Estive a Ler: Mecânica Orbital, Descender #4


… Porque é que não prestei mais atenção nas aulas de electrónica na academia?

O TEXTO SEGUINTE ABORDA O LIVRO “MECÂNICA ORBITAL”, QUARTO VOLUME DA SÉRIE DESCENDER (FORMATO BD)

Este é o ano de Jeff Lemire em Portugal, com tantas das suas obras a serem traduzidas na nossa língua. Mas Descender foi aquela que me apresentou a este extraordinário argumentista. Autor best-seller do New York Times, Lemire tem já uma sólida carreira como escritor e artista de romances gráficos. Venceu em 2008 e 2013 o Shuster Award for Best Canadian Cartoonist, que premeia o melhor artista de BD canadiano. Foi também nomeado oito vezes para os prémios Eisner, e venceu em 2017 com a sua série de super-heróis Black Hammer o prémio de Melhor Nova Série, e de novo em 2019 com Gideon Falls.

Dustin Nguyen é um artista de comics best-seller dos EUA, conhecido por obras como Wildcats v3.o, The Authority Revolution, Batman, Superman/Batman, Detective Comics, Batgirl e Batman: Streets of Gotham. É também um dos mais requisitados artistas atuais de capas para as grandes editoras americanas. Com Descender, Dustin Nguyen venceu por duas vezes o Prémio Eisner para Melhor Arte Pintada, um dos mais prestigiados dos comics. O quarto volume, Mecânica Orbital, inclui os números #17 a #21 de Descender.

Sem Título
Fonte: G Floy Studio

E eis que Descender volta a carregar no acelerador e a deixar-me atordoado com a sua eficácia. Como se esperava, depois do episódio de retrospetiva que foi o terceiro volume, o quarto trouxe um ritmo altíssimo e a evolução narrativa é visível. Não posso dizer que o percurso narrativo fuja totalmente a clichés, mas a verdade é que não é essa a proposta. A proposta é dar um prato cheio aos fãs de fantasias espaciais e Descender dá 10 a 0 a qualquer Star Wars.

“Um álbum incrível que peca por curto, com um ritmo excelente e uma sobreposição de planos extraordinária.

De entre as personagens, não sei qual delas a melhor. Temos vindo a conhecê-los a pouco e pouco, não existe um protagonista claro mas aquele naipe de personagens principais é delicioso. A narrativa é abrangente, deliciando o leitor comum e não decepcionando o mais exigente, mas funciona sobretudo porque é oferecida com uma fluidez que parece ao mesmo tempo lenta e rápida. Há um clima de cadência quase outonal, que não se perde em nenhum momento. Sem darmos conta, o álbum chega ao fim.

Sem Título
Fonte: G Floy Studio

Descender continua a maravilhar com o seu mundo onde os andróides se transformaram em foras-da-lei, alvos de caçadores de prémios que proliferam como cogumelos por toda a galáxia. TIM-21, Telsa e o Dr. Quon conseguem finalmente escapar da Lua Máquina, e partir em busca de um mítico robô ancião que pode ser a chave para o problema dos Colectores. A capitã e o cientista entram em desacordo, enquanto o menino mostra que nem tudo o que parece… é.

Andy e os restantes sobreviventes de Gnish perseguem TIM, mas a sua frágil aliança vai ser posta em causa. Andy e Effie lidam com as suas emoções, com o que sentem um pelo outro, pelo que foram e pelo que são. Até que o cão robot solta uma revelação que os coloca em rota de colisão com a Lua Máquina e a verdade sobre o menino por quem todos guardam grande afeto.

Sem Título
Fonte: G Floy Studio

Nesta odisseia pelo espaço repleta de dinamismo, movida pela força das emoções, vemos homens e máquinas numa luta nunca antes vista pela sua própria humanidade. Descender afirma-se como uma das grandes space operas da banda desenhada atual, num trabalho de grande mérito da dupla Jeff Lemire e Dustin Nguyen, cujas marcas não têm deixado dúvidas sobre o seu valor.

Um álbum incrível que peca por curto, com um ritmo excelente e uma sobreposição de planos extraordinária. A arte de Nguyen não me agradou desde o início, mas é daquelas que primeiro se estranham e depois se entranham. Não há dúvidas de que é um dos melhores artistas da atualidade. É caso para qualquer um ficar assoberbado com aquela divisão de planos e de acontecimentos em que tudo parece acontecer ao mesmo tempo. Mecânica Orbital é para os bons.

Avaliação: 9/10

Descender (G Floy Studio Portugal):

#1 Estrelas de Lata

#2 Lua Máquina

#3 Singularidades

#4 Mecânica Orbital

#5 Ascensão das Máquinas

Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close