Fala-se de: The Outsider


The Outsider é uma série de televisão dramática e de terror americana baseada no romance homónimo de 2018 de Stephen King, chamado de O Intruso na versão em português da Bertrand. A 3 de dezembro de 2018 saiu a informação de que seria adaptado o livro, depois de ter os direitos adquiridos pela Media Rights Capital em junho do mesmo ano. Com argumento de Richard Price (The Douce), a série teve a sua estreia na HBO a 12 de janeiro de 2020 e neste momento encontra-se com a avaliação de 7,8 no IMDb.

Remorsos, sentimento de perda e a crença no sobrenatural são os temas mais explorados nesta série de dez episódios, que mistura o policial e o thriller à fantasia / mitologia urbana. O elenco é estrelado por actores de craveira internacional como Ben Mendelsohn (Capitão Marvel, Robin Hood: A Origem, Jogador N.º 1) e Jason Bateman (The Switch, Horrible Bosses, Zootropolis), que também dirigiu os dois primeiros episódios da série, ao lado de nomes como Cynthia Erivo, Bill Camp, Paddy Considine e Julianne Nicholson.

A trama começa quando o menino Frank Peterson (Duncan E. Clark) aparece morto de forma macabra no interior de uma carrinha, no parque da fictícia Cherokee City. No livro, a cidade chamava-se Flint City, localizada no sul do Texas. O rapaz foi encontrado morto, mutilado e estuprado. O crime podia permanecer um mistério, não fossem inúmeras as testemunhas que viram Terry Maitland (Bateman) nas imediações e com comportamentos suspeitos. Trata-se do treinador da equipa infantil de baseball, homem popular na comunidade. Como se não fosse o bastante, as suas impressões digitais foram encontradas em grande quantidade no interior da carrinha.

Ao deparar-se com tamanhas evidências, o detetive Ralph Anderson (Mendelsohn), pai de Derek (Wes Watson), um menino que tinha sido treinado por Terry, não tem dúvidas. Se no livro o menino encontra-se num campo de férias, na série ele faleceu de cancro, o que adensa o drama do protagonista. Ao imaginar que podia ser o filho a ser estuprado, morto e canibalizado, o polícia não tem dúvidas do que deve fazer. A meio de um jogo e diante de toda a comunidade, da mulher e das filhas do suspeito, Ralph dá ordem de prisão a Terry. O homem parece incrédulo sobre o que lhe estão a fazer. A esposa, Glory (Julianne Nicholson), a Marcy do livro, também. O que será dela e das suas filhas, da sua vida na comunidade dali por diante?

Ralph vai em frente com a acusação, mesmo que Howard Solomon (Bill Camp), o Howard Gold do livro, se revele um advogado de defesa fortíssimo. Terry alega ter estado numa convenção numa cidade vizinha, o que lhe oferece o álibi perfeito para a data do crime. Ralph sabe à partida como esses álibis são fáceis de desmontar, e não compreende como tanto Howard como a família do suspeito o olham como se fosse ele um criminoso. Tudo parece tão evidente, até mesmo as gravações no clube de strip onde Terry se encontra com o ex-presidiário Claude Bolton (Paddy Considine).

Do outro lado, Howard contacta o detective Alec Pelley (Jeremy Bobb) para o ajudar na resolução do caso. Apesar de estar convencido da inocência de Terry, parece inexplicável que tantas testemunhas o tenham visto no local do crime e que as suas impressões digitais e ADN estejam por lá. Ele sabe que, em tribunal, precisa de apresentar uma defesa sólida, ou o seu cliente e amigo será levado à sentença de morte, pela certa.

Para alívio do treinador, bem como da sua família e advogado, foi parar à internet um vídeo da convenção onde esteve presente, e as imagens de câmara mostram nitidamente Terry entre a plateia, chegando mesmo a fazer uma pergunta aos intervenientes. Também as suas impressões digitais estão presentes no lugar onde se realizou a convenção, o que deixa Ralph completamente consternado, percebendo finalmente que cometeu um erro ao aprisionar Terry em público, arruinando talvez para sempre a vida do treinador e da família.

Posso dizer que a série não fez jus ao livro, apesar de adaptar praticamente todos os eventos do mesmo e proceder a poucas alterações. A versão de Holly Gibney (Cynthia Erivo) de Richard Price desvirtua a essência da personagem (só manteu o nome por exigência de King), ainda que a atriz tenha cumprido com o papel, e a ânsia de fazer prender o público colocou um terço do livro no extraordinário primeiro episódio, para encher boa parte da temporada com fillers e um ritmo extremamente lento.

Os desempenhos dos actores foram todos eles muito bons, de forma geral, e a fotografia adequa-se à história; mas depois de ler o livro fica difícil dar uma nota muito positiva a este The Outsider. O livro foi uma das melhores leituras que tive este ano e não pude deixar de ficar decepcionado com a lentidão de acontecimentos e a falta da minha Holly original. Fica a adenda, no entanto, de que se não tivesse lido o livro a minha opinião sobre a série seria muito mais positiva.

Avaliação: 4/10

Um comentário em “Fala-se de: The Outsider

Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close