Estive a Ler: Espíritos dos Mortos, 1984, A Velha Guarda Vol. 1, Gideon Falls #4, The Promised Neverland #6 e Hex Wives


“Adoro quando ele lhe chama “A Companhia”. É tão… corporativo.”, Abrir Fogo

O TEXTO SEGUINTE ABORDA OS LIVROS ESPÍRITOS DOS MORTOS, 1984, “ABRIR FOGO”, PRIMEIRO VOLUME DA SÉRIE A VELHA GUARDA, “O PENTÁCULO”, QUARTO VOLUME DA SÉRIE GIDEON FALLS, “B-06-32”, SEXTO VOLUME DA SÉRIE THE PROMISED NEVERLAND E HEX WIVES

Eleito para o Eisner Hall of Fame e vencedor do Grand Prix em Angoulême, Richard Corben dá vida às suas histórias favoritas de Edgar Allan Poe. Quinze contos coloridos do premiado e célebre criador encontram-se aqui reunidos — incluindo uma novíssima adaptação d’”O Homem da Multidão”. Também incluídas estão adaptações magistrais de clássicos como “O Corvo”, “A Máscara da Morte Vermelha” e “O Barril de Amontillado”, com trabalho de cor a cargo de Richard Corben e Beth Corben Reed.

Fonte: G Floy Studio

Richard Corben (1940-2020) foi um autor norte-americano de banda desenhada mais conhecido pelos seus trabalhos de fantasia e terror, principalmente publicados na revista Heavy Metal. Mas o seu trabalho foi muito transversal no mercado americano, tendo também colaborado com editoras mainstream como a Marvel, a DC e a Dark Horse. Passou por vários outros populares títulos de terror, como Creepy, Eerie e Vampirella. Colaborou também na reputada revista francesa Métal Hurlant. Foi vencedor do Spectrum Grand Master Award  e do Grand Prix 2018 em Angoulême. Em 2012, foi eleito para o Hall of Fame do Prémio Will Eisner.

Opinião: Espíritos dos Mortos é uma adaptação gráfica de Richard Corben à obra de Edgar Allan Poe, transformando vários dos seus contos mais famosos em banda-desenhada. Não fiquei propriamente arrebatado pelo traço, mas as representações fizeram uma justa homenagem à obra do conceituado autor. As minhas passagens favoritas foram alguns contos que já conhecia, como “O Corvo” e “A Queda da Casa de Usher”, que foram muito bem replicadas nesta publicação da G Floy Studio.

Avaliação: 8/10

Fonte: G Floy Studio

A BD oficial da obra mais célebre de George Orwell, uma distopia absolutamente genial.
No ano 1984, Londres é uma cidade lúgubre, em que a Polícia do Pensamento vigia de forma asfixiante a vida dos cidadãos. O mais grave dos crimes é ter uma mente livre.
Winston Smith é um peão nesta engrenagem perversa e a sua função é reescrever a História para adaptá-la ao que o Partido considera a versão oficial dos feitos. É o que faz, até decidir questionar a verdade do sistema repressor. Na ânsia de liberdade e verdade, arrisca a vida, ao apaixonar-se por uma colega, a bela Julia, e rebelar-se contra o poder vigente.
Publicada originalmente em 1949, a obra mais poderosa de George Orwell é adaptada à banda desenhada, no traço do artista brasileiro Fido Nesti, que capta magistralmente os rostos, corpos e cenários de um mundo que, cada dia, é menos difícil de imaginar.

George Orwell, pseudónimo de Eric Arthur Blair, nasceu em Motihari, Bengala, Índia, em 1903. Filho de um funcionário da administração britânica do comércio de opio, estudou em colégios tradicionais em Inglaterra. Na década de 1920, foi agente da polícia colonial na Brimânia. Nos anos seguintes, publicou diversos romances, ensaios e textos jornalísticos. Em 1945, concluiu A Quinta dos Animais, sucesso instantâneo que lhe trouxe fama e dinheiro. O livro, no entanto, acabou por ser ofuscado por aquela que viria a ser a sua obra-prima, 1984, publicado em 1949. Orwell escreveu as páginas finais do romance numa casa remota, na ilha de Jura, na Escócia. Trabalhou incansavelmente, até ser internado devido a uma tuberculose pulmonar, que o levou à morte em 21 de janeiro de 1950, num hospital de Londres, aos 46 anos.

