A Iniciar…

O Notícias de Zallar é um site de divulgação literária. Aqui podes estar por dentro de tudo o que de melhor é feito e publicado no segmento Ficção Especulativa em Portugal e conhecer um pouco mais do meu trabalho e dos meus ídolos. Segue-me no facebook, no twitter e no instagram e fica a par de todas as novidades.

AS MINHAS PUBLICAÇÕES

Sem Título

A série “Histórias Vermelhas de Zallar”, cujo livro Espada que Sangra foi inicialmente publicado em 2014, é o meu primeiro grande projeto, inspirado pela fantasia complexa de George R. R. Martin e pela minha eterna paixão: as civilizações mesopotâmicas, meso-americanas e europeias da Antiguidade.

Entre julho de 2016 e setembro de 2017 publiquei, quinzenalmente, o livro de literatura fantástica Língua de Ferro: Um Sacana Qualquer, que podes ler gratuitamente aqui no site ou no Wattpad. No final de abril, publiquei o meu conto A Maldição de Odette Laurie na antologia da Editorial Divergência Os Monstros que nos Habitam.

ESTIVE A LER

O NDZ recomenda as seguintes leituras :

Estive a Ler: O Medo do Homem Sábio, Crónica do Regicida #2 (1/2)

Sem TítuloDividido em Portugal em dois livros, pelas mãos da Edições ASA/1001 Mundos, O Medo do Homem Sábio é o segundo volume da aclamada Crónica do Regicida de Patrick Rothfuss. Saiu por cá em 2011, logo após o seu lançamento, muito por conta da extraordinária repercussão mediática e pela vontade do público aficcionado por ficção fantástica em saber mais sobre Kvothe e as suas façanhas, que já haviam surpreendido meio mundo com o livro inaugural da saga, O Nome do Vento.

Assim que saiu, The Wise Man’s Fear, nome original, saltou para os lugares cimeiros da lista de fantasia do The New York Times. Considerado por muitos como uma gigantesca obra de fantasia em todos os aspetos, o livro foi elogiado pela publicação Publisher’s Weekly como uma “sequela hipnotizante”. Com este livro, Patrick Rothfuss assegurou convictamente o seu lugar entre os monstros do género. [LER +]

Estive a Ler: Despertar, Monstress #1

Sem títuloA autora americana Marjorie Liu é conhecida pela participação em BD’s da Marvel Comics como X-23 ou Viúva Negra, mas foi com Monstress que acabou indicada ao Eisner, em 2016. É um trabalho a quatro mãos com a premiada artista japonesa Sana Takeda, também ela muito ligada à Marvel, em títulos como X-23 ou Miss Marvel, e à Sega, onde trabalhou como designer. Monstress é um dos títulos de maior sucesso da Image Comics, nomeado este ano para três Eisner e para o Hugo Awards na categoria Melhor História.

Publicado pela Edições Saída de Emergência, Monstress faz parte do novo segmento da editora dedicado às bandas desenhadas, iniciado com Nimona. Disponível nas bancas a partir de amanhã, dia 7 de julho, conta com a tradução de Renato Carreira e edição de Safaa Dib. O primeiro volume, Despertar, reúne os números 1 a 6 da publicação original. [LER +]

Estive a Ler: A Súbita Aparição de Hope Arden

Sem títuloA britânica Catherine Webb estreou-se no mundo da literatura aos 14 anos com Mirror Dreams, e com sete romances de fantasia em carteira, enveredou pelo mundo da ficção científica, onde se viria a destacar sob o pseudónimo Claire North. Em 2014, o primeiro romance sob este pseudónimo tornou-se um best-seller. Trata-se de As Primeiras Quinze Vidas de Harry August, publicado pela Edições Saída de Emergência o ano passado. Em 2015, Claire North publicou Touch e em 2016, The Sudden Appearence of Hope.

