Estive a Ler: Jesus Cristo Bebia Cerveja


Parece que a morte vem sempre à tona de água.

O TEXTO SEGUINTE ABORDA O LIVRO JESUS CRISTO BEBIA CERVEJA

Jesus Cristo Bebia Cerveja é um livro de 2012 do autor lusitano Afonso Cruz, um dos grandes nomes da literatura nacional contemporânea, também conhecido por obras como Os Livros Que Devoraram o Meu Pai, Para Onde Vão os Guarda-Chuvas, Flores ou Princípio de Karenina. A obra foi publicada em Portugal pela editora Alfaguara e foi finalista do Grande Prémio de Romance e Novela da APE 2012. Apesar de ter várias edições posteriores, chegou-me às mãos a primeira, com um total de 252 páginas.

Além de escritor, Afonso Cruz é também ilustrador, cineasta e músico da banda The Soaked Lamb. Nasceu em 1971, na Figueira da Foz, e viria a frequentar mais tarde a Escola António Arroio, em Lisboa, e a Escola Superior de Belas Artes de Lisboa, assim como o Instituto Superior de Artes Plásticas da Madeira e mais de cinquenta países de todo o mundo. Desde 2019, Cruz recebeu inúmeros prémios e distinções.

Sem Título
O autor, Afonso Cruz | Fonte: https://visao.sapo.pt/visaose7e/livros-e-discos/2016-12-26-nem-todas-as-baleias-voam-de-afonso-cruz-a-capacidade-de-voo-dos-cetaceos/

Conhecer mais autores nacionais é uma das minhas metas para 2020 e, como tal, Afonso Cruz era leitura obrigatória. Defini Jesus Cristo Bebia Cerveja como primeiro livro por este me ter vindo parar às mãos por casualidade, mas qualquer outro do autor seria sugestivo. Estipulei esta leitura para março, acabando por inverter um pouco os meus planos e ela ter sido antecipada um mês.

“Através de várias imagens (exageradas, ou talvez não?) o autor faz-nos reflectir e bem sobre regionalismo, sobre convicções, sobre intenções e sobre fé.”

Os títulos dos livros de Cruz são todos eles promissores e aliciantes, e pode-se dizer que o conteúdo não lhe fica atrás. Da escrita à narrativa, tudo neste livro foi para mim sui-generis, o que, não sendo de maneira nenhuma uma crítica, também não me arrebatou como por momentos julguei que acontecesse. Não me entusiasmou por aí além, como também não me desiludiu.

Sem Título
Capa da Alfaguara | Fonte: https://www.kobo.com/us/en/ebook/jesus-cristo-bebia-cerveja-3

A escrita de Afonso Cruz é bonita, poética e filosófica, em alguns momentos cansativa – algo que tenho vindo a detectar bastante em autores nacionais, como Valter Hugo Mãe ou António Lobo Antunes. Ainda assim, faz da prosa de Cruz qualquer coisa de especial, qualquer coisa de rico, qualquer coisa de interessante, e muito por “culpa” dela vou querer ler mais deste autor, para tirar ilações mais definitivas.

A narrativa é algo confusa, começando com várias histórias desconexas e até um tanto ou quanto caricaturais, mas que, quer através de metáforas, quer através de análises comportamentais, traços de profunda humanidade e tradicionalismo, acabam por refletir a alma da ruralidade nacional em contraste com o que é a erudição e a pseudo-erudição cosmopolita.

Resultado de imagem para wtf gif
WTF! | Fonte: https://www.pinterest.at/pin/105271710019155153/

Rosa é uma rapariga inculta do campo, que chupa pedras para relembrar dores do passado. Foi criada no Alentejo, que a avó compara frequentemente a um cemitério. A avó, Antónia, está a definhar, e quer ir a Jerusalém antes de morrer. Ari, o pastor, descobre a sexualidade com a rapariga. E a rapariga vê-se no epicentro de um escândalo sexual, entre a sua colega Matilde e o patrão, Santos & Santos.

O que pode mudar na vida destas personagens, quando elas se cruzam com o Professor Borja, um obcecado pelas ciências, ou com a inglesa Miss Whittemore, que dorme dentro de uma baleia? É que eles podem providenciar a Antónia a tão desejada visita a Jerusalém, sem nem sequer sair do Alentejo. Como? Para saber, o melhor é agarrar no livro e ler, sem preconceitos nem ideias preconcebidas.

Com traços de humor negro, crítica social, religiosa e aos “bons velhos costumes”, Jesus Cristo Bebia Cerveja oferece uma narrativa que seria frugal, frágil e vulgar, não fosse a riqueza de detalhes, as metáforas e a escrita requintada que o autor oferece. É sem dúvida um livro polémico por todo o desejo, inveja e preconceito que a sociedade incute em Rosa, mas são as camadas que Cruz aí coloca que lhe dão real valor.

Sem Título
A Última Ceia | Fonte: https://ressignificartreinamentos.com.br/blog.html

Através de várias imagens (exageradas, ou talvez não?) o autor faz-nos reflectir e bem sobre regionalismo, sobre convicções, sobre intenções e sobre fé. No entanto, e apesar de ser um livro relativamente curto de páginas, notei alguma dificuldade em engrenar na leitura, talvez porque só perto do meio do livro percebi ao certo qual era o plot do mesmo, sobre o que falava ele ao certo.

Transposta essa dificuldade, acabei por achar imensa piada ao livro, tanto pelas reflexões complexas e interessantes do autor, como pela caricatura que permeia todas as páginas, sendo ao mesmo tempo uma leitura pretensiosa e intelectualmente complexa e um romance divertido, aparte os seus desenlaces mais ou menos impossíveis. Afonso Cruz é um autor a revisitar.

Avaliação: 6/10

5 comentários em “Estive a Ler: Jesus Cristo Bebia Cerveja

  1. Viva,

    Um titulo de livro que não deixa de ser interessante 😀

    Nunca li nada do escritor mas pelo que tenho visto tem uma legião de admiradores, quem sabe um dia venha a ler 🙂

    Abraço

    1. Quem sabe 😂😂

      Obrigado pelo comentário, abraço

Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close