Fido Nesti nasceu em São Paulo, em 1971. Trabalha com ilustração e banda desenhada há mais de trinta anos. A sua arte pode ser encontrada no jornal Folha de S. Paulo e na revista The New Yorker, entre outras; assim como em capas e livros de várias editoras. Ilustrou Os Lusíadas em Quadrinhos (Peirópolis, 2006) e A Máquina de Goldberg (Quadrinhos na Cia., 2012). A leitura de 1984, precisamente em 1984, ainda na escola, acabaria por ser uma enorme influência, levando-o a questionar como funcionam as coisas. O impacto da leitura deixou-o profundamente impressionada com a forma como o mundo distópico criado por Orwell se tem revelado cada vez mais verdadeiro.

Opinião: Pela Alfaguara chegou-me a adaptação do romance homónimo 1984 de George Orwell, pelas mãos do brasileiro Fido Nesti. É um livro que faz jus ao original, bastante harmonioso no traço e na ilustração, com uma mensagem poderosa e que, desta forma, torna obrigatória a sua leitura, mesmo a quem não é dado à leitura. 1984 é um clássico intemporal, que nunca nos esteve tão próximo como agora, quando há pretensões de reescrever hoje a História de ontem.

Avaliação: 8/10

Fonte: G Floy Studio

Este é um conto de fadas de sangue e balas…
É uma história sobre o tempo, e a idade, e as idades, sobre a amizade e o amor, e o arrependimento. É a história de duas mulheres e três homens que não podem morrer. A maioria das vezes. Os seus nomes são Andy, Nicky, Joe, Booker e Nile. São soldados, e a sua guerra não acabará nunca. Já estiveram em todo o lado, já viram de tudo e já combateram em quase todos os conflitos da história.
Durante séculos, mantiveram a sua existência secreta, sempre em movimento, de missão em missão. Mas, hoje em dia, as sombras já não são tão escuras, e eles estão a perceber que alguns segredos são impossíveis de guardar. E ninguém vai querer estar no caminho deles quando esses segredos forem revelados…

Greg Rucka é um escritor famoso de romances policiais e argumentista de banda desenhada. É fã de banda desenhada desde a mais tenra idade, e depois de ter trabalhado em inúmeros empregos de todo o género, atingiu o sucesso com a sua série de romances policiais protagonizados por Atticus Kodiak, um guarda-costas que acaba invariavelmente a resolver crimes, e de que escreveu até à data sete volumes. Rucka lançou-se nos comics em 1998 com Whiteout, um policial passado numa base perdida da Antárctida (com ilustrações de Steve Lieber), mais tarde adaptado ao cinema.

Fonte: G Floy Studio

Ao longo da década seguinte, Rucka trabalhou sobretudo para a DC Comics, assinando fases aclamadas da Wonder Woman ou da revista Detective Comics, para além da série Gotham Central (co-escrito com Ed Brubaker), uma das suas séries mais conhecidas. Nesses anos assinou também uma sequela de Whiteout, bem como as séries Queen & Country e Stumptown, sempre na Oni Press, que na altura editava os seus livros independentes. Mais recentemente, tendo continuado a escrever para a DC Comics (regressando há poucos anos à Mulher-Maravilha, por exemplo), Rucka tem também lançado várias séries suas na Image: Lazarus, Black Magick e A Velha Guarda.

Leandro Fernández é um ilustrador argentino de banda desenhada, conhecido pelos seus vários trabalhos para a Marvel, Image e Vertigo. O seu percurso nos comics está recheado de grandes títulos como os da DC Vertigo: American Carnage (escrito por Bryan Hill), The Discipline e The Names (com Peter Milligan). Além disso, tem trabalhos como Northlanders: The Plague Widow; participou na série Punisher MAX com Garth Ennis, e muitas outras personagens populares da Marvel como Deadpool, Vingadores, Demolidor, Novos Mutantes, Hulk, etc. Da sua parceria com Greg Rucka destacam-se os trabalhos Wolverine: Coyote Crossing e Queen & Country: Crystal Ball, que foi nomeado aos prémios Eisner em 2004.

Opinião: Pela G Floy Studio chegou-me Abrir Fogo, o primeiro volume da série A Velha Guarda de Greg Rucka e Leandro Fernández. A história acompanha um grupo de personagens quase imortais que já viveram uma série de conflitos militares, um enredo que já foi adaptado pela Netflix, com Charlize Theron no papel de Andy. Fiquei bastante agradado pelo desenvolvimento narrativo mas sobretudo pela arte, ainda que a premissa não me tenha sido muito atractiva.