A Súbita Aparição de Hope Arden, título da versão portuguesa, traz Claire North novamente para as estantes nacionais, cerca de dez meses após a publicação de As Primeiras Quinze Vidas de Harry August. Mais uma vez, pelas mãos da Saída de Emergência. Com 448 páginas e tradução de Teresa Martins Carvalho, a versão nacional tem edição de Luís Corte Real e pertence à Colecção Bang!, chancela que acolhe o melhor da Ficção Especulativa publicada em português. [LER +]

Especial

Artigos mais populares na categoria Especial:

Especial: Quem Ainda Não Leu Brandon Sanderson?

Sem Título

É muito difícil encontrar um fã de ficção fantástica que não tenha lido, ou pelo menos ouvido falar de Brandon Sanderson. As suas obras de fantasia estão publicadas pelo mundo inteiro, o autor escreve com uma rapidez notável e uma legião de fãs segue atentamente todos os seus passos. Dono de uma relação com o público pautada pela acessibilidade e simpatia, Brandon tem tanta facilidade para explicar ao mundo as suas ideias e processos criativos, como para colocá-los em prática. O autor esteve em novembro em Portugal, a convite da Edições Saída de Emergência, editora responsável pela publicação da saga Mistborn – Nascida das Brumas.

O seu ritmo de publicação parece imparável, de tal modo que os leitores chegam a sentir dificuldades em acompanhá-lo. Através do site de Brandon, é possível seguir a progressão do seu trabalho, saber em que eventos o autor estará presente e até ler gratuitamente um livro, Warbreaker. O autor escreve tanto para adultos como para jovens, mas pode-se dizer que redefiniu toda a conceção de fantasia através das 3 Leis que canonizou como guia para todo o bom escritor de fantástico. [LER +]

Especial Páscoa: 5 Razões Para Ler Scott Lynch

Sem TítuloSe para muitos Scott Lynch é considerado como um dos mais problemáticos casos de sucesso da literatura fantástica recente – obstáculos patológicos como ansiedade e depressão têm sistematicamente adiado o lançamento do seu próximo livro, o que o coloca em vias de se tornar mais um “Martin & Rothfuss da vida” – para mim ele é não só um dos mais promissores autores do género como um dos melhores. Efetivamente.

Perdoe-me o fandom de Brandon Sanderson, mas dos 6 livros que já li dele, nenhum me causou tanto impacto e vertigem quanto os bem mais despretensiosos livros de Scott Lynch. E isso porque Scott não dá destaque à magia e ao wordbuilding, ainda que estes sejam alicerces para a sua obra. Os mundos criados não são o mais importante, importa sim o maravilhamento do que está lá dentro. O próprio mistério em torno do seu passado coletivo só alimenta a imaginação dos leitores. E se o que estiver lá dentro forem personagens incríveis e credíveis, com uns pozinhos de magia como cereja no topo do bolo, então estamos no caminho certo. [LER +]

Especial: Introdução ao Império Malazano de Erikson

Sem TítuloMontanhas voadoras, dragões, zombies, deuses a jogar o jogo dos tronos e cães horríveis cheios de raiva a verter das mandíbulas. É muito disto o que nos oferece Steven Erikson no seu livro inaugural, Jardins da Lua, publicado em Portugal pela Saída de Emergência no outono de 2016. É para dissecar os eventos do primeiro livro e para conhecer mais ao pormenor este mundo completamente louco que escrevo uma breve introdução ao Império Malazano. Em boa verdade, não nos é permitido conhecer muito mais antes de sair o segundo livro, mas esta saga começa com imensas informações que são importantes reter antes de continuar a leitura da mesma, ainda que no segundo volume, Deadhouse Gates, apenas quatro personagens transitem do livro inaugural.

O acontecimento conhecido como Cerco de Pale pode ser considerado como o momento chave do livro de Steven Erikson Jardins da Lua, não só porque é o ponto de partida dramático para a série, como é o primeiro momento onde nós – os leitores – nos conseguimos de facto situar na história e perceber o que está ali a acontecer. O cerco é descrito de forma pouco precisa mas esclarecedora que baste para o rumo da história, e os eventos narrados são de um cuidado maravilhoso e com um tom de decadência e queda que deixa claros os dotes literários do autor canadiano. [LER +]

A DIVULGAR

Artigos mais populares na categoria A Divulgar:

A Divulgar: Anne Bishop no “Festival Bang! 2017”

a_bishop É o assunto mais comentado nos últimos dias. Depois de a Edições Saída de Emergência ter divulgado o seu novo evento dedicado à ficção especulativa, o Festival Bang!, a ocorrer em Lisboa no dia 28 de outubro, tivemos a confirmação de quem é a convidada de honra. Após algumas imagens de suspense, a especulação terminou com o anúncio de que será Anne Bishop a ilustre convidada.

