Estive a Ler: Segunda Fundação, Fundação #3


O TEXTO SEGUINTE ABORDA O LIVRO “SEGUNDA FUNDAÇÃO”, TERCEIRO VOLUME DA SÉRIE FUNDAÇÃO

Isaac Asimov é considerado um dos mestres da ficção científica, ao lado de nomes como Robert A. Heinlein e Arthur C. Clarke. Das suas obras mais reconhecidas faz parte a trilogia Fundação, que em 1966 ganhou um Hugo Award especial, reconhecendo-a como a melhor série de ficção científica de todos os tempos. Publicada originalmente no nosso país pela Colecção Argonauta, a série volta a ser publicada em Portugal, agora pela Edições Saída de Emergência, numa altura em que a Apple se encontra a desenvolver uma série televisiva sobre a obra.

A saga Fundação de Isaac Asimov começa com a trilogia Fundação, Fundação e Império e Segunda Fundação, a que se seguiram várias sequelas e prequelas tendo como base a plataforma criada e os ingredientes lançados no livro inaugural. A versão nacional conta com um total de 288 páginas e tradução de Jorge Colaço. A trilogia Fundação é considerada a melhor obra do melhor escritor de FC de sempre.

Que conclusão! A forma ao mesmo tempo erudita e fluída com que Asimov nos conta a história é de facto uma das maiores qualidades desta saga, ao mesmo tempo que a sua interpretação sobre expansão espacial, inspirada na ascensão e queda do Império Romano, me arrebata. A criação de uma sociedade religiosa que se rege por princípios matemáticos, pela estatística e pelo cálculo das probabilidades, é incrível, ainda para mais se pensarmos na época em que esta obra foi pensada.

Não tenho dificuldade em apontar este livro como o melhor dos três, e que final foi aquele! Fantástico. A prosa de Asimov é de facto muito interessante, a narrativa é servida essencialmente através de diálogos e não existe um desenvolvimento muito grande dado a nenhuma personagem em específico, o que me poderia desagradar, o que não aconteceu. Segunda Fundação é mais um livro em que Asimov consegue emergir os seus leitores com uma facilidade incrível.

Era difícil imaginar-me a gostar tanto de uma trilogia de ficção científica escrita na primeira metade do séc. XX. O livro inaugural da série Fundação, com o mesmo título, reúne cinco contos que foram publicados separadamente e reunidos pela primeira vez em 1951, formando um único enredo. Não esperem conhecer uma personagem com quem se identifiquem, que se desenvolva e se aprofunde até ao fim do livro. Não há aqui essa intenção e nem faz falta. A grande protagonista do livro é a Fundação que lhe dá nome.

O primeiro livro, Fundação, foi dividido em várias pequenas narrativas que nos levaram a entender o que era a Psico-História e o seu papel no futuro do Império Galáctico, com a história de Hari Seldon, um filósofo e matemático que previa, com base em estudos que mesclam a sociologia à estatística, a decadência e queda do império. No segundo livro, Fundação e Império, a história basicamente divide-se em duas partes, sendo a primeira focada em Bel Riose e segunda focada num vilão mutante conhecido como o Mula.

O terceiro volume mostra-nos este mutante perigoso próximo de descobrir a localização da Segunda Fundação preconizada por Hari Seldon, com o intuito de a destruir. É aqui que a Segunda Fundação emerge e dá as suas caras, revelando assim que se trata de uma congregação dos homens mais inteligentes da galáxia. Enquanto a Primeira Fundação era virada para as ciências físicas, a Segunda trabalha as ciências mentais, o que pode revelar-se desagradável para Mula, que consegue controlar as emoções de qualquer pessoa.

Enquanto a primeira parte se foca no combate entre Mula e a Segunda Fundação, tendo também as personagens Bail Channis e no general Han Pritcher como protagonistas, a segunda parte acontece muitos anos após os eventos dessa primeira parte. Dois conspiradores pretendem descobrir a localização de facto da Segunda Fundação orquestrada por Seldon, acabando por ser uma menina, Arcadia Darell, a filha de um deles, a chave para a resolução do mistério, ao relacionar-se com Callia, a amante de Stettin. Este era então o Primeiro Cidadão de Kalgan, o planeta onde Mula se havia sediado, e um dos seus sucessores no poder.

Fonte: https://www.monolitonimbus.com.br/a-fundacao-isaac-asimov/

Apesar de todas as histórias serem contadas muito rapidamente, estão todas interligadas e criam raízes para plots ulteriores, o que torna não só a história incrível como bem oleada e organizada. Arcádia, por exemplo, é neta de Bayta e Toran, dois dos protagonistas do segundo volume, assim como todos os eventos narrados no primeiro e segundo livros são importantíssimos para a conclusão e para que descubramos, de facto, onde se localizava a Segunda Fundação.

Sendo o percursor das space operas, Isaac Asimov é um hino à Ficção Científica mais fantasista, que inspirou séries literárias e filmes ao longo dos anos. Segunda Fundação é, por tudo isto, um livro mais do que recomendado, com a chancela da Coleção Bang! Saída de Emergência, concluindo com chave de ouro uma trilogia que muito me agradou. Espero vir a ler as outras trilogias passadas neste universo tão rico.

Avaliação: 9/10

Fundação (Saída de Emergência):

#1 Fundação

#2 Fundação e Império

#3 Segunda Fundação

Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close