Avaliação: 8/10

Fonte: G Floy Studio

A série de terror Gideon Falls está de regresso com mais um livro cheio de emoções fortes, pela equipa criativa de best-sellers, Jeff Lemire (Family Tree, Ascender, Black Hammer) e Andrea Sorrentino (Velho Logan, Green Arrow).
Depois da viagem entre o espaço e o tempo do último volume, Norton e Clara estão presos na vila de Gideon Falls com um psicopata homicida. Entretanto, na cidade de Gideon Falls, Angie e o padre Fred confrontam o Bispo, e os segredos da Máquina do Pentóculo são-lhes revelados em toda a sua intrincada glória. No meio do caos, o que acontecerá quando os Lavradores finalmente responderem ao chamamento do dever?

Jeff Lemire é um autor best-seller do New York Times, com uma carreira como escritor e artista de romances gráficos de sucesso. Venceu em 2008 e 2013 o Shuster Award for Best Canadian Cartoonist, e venceu por duas vezes o prémio Eisner para Melhor Nova Série, em 2017 com Black Hammer, e em 2019 com este Gideon Falls. Uma das suas mais recentes obras foi o romance gráfico Roughneck, já editado pela G. Floy no nosso país e que a Publishers Weekly descreveu como um livro “poderoso”.

Fonte: G Floy Studio

Andrea Sorrentino é um autor italiano com uma longa carreira na DC Comics e na Marvel. Foi nas páginas da revista Green Arrow que colaborou pela primeira vez com Lemire, com grande sucesso. Os dois voltariam a reunir-se nas páginas de Old Man Logan, já depois de Sorrentino ter assinado em exclusivo pela Marvel, uma colaboração que abriria caminho para a criação de Gideon Falls, na qual se concentra desde 2018.

Opinião: O Pentóculo é o quarto volume de Gideon Falls de Jeff Lemire e Andrea Sorrentino, também publicado em Portugal pela G Floy Studio. Da arte maravilhosa de Sorrentino, que se tem transformado rapidamente num dos meus artistas preferidos, ao enredo vertiginoso e estupendo de Jeff Lemire, Gideon Falls está a atingir um patamar de excelência no que diz respeito às bandas-desenhadas. Da originalidade à complexidade, esta série não pára de se superar.

Avaliação: 9/10

As crianças conseguiram escapar da Casa de Grace Fields, mas os seus problemas ainda agora começaram.
Quando tentam encontrar um lugar seguro e escapar aos seus perseguidores, Emma, Ray e as crianças, conhecem uma rapariga misteriosa. Terá vindo para ajudar ou é uma armadilha demoníaca?

The Promised Neverland é uma série de mangá escrita por Kaiu Shirai e ilustrada por Posuka Demizu. Iniciada no verão de 2016 através da revista Weekly Shonen Jump da editora Shueisha, a publicação dos vários sketches foram posteriormente reunidos em números maiores, que alcançaram grande sucesso. Em janeiro de 2019, as impressões dos primeiros 12 livros da série alcançaram o total a nível mundial de 8,8 milhões de exemplares.

Opinião: Outra série que atravessou alguns volumes mais mornos e que começa a destacar-se é The Promised Neverland, com argumento de Kaiu Shirai e arte de Posuka Demizu. Ao sexto volume, com o título B06-32, ganha um grande avanço que me deixa ao mesmo tempo intrigado e empolgado. Este mangá em específico acabou por revelar-se muito agradável, com várias revelações e adições impressionantes. Uma publicação da editora Devir.

Avaliação: 9/10

“The women are too powerful. They must be tamed.” A malevolent conspiracy of men brainwashes a coven of witches to be subservient, suburban housewives. But it’s only a matter of time before the women remember their power…

HEX WIVES from writer Ben Blacker (co-creator of The Thrilling Adventure Hour) with art by Mirka Andolfo (WONDER WOMAN, SHADE, THE CHANGING GIRL)

Opinião: Um comic que me deixou com um misto de sensações foi Hex Wives, com argumento de Ben Blacker e ilustração da italiana Mirka Andolfo. Apesar de ser algo confusa e pouco credível o argumento, degustei imenso das ilustrações inusitadas, do clima de bruxaria e do realce ao poder da mulher num mundo que sempre foi dominado por homens. A ideia podia ter sido melhor concretizada, mas foi uma experiência agradável. Trata-se de um álbum da coleção Vertigo da DC Comics.

Avaliação: 6/10

2 comentários em “Estive a Ler: Espíritos dos Mortos, 1984, A Velha Guarda Vol. 1, Gideon Falls #4, The Promised Neverland #6 e Hex Wives

Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close