Recordo que a autora tem vários livros traduzidos em português pela Edições Saída de Emergência, entre os quais as trilogias Os Pilares do Mundo, A Trilogia das Jóias Negras, vencedora do Crawford Fantasy Award no ano 2000 e os quatro livros da série Mundo Efémera.
Anne Bishop começou por escrever pequenos contos de fantasia na juventude, mas nenhum que julgasse digno de publicação. Foi já com outra maturidade que transformou as suas pequenas histórias de encantar em romances envolventes que deslumbraram o mundo da fantasia. [LER +]

A Divulgar: “Mulheres Perigosas” e “Os Melhores Contos de Edgar Allan Poe” pela Saída de Emergência

Sem título

A Edições Saída de Emergência vai iniciar setembro com dois lançamentos imperdíveis. Dia 8 de setembro marca o lançamento de Mulheres Perigosas, mais uma antologia organizada por George R. R. Martin e Gardner Dozois, responsáveis por Rogues, que foi dividida em dois volumes no nosso país. Esta antologia inclui contos de Brandon Sanderson, Megan Abbot e Joe Abercrombie, entre outros nomes grandes da literatura de género actual. Se em Rogues (Histórias de Aventureiros e Patifes e Histórias de Vigaristas e Canalhas em português), o autor de Game of Thrones e o seu parceiro de organização ofereceram-nos ótimos contos com o tema “o malvado que toda a gente adora”, a nova antologia parece focar-se, como o título não engana, em mulheres de pouca fiabilidade. A compra desta antologia pelo site da Saída de Emergência inclui a oferta do livro Windhaven, de George R. R. Martin e Lisa Tuttle.

Tal como havia anunciado em junho, setembro marca também o lançamento de Os Melhores Contos De Edgar Allen Poe, numa publicação esmerada, com 28 histórias ilustradas por 28 artistas nacionais. A edição é em capa dura e cheia de detalhes que certamente não deixarão ninguém indiferente. Paralelamente a isso, a Edições Saída de Emergência traz Edgar Allan Poe aos escaparates nacionais também com o objetivo de fazer reviver as histórias fantásticas deste mestre do horror e dá-lo a conhecer às novas gerações. [LER +]

A Divulgar: “Os Melhores Contos de H. P. Lovecraft #6” e “A Súbita Aparição de Hope Arden” pela Saída de Emergência

Sem título

Agosto é mês de férias para muitos, mas a nossa editora preferida não tem tempo para pausas. É já esta sexta-feira que são lançados mais dois maravilhosos livros pelas mãos da Edições Saída de Emergência. Os Melhores Contos de H. P. Lovecraft são já uma tradição da editora, sendo este o sexto volume, recheado de inéditos na língua de Camões. Lovecraft é um dos pioneiros do género de terror, criador de uma mitologia original que serviu de inspiração para milhares de autores em todo o mundo, como Stephen King, e uma figura tão ilustre como Edgar Allan Poe ou Robert E. Howard. Mais uma coletânea a não perder.

A Súbita Aparição de Hope Arden é o novo livro de Claire North, a autora de As Primeiras Quinze Vidas de Harry August. Este volume parece vincar a tendência da autora britânica em falar-nos de personagens inusitados. Se o personagem do primeiro livro voltava a nascer depois de morto e recordava-se de tudo o que passara na vida anterior, a personagem central deste livro é uma rapariga que, faça o que fizer, desaparece da memória daqueles que a vêm ou com quem convive. Uma premissa que tem pano para mangas e me parece muito atrativa. Vais de férias e ainda não sabes o que ler? Deixo-te aqui duas ótimas alternativas. De realçar que, na compra do livro de Claire North pelo site da editora, receberás ainda como oferta o livro A Rainha Vermelha de Victoria Aveyard, e na compra do livro de Lovecraft, ganharás o primeiro volume da coleção. [LER +]

