A Iniciar…

O Notícias de Zallar é um site de divulgação literária. Aqui podes estar por dentro de tudo o que de melhor é feito e publicado no segmento Ficção Especulativa em Portugal e conhecer um pouco mais do meu trabalho e dos meus ídolos. Segue-me no facebook, no twitter e no instagram e fica a par de todas as novidades.

AS MINHAS PUBLICAÇÕES

Sem Título

A série “Histórias Vermelhas de Zallar”, cujo livro Espada que Sangra foi inicialmente publicado em 2014, é o meu primeiro grande projeto, inspirado pela fantasia complexa de George R. R. Martin e pela minha eterna paixão: as civilizações mesopotâmicas, meso-americanas e europeias da Antiguidade.

Entre julho de 2016 e setembro de 2017 publiquei, quinzenalmente, o livro de literatura fantástica Língua de Ferro: Um Sacana Qualquer, que podes ler gratuitamente aqui no site ou no Wattpad. No final de abril, publiquei o meu conto A Maldição de Odette Laurie na antologia da Editorial Divergência Os Monstros que nos Habitam.

ESTIVE A LER

O NDZ recomenda as seguintes leituras :

Estive a Ler: A Súbita Aparição de Hope Arden

Sem títuloA britânica Catherine Webb estreou-se no mundo da literatura aos 14 anos com Mirror Dreams, e com sete romances de fantasia em carteira, enveredou pelo mundo da ficção científica, onde se viria a destacar sob o pseudónimo Claire North. Em 2014, o primeiro romance sob este pseudónimo tornou-se um best-seller. Trata-se de As Primeiras Quinze Vidas de Harry August, publicado pela Edições Saída de Emergência o ano passado. Em 2015, Claire North publicou Touch e em 2016, The Sudden Appearence of Hope.

A Súbita Aparição de Hope Arden, título da versão portuguesa, traz Claire North novamente para as estantes nacionais, cerca de dez meses após a publicação de As Primeiras Quinze Vidas de Harry August. Mais uma vez, pelas mãos da Saída de Emergência. Com 448 páginas e tradução de Teresa Martins Carvalho, a versão nacional tem edição de Luís Corte Real e pertence à Colecção Bang!, chancela que acolhe o melhor da Ficção Especulativa publicada em português. [LER +]

Estive a Ler: Elantris, Elantris #1

Sem TítuloQue Brandon Sanderson é um fenómeno literário ninguém duvida. O autor de Mistborn, The Stormlight Archive, Alcatraz e Reckoners escreve livros atrás de livros, grande parte da sua obra passada no universo Cosmere. Foi também o responsável por concluir a série A Roda do Tempo após a morte do autor, Robert Jordan. Se nos perguntarmos o que lhe falta fazer, a resposta é simples: concluir as sagas iniciadas. O que, dada a velocidade com que publica livro atrás de livro, não parece difícil. Há, no entanto, um nome que paira na mente dos seus leitores mais acérrimos: Elantris. Para quando a continuação?

Elantris foi o primeiro livro publicado por Brandon Sanderson. Foi produzido como um stand-alone, mas a repercussão foi tanta e tão boa que o fandom apelou desde logo à continuação, que Brandon assegurou mas ainda não concretizou. Publicado pela Tor Books em 2005, o livro que catapultou o autor de Mistborn: Nascida das Brumas “ainda” não foi publicado em Portugal, mas a Leya publicou-o no Brasil em 2012, com tradução de Marcia Blasques. [LER +]

Estive a Ler: Mulheres Perigosas

Sem Título

Depois de, em finais de 2015 e meados de 2016, a Edições Saída de Emergência ter lançado em dois volumes a célebre antologia Rogues organizada por George R. R. Martin e Gardner Dozois, com os títulos Histórias de Aventureiros e Patifes e Histórias de Vigaristas e Canalhas, a editora volta a apostar na série de antologias organizadas pelos célebres autor e editor. Mulheres Perigosas traz até nós vários dos contos apresentados no original Dangerous Women, mas ainda é uma incógnita se os restantes serão publicados, como aconteceu com a anterior antologia.

