Estive a Ler: A Sombra do Vento


Ainda me lembro daquele amanhecer em que o meu pai me levou pela primeira vez a visitar o Cemitério dos Livros Esquecidos.

O TEXTO SEGUINTE ABORDA O LIVRO A SOMBRA DO VENTO

Quem não gostaria de encontrar um cemitério destes? Carlos Ruiz Zafón nasceu em Barcelona em 1964. Iniciou a carreira literária em 93 com El Príncipe de la Niebla, que venceu o Prémio Edebé, a que se seguem El Palacio de la Medianoche, Las Luces de Septiembre, reunidos no volume La Trilogía de la Niebla, e Marina. Em 2001 publicou este A Sombra do Vento, que rapidamente se transformou num fenómeno literário internacional.

A sua obra foram traduzida em mais de quarenta línguas, coleccionando prémios e milhões de leitores nos cinco continentes. Atualmente, Zafón reside em Los Angeles, onde trabalha nos seus romances, e colabora habitualmente com La Vanguardia e El País. A minha tradução de A Sombra do Vento pertence à edição de 2004 da D. Quixote, com tradução de J. Teixeira de Aguilar e um total de 400 páginas.

Resultado de imagem para shadow of the wind gif
Fonte: https://giphy.com/gifs/black-and-white-animation-library-flhxqwkhJb0nm

Zafón estava na minha black list desde que em 2014 me desiludi imenso com o primeiro livro que dele li. Cheguei ao seu romance mais famoso com imensos anticorpos, anticorpos esses que se dissiparam nas primeiras páginas deste extraordinário romance. A Sombra do Vento é um livro muito mais maduro e completo do que O Palácio da Meia-Noite, o que revela também um maior amadurecimento por parte do escritor.

“Uma trágica história de amor que atravessa o tempo.

A Sombra do Vento é um thriller histórico cheio de suspense e muitíssimo bem escrito, retratando de forma consistente e mágica a Barcelona dos meados do séc. XX. A vivacidade mística das cidades é uma das características mais marcantes deste autor, mas desta vez Zafón não misturou elementos fantásticos de forma demasiado explícita e descarada na sua narrativa, o que mais me desagradara no autor espanhol.

Sem Título 3
Fonte: https://www.fnac.pt/A-Sombra-do-Vento-Carlos-Ruiz-Zafon/a180867

O livro começa em 1945, quando o pequeno Daniel Sempere é levado pelo pai a um lugar mítico da Barcelona de então: O Cemitério dos Livros Esquecidos. Ali, é-lhe dada a possibilidade de levar um livro à sua escolha. Entontecido pela magnificência e dimensão do lugar, o menino de dez anos escolhe um livro chamado A Sombra do Vento de um escritor de que nunca ouvira falar: Julián Carax. Apaixonado pela história sombria e pelo mistério em volta do escritor, uma vez que poucos foram os que ouviram falar dele, Daniel dedica-se a destrinçar a vida do autor.

Rapidamente o interesse de Gustavo Barceló o leva a frequentar a sua casa, onde Daniel se perde de amores pela sua filha Clara, um rapariga cega dez anos mais velha que o menino. Iludido pelas emoções, Daniel torna-se presença assídua na casa, lendo A Sombra do Vento à jovem cega, passando depois para outros livros. A relação com os Barceló termina abruptamente, quando percebe que as intenções de Clara para consigo não são as melhores.

Imagem relacionada
Fonte: http://we-live.fr/rituel-du-hammam-chez-soi-naturel

Os encontros com uma estranha figura de rosto destruído que tenta incendiar o trabalho de Caráx adensa a sua curiosidade em torno do autor. Daniel cresce a trabalhar na livraria do pai, a única pessoa que tem na vida desde a morte da mãe. Ganha afinidade e apreço por um mendigo chamado Fermín Romero de Torres, um espertalhão de boca suja que rapidamente se torna empregado da loja e o seu melhor amigo.

“A Sombra do Vento é um thriller histórico cheio de suspense e muitíssimo bem escrito, retratando de forma consistente e mágica a Barcelona dos meados do séc. XX.”

Mas o fascínio sobre Julián Carax não esmorece e rapidamente descobre pormenores escabrosos sobre a vida e a morte do escritor. Ao mesmo tempo que conhece a misteriosa Nuria Montfort e se apaixona por Beatriz Aguilar, irmã do seu amigo Tomás, torna-se um alvo a abater por parte de um alto graduado da polícia, o misterioso e intragável Francisco Javier Fumero, figura também ligada ao passado do lendário escritor.

Imagem relacionada
Fonte: https://curiosaetc.wordpress.com/2017/12/26/lector-in-fabula-2/

A Sombra do Vento é um mistério literário que alude ao amor e à magia pelos livros. Qualquer um que adore thrillers, livros e viagens não tem como não amar este livro. Por vezes perde-se em demasiados pormenores sobre o passado das personagens, com páginas e páginas de pormenores que pessoalmente não me agradaram, mas isso em nada melindra a qualidade do livro.

É um suspense de tirar o fôlego, que só nos deixa respirar fundo quando chegamos à última página. Pessoalmente, adorei certos pormenores, como o “anúncio da morte” do protagonista ou a chegada do mesmo a algumas conclusões sem que o leitor fosse avisado disso. Mas mais do que tudo, o convite do autor para conhecer a cidade através das suas páginas deixa claro que A Sombra do Vento de Carlos Ruiz Zafón não ficará atrás do fictício A Sombra do Vento de Julián Carax. Uma trágica história de amor que atravessa o tempo.

Avaliação: 8/10

Imagem de capa: https://www.barcelonacheckin.com/en/r/barcelona_tourism_guide/articles/carlos-ruiz-zafon.php (Reprodução)

6 comentários em “Estive a Ler: A Sombra do Vento

  1. Viva,

    Já li à imenso tempo mas tambem foi uma leitura que me agradou imenso 🙂

    Abraço

    1. Boas.

      Ainda bem. 🙂

      Grande abraço e boas leituras.

Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close