FALA-SE DE

Artigos mais populares na categoria Fala-se de:

Sem título

Fala-se de: Game of Thrones T7

A tão aclamada sétima temporada de Game of Thrones chegou ao fim, e poucos são os que não viram os sete episódios exibidos em 2017. Emilia Clarke, Kit Harington, Lena Headey e companhia foram os rostos de uma das temporadas mais aguardadas, com uma sequência de reencontros e de confluências que a maioria dos fãs aguardava desde a primeira temporada. Nem mesmo a diminuição de episódios ou de elenco veio roubar público ao programa, que registou as melhores audiências desde o início da mesma.

David Benioff e D. B. Weiss continuam como showrunners e produtores executivos, ficando seguramente na História do pequeno ecrã pelo trabalho na série da HBO. É responsabilidade deles parte do sucesso de Game of Thrones e muito da conclusão narrativa que testemunhamos semana após semana em direção ao grande final. Contudo, há que realçar que limitam-se a trabalhar sobre a obra de um mestre literário chamado George R. R. Martin, e as escolhas que têm deliberado não são imunes à crítica. Defenda-se ou não o trabalho da dupla, é inegável que o seu cunho pessoal afastou a série do rumo que a levou ao sucesso. [LER +]

Sem título

Fala-se de: Baywatch

Verão é sinónimo de praias e corpos despidos, como tal Baywatch é um dos filmes que gerou maiores expectativas para esta estação. Pelas mãos da Paramount Pictures, a adaptação para o cinema de uma das séries de maior sucesso da TV mundial tem direção de Seth Gordon, responsável por filmes como Identify Thief e Pixels, e argumento de Damian Shannon e Mark Swift. Não sei se o filme consegue recuperar a mística da série televisiva, mas é, na minha opinião, delicioso. Baywatch é uma adaptação que, parecendo quase uma mistura de Velocidade Furiosa e American Pie, consegue reverter a imagem da série televisiva e até satirizá-la.

Baywatch narra o trabalho de uma equipa de nadadores-salvadores e a forma como eles se conectam e relacionam, ao mesmo tempo que tentam salvar a praia e os veraneantes dos inúmeros perigos que ali se podem encontrar, de afogamentos e animais marítimos a larápios e cartéis de droga. Uma das marcas da série televisiva que popularizou o produto entre os finais dos anos 80 e o início do atual milénio foi a progressão de imagens em slow-motion, quando os nadadores, homens e mulheres, corriam na areia para proceder aos salvamentos. O filme, na minha opinião, é mais hilariante que a série, recorrendo ao absurdo e ao ridículo para gozar com o próprio produto. Surpreendentemente, de forma bem sucedida. [LER +]

Sem títuloFala-se de: Velocidade Furiosa 8

Poucos são os que não sabem o que acontece quando se junta Vin Diesel, Michelle Rodriguez, Jason Statham, Dwayne Johnson, Tyrese Gibson e companhia. A popular franquia Velocidade Furiosa conquistou os amantes de velocidade em todo o mundo, mas também não passa indiferente a todos os que gostam de um bom filme de ação. Nem mesmo a morte de Paul Walker, o ator que desempenhava um dos papéis principais, veio retirar público ou qualidade ao produto.

Velocidade Furiosa 8 é mais um exemplo do que a equipa dirigida por F. Gary Gray e Chris Morgan é capaz de fazer, pegando em meia-dúzia de super-estrelas do cinema, um outro tanto de “veículos-à-prova-de-tudo” e uma boa trama. A Universal Studios é a companhia responsável por trazer à luz do dia uma das séries cinematográficas de maior impacto mundial, usando nada mais, nada menos, que uma vasta gama de cenários e um rol de perseguições de tirar o fôlego. [LER +]

POST-IT

Artigos mais populares na categoria Post-It:

NDZ: 5.º Aniversário

Nuno FerreiraViva! Parece que foi ontem que vim aqui falar-vos do 4.º aniversário do blogue e aqui estou eu a escrever sobre o 5.º aniversário. Cinco anos de qualquer coisa é sempre uma marca importante, e este ano tinha a ideia de preparar algo em grande para comemorar convosco esta data tão especial. Acontece que as férias algo agitadas e o regressar súbito ao trabalho me retirou espaço de manobra para elaborar algo, mas não queria de maneira nenhuma deixar de passar a data em branco.