Com tradução de Rui Azeredo e um volume de 448 páginas, a mais recente antologia da Coleção Bang! traz até nós uma panóplia de contos de alguns dos maiores autores no campo da Ficção Especulativa atual. O original foi publicado originalmente em dezembro de 2013, cruzando géneros como a ficção científica, a fantasia, o mistério, o romance paranormal, o thriller psicológico e o western, embora a peça uniforme em todos eles seja o tema que dá título ao livro: a mulher perigosa. E quem melhor para nos falar delas que o renomeado autor de A Guerra dos Tronos? [LER +]

Especial

Artigos mais populares na categoria Especial:

Especial: Quem Ainda Não Leu Brandon Sanderson?

Sem Título

É muito difícil encontrar um fã de ficção fantástica que não tenha lido, ou pelo menos ouvido falar de Brandon Sanderson. As suas obras de fantasia estão publicadas pelo mundo inteiro, o autor escreve com uma rapidez notável e uma legião de fãs segue atentamente todos os seus passos. Dono de uma relação com o público pautada pela acessibilidade e simpatia, Brandon tem tanta facilidade para explicar ao mundo as suas ideias e processos criativos, como para colocá-los em prática. O autor esteve em novembro em Portugal, a convite da Edições Saída de Emergência, editora responsável pela publicação da saga Mistborn – Nascida das Brumas.

O seu ritmo de publicação parece imparável, de tal modo que os leitores chegam a sentir dificuldades em acompanhá-lo. Através do site de Brandon, é possível seguir a progressão do seu trabalho, saber em que eventos o autor estará presente e até ler gratuitamente um livro, Warbreaker. O autor escreve tanto para adultos como para jovens, mas pode-se dizer que redefiniu toda a conceção de fantasia através das 3 Leis que canonizou como guia para todo o bom escritor de fantástico. [LER +]

Especial Páscoa: 5 Razões Para Ler Scott Lynch

Sem TítuloSe para muitos Scott Lynch é considerado como um dos mais problemáticos casos de sucesso da literatura fantástica recente – obstáculos patológicos como ansiedade e depressão têm sistematicamente adiado o lançamento do seu próximo livro, o que o coloca em vias de se tornar mais um “Martin & Rothfuss da vida” – para mim ele é não só um dos mais promissores autores do género como um dos melhores. Efetivamente.

Perdoe-me o fandom de Brandon Sanderson, mas dos 6 livros que já li dele, nenhum me causou tanto impacto e vertigem quanto os bem mais despretensiosos livros de Scott Lynch. E isso porque Scott não dá destaque à magia e ao wordbuilding, ainda que estes sejam alicerces para a sua obra. Os mundos criados não são o mais importante, importa sim o maravilhamento do que está lá dentro. O próprio mistério em torno do seu passado coletivo só alimenta a imaginação dos leitores. E se o que estiver lá dentro forem personagens incríveis e credíveis, com uns pozinhos de magia como cereja no topo do bolo, então estamos no caminho certo. [LER +]

Especial: Os Grandes Mistérios de Patrick Rothfuss

Sem TítuloTenham ou não lido algum dos seus livros, o nome Patrick Rothfuss é bem familiar para qualquer fã de fantasia. Aquele sujeito misterioso que parece fazer um cosplay do Hagrid de Harry Potter em cada aparição, é tão somente um dos mais talentosos autores da literatura fantástica mundial. Um dos mais amados e odiados. Amado por uns, odiado por outros, e muitas vezes, amado e odiado pelos mesmos. O motivo? Pat Rothfuss é dono de uma escrita capaz de envergonhar alguns poetas célebres, o seu personagem central é um dos mais carismáticos do multiverso fantástico e a sua história está carregada de mistérios e charadas. O problema? Só publicou 3 livros, um deles sendo um mero spin-off sem relevância aparente, e parece ter deixado todas as respostas para o último e eternamente adiado volume final da sua série.

