Estive a Ler: As Vinhas da Ira


A superfície da terra tornou-se dura, com uma crosta leve, e, assim como o céu se descorou, assim a terra empalideceu, tornando-se rosada, na região vermelha, e branca, na região cinzenta.

O TEXTO SEGUINTE ABORDA O LIVRO AS VINHAS DA IRA

Uma leitura imprescindível! Um dos grandes clássicos da literatura moderna, The Grapes of Wrath é um livro do escritor norte-americano John Steinbeck, publicado em 1939, tendo vencido o National Book Award e o Pulitzer de ficção, e sendo citado com destaque quando Steinbeck recebeu o Prémio Nobel de Literatura em 1962. O livro foi traduzido para português como As Vinhas da Ira, um relato único sobre os tempos da Grande Depressão nos EUA.

As Vinhas da Ira é com frequência lido nas aulas de literatura dos ensinos secundário e universitário nos EUA devido ao seu contexto histórico e ao seu significado na literatura norte-americana. Foi adaptado para o cinema em 1940 num filme com Henry Fonda no principal papel e dirigido por John Ford. A edição dos Livros do Brasil tem um total de 576 páginas e tradução de Virgínia Motta.

Sem Título
Filme de 1940 | Fonte: https://www.latimes.com/opinion/opinion-la/la-ol-grapes-of-wrath-john-steinbeck-75th-anniversary-20140428-story.html

Não tendo sido uma leitura que me assoberbou, As Vinhas da Ira de John Steinbeck é um livro essencial para compreender as dificuldades de um povo face a crises económicas, uma aprendizagem e reflexão sobre os tempos complicados que se viveram um pouco por todo o mundo. Acompanhamos uma família obrigada a abandonar as suas origens, as terras que amavam, em busca de uma vida melhor, não por escolha mas por necessidade.

“A intenção de Steinbeck foi sobretudo chamar a atenção aos verdadeiros culpados da grave crise económica que ali ocorreu.

Este é daqueles livros que todos nós já ouvimos falar um dia. Foi-me recomendado lá no ensino secundário, mas acabei por me decidir a ler apenas agora. É um clássico da literatura mundial e um dos mais importantes da literatura norte-americana. Como entretenimento, não é a melhor opção, e posso dizer que senti-me várias vezes entediado com a leitura, mas tenho os maiores elogios para com a escrita do autor. Maravilhosa.

Sem Título
Capa | Fonte: https://www.livrosdobrasil.pt/produtos/ficha/as-vinhas-da-ira/19677777

Entre 1930 e 1939, as grandes planícies do Texas e do Oklahoma foram assoladas por centenas de tempestades de poeira que causaram um desastre ecológico sem precedentes, agravaram os efeitos da Grande Depressão e deixaram cerca de meio milhão de americanos sem casa. Tudo isso provocou o êxodo de muitos deles para Oeste, nomeadamente para a Califórnia, em busca de trabalho.

Quando os Joad perdem a quinta de que eram rendeiros no Oklahoma, juntam-se a milhares de outros que ao longo das estradas se dirigem para o Oeste, no sonho de conseguirem uma terra que possam considerar sua. Noite após noite, eles e os seus companheiros de desgraça inovam na construção de toda uma sociedade. Líderes novos são escolhidos, são definidos novos códigos de conduta e de generosidade, lidando com distintos momentos de violência, desejo e acessos de raiva.

Sem Título
Filme de 1940 | Fonte: https://www.empireonline.com/movies/reviews/grapes-wrath-review/

As Vinhas da Ira é, acima de tudo, um romance sobre a dignidade humana em condições desesperadas. A personagem principal, Tom Joad, regressa a casa depois de sair da prisão e reencontra a família, já preparada para abandonar a sua terra, após um ano de colheitas desastrosas e também vítimas da ocupação da terra pelos donos originais e a sua maquinaria. Sendo impossível manter de pé a propriedade, os Joad não têm outra opção que não abandoná-la e partir em busca de uma vida nova.

Pegando nos poucos pertences que lhes resta, compram um velho camião e começam uma viagem para oeste, até à Califórnia. Durante o percurso, os Joad cruzam-se com outras famílias que caminham na mesma direcção e com a mesma intenção, seduzidos por promessas de trabalho e salários melhores. As expectativas, porém, saem-lhes frustradas, pois rapidamente percebem que o trabalho existente é pouco e mal-remunerado, o que os obriga a viver em acampamentos temporários estrada fora, sujeitos à exploração da mão de obra barata.

Sem Título
Filme de 1940 | Fonte: https://www.amazon.com/Grapes-Wrath-VHS-Henry-Fonda/dp/6301797906

John Steinbeck, natural da Califórnia, decidiu escrever este livro partindo de uma série de sete artigos publicados no San Francisco News em 1936, sobre os trabalhadores agrícolas oriundos do Oeste e Centro dos EUA, que durante a altura da Grande Depressão rumaram à Califórnia em busca do trabalho que o seu local de origem já não lhes garantia. A intenção de Steinbeck foi sobretudo chamar a atenção aos verdadeiros culpados da grave crise económica que ali ocorreu.

Em 2005, a revista Time incluiu o romance na sua lista “Os 100 melhores romances em língua inglesa de 1923 a 2005” e em 2009, o The Daily Telegraph do Reino Unido indicou As Vinhas da Ira nos “100 romances que todos deveriam ler”. E, apesar de não me ter em nenhum momento apaixonado enquanto romance, ele alia de facto uma escrita bonita a um relato importante sobre a vida dos menos abastados em tempos de crise. Uma mensagem sempre – e agora mais do que nunca – bem atual.

Avaliação: 7/10

Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close