragar a surpresa. Desiludiu-me a mudança de perspectiva de Mirabella, bem como a falta de um combate ou de um fim mais sentenciador para este primeiro volume.

Três rainhas negras,
Fruto da mesma terra.
Três gémeas meigas,
Agora entrarão em guerra.

Três irmãs negras –
Quais delas não se adivinha –
Mas duas terão de morrer:
Só uma será rainha.

A linguagem juvenil é um dos meus problemas com este livro. Sei que é um YA e se quero ler literatura juvenil tenho que engolir estes pormenores, mas não posso recomendar este livro a quem partilhe dos meus gostos literários. A história e as personagens são muito bons, a escrita é elegante e o ritmo é excelente, mas por vezes sentia que estava a ler uma história das Winx, pela maneira como as personagens se comunicavam. O que, a meu ver, é uma pena.

Pietyr e Joseph foram dos meus personagens masculinos preferidos, pelo background. Porque a nível de postura e de caracterização são do mais cliché no género, os típicos Kens lá do sítio. Nessa medida, podemos também incluir Billy. Gostei, porém, que o principal par amoroso não tenha sido protagonizado por nenhuma das três irmãs e apesar do tremendo foco em assuntos do coração e ódios sem propósito, acabei por sentir que Três Coroas Negras foi uma boa leitura, que podia tornar-se muito mais interessante e credível com uma roupagem mais adulta.

Avaliação: 5/10

Três Coroas Negras (Porto Editora):

#1 Três Coroas Negras

#2 Um Trono Negro

#3 Dois Reinos Negros

Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close