Estive a Ler: Oathbringer, The Stormlight Archive #3 (+ Edgedancer)


I will take responsibility for what I have done. If I must fall, I will rise each time a better man.

O TEXTO SEGUINTE ABORDA O LIVRO “OATHBRINGER”, TERCEIRO VOLUME DA SÉRIE THE STORMLIGHT ARCHIVE, E A SUA NOVELETA ADJACENTE, “EDGEDANCER”

Quem disse que livros perfeitos não existem? Ok, nem tanto. Brandon Sanderson anunciou no final de 2019 o lançamento do quarto volume de The Stormlight Archive para o outono de 2020, pelo que não perdi tempo em pegar no terceiro volume, Oathbringer, lançado em 2017. O livro foi publicado pela Tor Books, com um total de 1248 páginas.

Sanderson é conhecido essencialmente pela saga Mistborn, mas também por ter terminado a série de fantasia épica A Roda do Tempo de Robert Jordan, após o falecimento deste. Definiu também as leis da magia na ficção fantástica e criou uma rede bem estruturada de sagas passadas no mesmo universo: a Cosmere, com várias personagens e ingredientes que se cruzam e interferem, como são caso as trilogias Mistborn, Elantris, Warbreaker e a BD White Sand.

Sem Título
As badass Jasnah e Shallan | Fonte: https://www.pinterest.pt/pin/67202219426183254/

Depois de ter lido os dois primeiros livros da saga The Stormlight Archive em 2019, tornou-se obrigatório ler o terceiro volume, o último que saiu, o quanto antes. Fui avisado, porém, que convinha ler a short-story de Brandon Sanderson Edgedancer, antes de avançar para o calhamaço de mil e tal páginas que é Oathbringer, ou deixaria escapar um bom punhado de referências. Mas, como os fãs de Sanderson já sabem, uma short-story do autor dificilmente terá menos de cem páginas. Edgedancer foi mais uma vez prova disso. A “short-story” tem 226 páginas.

“Alia uma estrutura e desenvolvimento de personagens à George R. R. Martin, com muita magia e portais que quase fazem lembrar Stargate. Sim, Oathbringer é isto.

A trama acompanha Lift, uma personagem já mencionada em Words of Radiance e pela qual ainda não tinha criado grandes expectativas nem interesse. É uma ladra que agrada ao jovem imperador Prime Aqasix e é levada para a corte de Azir, mas as dificuldades de adaptação levam-na a regressar à sua “casa” de partida. Complexa e de personalidade não propriamente fácil, a reshi Lift possui um carácter aparentemente forte e ideias fixas.

Sem Título
Capa | Fonte: https://www.amazon.es/Oathbringer-Stormlight-Archive-Brandon-Sanderson/dp/0765365294
ALERTA: ESTE TEXTO PODE CONTER MINOR SPOILERS

Edgedancer retrata as suas aventuras, explora as suas capacidades e a sua relação com o seu spren, Wyndle, a quem passa a vida a irritar. O título, Edgedancer, trata da Ordem dos Edgedancers, uma ordem de Knights Radiant a que Lift descobre pertencer, e o que a faz vincular-se a cultivationsprens. A relação entre Lift e Wyndle faz o livro, assemelhando-se em muitos aspetos à relação entre Shallan Davar e Pattern na saga, mas pessoalmente achei a personagem mais parecida com a Vin de Mistborn.

A história serve também para alumiar o leitor em alguns conceitos menos compreensíveis da Cosmere. Personagens que aparecem na saga são também mencionadas e várias ideias para o futuro de The Stormlight Archive são polvilhadas como pistas. Até porque Lift terá um papel de destaque nos livros de #5 a #10 da série, como Brandon Sanderson o revelou. A queda de um deus e a proclamação das palavras de um Knight Radiant são os momentos + na história de uma menina até ali bem solitária.

Sem Título
Szeth | Fonte: https://www.pinterest.pt/pin/834995587138937402/

Mas vamos ao que realmente interessa: o tijolo Oathbringer. Depois de não ter ficado tão fascinado com o segundo volume do que fiquei com o primeiro, temi que a qualidade da série viesse a diminuir, uma vez que o final do segundo volume transformou tudo, enchendo de magias e poderes mágicos personagens até ali muito humanos e que haviam sido estupidamente bem desenvolvidos. O que Brandon Sanderson consegue fazer neste terceiro livro é magistral. Alia uma estrutura e desenvolvimento de personagens à George R. R. Martin, com muita magia e portais que quase fazem lembrar Stargate. Sim, Oathbringer é isto.