Por isto, hoje é dia de comemorar em grande este aniversário. Não tenho nada para vos oferecer ao nível do blogue, mas quem quiser pode-se juntar a mim nestas comemorações. O aniversário do blogue tornou-se quase um apêndice ao meu aniversário, talvez por ocorrer poucos dias depois, e é sempre maravilhoso receber o feedback dos seguidores, em ambas as datas. Se as dezenas de visualizações diárias e os pontuais mails de congratulação me deixam sempre motivado a continuar a escrever, mais e melhor, neste cantinho online, também estes momentos são importantes para estimular a nossa conexão. [LER +]

Sci-Fi Lx 2017

Sem título

Boas! E que tal começar as férias com uma ida ao Sci-Fi Lx? Foi o que eu fiz. A Editorial Divergência havia-me convidado para estar a representar Os Monstros que nos Habitam na sessão de autógrafos de dia 15, mas por motivos profissionais e falta de preparativos, acabei por não conseguir comparecer. Ainda assim, não podia faltar ao evento e fiz a minha appearence hoje, no Pavilhão Central do Instituto Superior Técnico de Lisboa.

Entre vários eventos dedicados à Ficção Científica, o destaque vai para a palestra “Por Favor, Senhor Escritor, Não Faça Isto!” levada a cabo pelo distinto Luís Filipe Silva, no Auditório 1. Num debate cheio de boas dicas e caminhos a “não seguir”, fiquei com a sensação de que a preleção merecia um maior número de público. Estimados autores nacionais, não sabem aquilo que perderam. A conversa foi pertinente e bem construtiva. [LER +]

Vamos Viajar com Robin Hobb: Menções de Honra

Sem título 2Olá, olá! Espero encontrá-los bem desse lado. Como sabem, ou deviam saber, hoje é o último dia do desafio Vamos Viajar com Robin Hobb, um passatempo que tive muito gosto em organizar e que me proporcionou muitos e bons momentos nos últimos dois meses. Este desafio consistiu em ler livros da autora Robin Hobb, de 8 de maio a 8 de julho, no âmbito do lançamento nacional do livro O Assassino do Bobo. Como estive mais atrasado na leitura, acabei por ler os livros Os Dilemas do Assassino e Sangue do Assassino, da série anterior, durante este período.

Quero agradecer a todos os que se disponibilizaram a colaborar comigo neste passatempo, nomeadamente à Edições Saída de Emergência, pelos livros cedidos, e a todos os que participaram. Organizei uma ida à Feira do Livro de Lisboa, onde estive com o Ruben Lopes, o Paulo Dores e a São Bernardes, um sorteio do livro O Assassino do Bobo, que foi feito em direto na minha página de facebook e que ditou a Helena Isabel Bracieira (blogue As Horas… que me Preenchem de Prazer) como vencedora, e chegou por fim a hora de encerrar este desafio com as respetivas menções de honra. [LER +]

AS ORIGENS DE ZALLAR

Fica por dentro de As Origens de Zallar, um companion para o meu livro Espada que Sangra. Trata-se de uma série de artigos escritos entre 2014 e 2015 onde podes conhecer as minhas influências para a conceção da série.

Sem título

Lê aqui os artigos: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10

ESTOU NO WATTPAD

No Wattpad ou aqui no site, lê o meu livro Língua de Ferro: Um Sacana Qualquer gratuitamente, informa-te sobre a conceção do livro através da minha nota de autor e conhece melhor o perfil das personagens.

Sem título

Lê aqui os capítulos: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 19, 20, 21, 22, 23, 24, 25, 26, 27, 28, 29, 30, 31, 32, 33

PARCERIA “EDIÇÕES SAÍDA DE EMERGÊNCIA”

Já à venda (visita o site):

Sem título

Anúncios