A trilogia que se predispôs a escrever é conhecida em Portugal como Crónica do Regicida, cuja ideia passa por apresentar um anti-herói no outono da vida, a gerir uma estalagem vulgar numa povoação remota. A personagem esconde a sua verdadeira identidade do mundo que o julga morto, pois as suas façanhas despertaram inimigos tenebrosos da mesma forma que inspiraram canções e lendas. Quando salva a vida a um cronista que por ali passava, porém, resolve a contar a sua verdadeira história para que fique registada, e cada um dos três volumes corresponde a cada um dos três dias que ele leva a narrar os acontecimentos que constituirão a sua inusitada biografia. [LER +]

A DIVULGAR

Artigos mais populares na categoria A Divulgar:

A Divulgar: Catálogo Bang! 2018

Sem título

Que a Coleção Bang! é a chancela de qualidade no que diz respeito à literatura fantástica em Portugal, poucos são os que duvidam. A coleção da Saída de Emergência possui os melhores livros de Ficção Especulativa publicados em português de Portugal, incluindo nomes como os de George R. R. Martin, Anne Bishop, Robin Hobb e Brandon Sanderson, entre muitos outros. No Festival Bang! que ocorreu no passado dia 28 de outubro, em Lisboa, foram divulgadas algumas das novidades que a editora reserva para o próximo ano. Difícil será suplantar a qualidade dos produtos lançados em 2017, onde Espada de Vidro de Victoria Aveyard, Os Portões da Casa dos Mortos (Parte 1) de Steven Erikson e Sangue dos Elfos de Andrzej Sapkowski são as últimas grandes surpresas do ano.

Para 2018, a BD Monstress de Marjorie Liu e Sana Takeda ganhará o segundo volume, com o título O Sangue. Depois do sucesso de Despertar, o épico percurso de Maika Meiolobo continuará já no início do próximo ano. Quem receberá novas edições será Sonho Febril de George R. R. Martin, Carbono Alterado de Richard Morgan e Um Estranho Numa Terra Estranha de Robert A. Heinlein. Tanto o romance de vampiros do autor de A Guerra dos Tronos como os dois famosíssimos livros de ficção científica têm destaque no catálogo de 2018 da editora, vendo assim reconhecida a importância dos mesmos. [LER +]

A Divulgar: Ilustrações de “Oathbringer” de Brandon Sanderson

Cubiertas

Oathbringer é o título do tão aguardado terceiro volume de The Stormlight Archive, a obra-prima de Brandon Sanderson que tem deixado os fãs em grande ansiedade. A edição americana chegou finalmente às bancas, e um dos detalhes que tem feito mais sucesso tem sido a ilustração do livro. Para além da fantástica capa de Michael Whelan, o livro conta com ilustrações de Dan dos Santos (que já havia ilustrado a Edição Comemorativa dos 10 anos de O Nome do Vento) e de Howard Lyon, que destacam alguns dos personagens mais lendários da história.

Os dois primeiros desenhos, trabalho de Dan, representam Ishtar e Shalash, enquanto as duas obras de Lyon ilustram Jezerezeh e Vedeledev. Os quatro personagens são Heralds, uma facção mística de Roshar que, exaustos pelo sem-número de batalhas, puseram um ponto final nas guerras contra os enigmáticos Voidbringer, comunicando ao mundo a sua vitória. [LER +]

A Divulgar: Nova Antologia Organizada por George R. R. Martin e Gardner Dozois

Sem TítuloDepois de, entre finais de 2015 e meados de 2016 terem sido publicadas em Portugal as Histórias de Aventureiros e Patifes e as Histórias de Vigaristas e Canalhas, versão dividida da antologia Rogues, este mês conhecemos uma nova antologia organizada pela dupla George R. R. Martin e Gardner Dozois, pelas mãos da Saída de Emergência. Falo da primeira parte da antologia Dangerous Women, conhecida entre nós como Mulheres Perigosas. Não é, porém, sobre esse livro que trata este artigo. Martin e Dozois estão a preparar uma terceira antologia de fantasia, e muito provavelmente chegará até nós nos próximos anos.