O livro começa do ponto onde terminou o segundo volume. A humanidade enfrenta um novo obstáculo colossal com o regresso dos terríveis Voidbringers, um inimigo tão eterno quanto numeroso. No final do segundo volume, as hordas alethi de Dalinar Kholin venceram com dificuldade os inimigos Parshendi, não impedindo porém que estes convocassem a horrível Everstorm, uma tempestade gigantesca que destrói o mundo por onde passa e que transforma, à sua passagem, os parshmen. Servis e dedicados Parshendi feitos escravos, os parshmen ganham instintos de vingança ao serem beijados por esta tempestade.

Sem Título
O caminho para a Hearthstone ❤ | Fonte: https://www.17thshard.com/forum/gallery/image/2895-path-to-hearthstone/

Kaladin Stormblessed tenta avisar a sua família para a catástrofe esperada, mas ao chegar a casa depara-se com muitas surpresas, sobre os pais e sobre a gestão de Hearthstone por parte do citylord Roshone, o que lhe traz várias lembranças e revelações sobre o passado, quando seguiu o seu irmão Tien para o serviço militar na armada de Meridas Amaram. Ao mesmo tempo, Kaladin questiona os motivos dos parshmen e o quão ilegítima é a sua pretensão de vingança. O tempo, porém, mostra-lhe que o único caminho para a sobrevivência é enfrentar The Fused, os spren dos parshmen mortos, e os desígnios de Odium.

Por sua vez, Shallan Davar vê-se dividida entre as identidades que criou, procurando usar Veil nos momentos mais desesperantes, sempre com a ajuda do seu spren Pattern. Junto de Renarin e de alguns membros da Bridge Four, Shallan procura na antiga torre dos Knights Radiant em Urithiru por indícios que possam ajudá-la a compreender como vencer Odium e os Voidbringers. Mas o que descobre é muito mais assustador. Para terminar, descobre que a sua mentora, Jasnah Kholin, está viva. A sobrinha de Dalinar é um importante reforço na luta intelectual contra o inimigo.

Sem Título
Kaladin e a sua spren Syl | Fonte: https://www.pinterest.pt/pin/550987335662715278/

Sempre com o essencial apoio de Navani, Dalinar vê-se a braços com mil e um problemas. Unir todas as nações de Roshar é a única saída que vê, mas conseguir criar uma aliança entre todos os povos parece uma tarefa impossível, e demasiado tarde para o lograr. Mas a ajuda preciosa dos Oathgates (uma espécie de portais que unem pontas distintas do planeta e mesmo de dimensões) e o surpreendente apoio do seu sobrinho e rei Elhokar, são bónus que não pode desperdiçar, assim como as visões e as conversas com um ser… de outro patamar.

Taravangian e os membros do Diagram vão revelando a pouco a pouco os seus intentos, não deixando de ser uma espinha nos planos de Dalinar. E apesar de sempre ter sido um opositor de peso, a morte de Torol Sadeas torna-se mais um obstáculo que um desafio para a proposta de Dalinar Kholin. Dois homicídios aparentemente idênticos são colocados sob a investigação do seu filho Adolin, que face ao que sabe não vê naquilo qualquer sentido.

Sem Título
O bondsmith Dalinar Kholin | Fonte: https://stormlightarchive.fandom.com/wiki/Dalinar_Kholin

Shallan tornou-se uma das minhas personagens preferidas e as suas interações com Adolin e Kaladin são excelentes. Adorei a batalha de Kholinar e a personagem Azure. As conversas de Szeth com uma espada fenomenais. Ficamos a saber mais sobre os Parshendi através de Venli, a irmã de Eshonai, a trama que envolve Amaram é muito boa e o desenvolvimento de Moash awesome. Dalinar Kholin é a personagem protagonista deste livro, que conhecemos melhor através dos capítulos flashback, e eles não desiludem.

Sanderson consegue mover muito bem as suas personagens, sem que pareça que eles estão sempre a fazer o mesmo ou a mudar de cenário demasiado depressa. Os arcos são bem desenvolvidos e o entrosamento das personagens é muito bom. O autor faz as personagens permanentemente questionarem-se a si mesmas, o que as torna credíveis. Das relações às descrições, o mundo está repleto de fantasias irrealistas, e ele consegue fazer-nos acreditar nelas.

Sem Título
Fonte: https://vocal.media/geeks/stormlight-archive-book-3-oathbringer

Inicialmente divididos e com muito trabalho a fazer, os protagonistas de The Stormlight Archive não param muito num único lugar, ao contrário do que vinha acontecendo nos livros anteriores. Vários países são aqui apresentados, culturas distintas e muito ricas. Oathbringer é mesmo um livro incrível com a diversidade étnica e desenvolvimento de personagens que apresenta, sem perder o fio à meada e oferecendo maturidade e consistência à trama.

Sem tempos mortos, apesar de muitos capítulos do ponto de vista de personagens menores, Oathbringer desenvolve a história de forma muito coesa, oferecendo frases de efeito, momentos marcantes, uma ação incrível e revelações extraordinárias sobre a trama. O número de personagens é imenso, algo só visto de semelhante talvez nas Crónicas de Gelo e Fogo, e mesmo assim nem tantos com tanta importância. Confesso que em muitos momentos me senti perdido sobre quem era determinada personagem.

Resultado de imagem para brandon sanderson gif
Obrigado! | Fonte: https://www.17thshard.com/forum/topic/87623-brandon-sanderson-gif-2/

Mesmo os sistemas de magia aqui apresentados são complexos e nem sempre os consegui compreender bem. O Cognitive Realm é aqui explorado, é revelado mais sobre Odium, os Heralds, os Knights Radiant e os sprens, temos mais participações do sempre “adorável” Wit (ou Hoid, como preferirem), e personagens de outras histórias de Sanderson têm aqui a sua participação. De Edgedancer, Lift começa na segunda metade do livro a ganhar dimensão. De Warbreaker, dois dos protagonistas aparecem aqui, com outros nomes e muita importância.

Oathbringer é mais um livro enorme, e essa imensidão de páginas por vezes torna a leitura desanimadora, mas repleto de emoções, revelações, batalhas e lutas inesquecíveis, com um punhado de personagens riquíssimas e fantásticas que não deixam antever o rumo que a saga vai tomar. Eu só me pergunto que surpresas tem ainda Brandon Sanderson na manga, e o que ele ainda reserva para as nossas personagens preferidas.

Avaliação: 10/10

Nota: À short-story Edgedancer atribuo a avaliação 8/10.

Cosmere:

The Stormlight Archive (Tor Books):

#1 The Way of Kings

#2 Words of Radiance

#2.5 Edgedancer

#3 Oathbringer

Mistborn Era 1 (Saída de Emergência):

#1 O Império Final

#2 O Poço da Ascensão

#3 O Herói das Eras Parte 1

#4 O Herói das Eras Parte 2

Mistborn Era 2 (Leya):

#1 A Liga da Lei

#2 As Sombras de Si Mesmo

#3 Os Braceletes da Perdição

Mistborn (Tor Books):

#1 Mistborn: Secret History

Warbreaker:

#1 Warbreaker

White Sand (Dynamite):

#1 White Sand Volume 1

#2 White Sand Volume 2

#3 White Sand Volume 3

Elantris (Leya):

#1 Elantris

#* The Emperor’s Soul

Mulheres Perigosas (Saída de Emergência)

#* Sombras Para Silêncio nas Florestas do Inferno

(*) conto incluído em antologia

21 comentários em “Estive a Ler: Oathbringer, The Stormlight Archive #3 (+ Edgedancer)

  1. Viva,

    Bolas o que posso dizer ? Porque a SDE não inclui esta serie no Catalogo da Coleção BANG! ? Era só isso que era necessário e eramos todos mais felizes 😀

    Abraço

    Fiacha

    1. Viva.

      Ui. Seria muito complicado. Se não continuam o Erikson que está terminado, muito menos este. 😩 Quem sabe daqui a uns anitos.

Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close