Estamos a falar, então, de uma série de antologias que visa reunir os melhores autores de fantasia, policial e ficção científica e coligir, assim, fantásticos contos dentro do género. Se nas Histórias conhecemos todo o tipo de ladrões, vigaristas e rufias, e em Mulheres Perigosas somos apresentados a senhoras muito pouco fiáveis, The Book of Swords será focada no fantástico e na pesada herança dos heróis de espada e feitiçaria. Espadachins e cavaleiros que conhecerão perigos inusitados nas suas caminhadas mágicas. [LER +]

FALA-SE DE

Artigos mais populares na categoria Fala-se de:

Sem título

Fala-se de: Blade Runner 2049

Com direção de Denis Villeneuve e argumento de Hampton Fancher e Michael Green, Blade Runner 2049 é a tão esperada sequela do clássico de 1982 dirigido por Ridley Scott, que tardiamente ganhou reconhecimento assim como tardiamente conheceu uma sequência. Falamos de um produto neo-noir passado num período pós-moderno, onde a espécie humana recorreu ao desenvolvimento de inteligências artificiais (os replicantes) para realizar os trabalhos que menos se interessavam em fazer. Uma das principais questões em debate é: onde se encontra a humanidade? Nos seres humanos ou naqueles que estes criaram?

Passado trinta anos após os acontecimentos do primeiro filme, Blade Runner 2049 apresenta-nos um mundo fragmentado, respaldado nas criações artificiais para sobreviver no moribundo ecossistema do planeta Terra. As colónias humanas continuam a ser exploradas pela Tyrell Corp, agora nas mãos do megolámano Niander Wallace, personagem interpretado por Jared Leto. Deste modo, a população endinheirada vive as mordomias das colónias extraterrestres, enquanto a Terra, poluída e parcialmente abandonada, é lar das classes pobres de humanos, mas sobretudo dos imensos replicantes que as habitam, ocupando posições diversas na estratificação social terrena. [LER +]

Sem título

Fala-se de: Game of Thrones T7

A tão aclamada sétima temporada de Game of Thrones chegou ao fim, e poucos são os que não viram os sete episódios exibidos em 2017. Emilia Clarke, Kit Harington, Lena Headey e companhia foram os rostos de uma das temporadas mais aguardadas, com uma sequência de reencontros e de confluências que a maioria dos fãs aguardava desde a primeira temporada. Nem mesmo a diminuição de episódios ou de elenco veio roubar público ao programa, que registou as melhores audiências desde o início da mesma.

David Benioff e D. B. Weiss continuam como showrunners e produtores executivos, ficando seguramente na História do pequeno ecrã pelo trabalho na série da HBO. É responsabilidade deles parte do sucesso de Game of Thrones e muito da conclusão narrativa que testemunhamos semana após semana em direção ao grande final. Contudo, há que realçar que limitam-se a trabalhar sobre a obra de um mestre literário chamado George R. R. Martin, e as escolhas que têm deliberado não são imunes à crítica. Defenda-se ou não o trabalho da dupla, é inegável que o seu cunho pessoal afastou a série do rumo que a levou ao sucesso. [LER +]

Sem título

Fala-se de: Baywatch

Verão é sinónimo de praias e corpos despidos, como tal Baywatch é um dos filmes que gerou maiores expectativas para esta estação. Pelas mãos da Paramount Pictures, a adaptação para o cinema de uma das séries de maior sucesso da TV mundial tem direção de Seth Gordon, responsável por filmes como Identify Thief e Pixels, e argumento de Damian Shannon e Mark Swift. Não sei se o filme consegue recuperar a mística da série televisiva, mas é, na minha opinião, delicioso. Baywatch é uma adaptação que, parecendo quase uma mistura de Velocidade Furiosa e American Pie, consegue reverter a imagem da série televisiva e até satirizá-la.

Baywatch narra o trabalho de uma equipa de nadadores-salvadores e a forma como eles se conectam e relacionam, ao mesmo tempo que tentam salvar a praia e os veraneantes dos inúmeros perigos que ali se podem encontrar, de afogamentos e animais marítimos a larápios e cartéis de droga. Uma das marcas da série televisiva que popularizou o produto entre os finais dos anos 80 e o início do atual milénio foi a progressão de imagens em slow-motion, quando os nadadores, homens e mulheres, corriam na areia para proceder aos salvamentos. O filme, na minha opinião, é mais hilariante que a série, recorrendo ao absurdo e ao ridículo para gozar com o próprio produto. Surpreendentemente, de forma bem sucedida. [LER +]

POST-IT

Artigos mais populares na categoria Post-It:

Fórum Fantástico 2017

Sem título

Mais um ano, mais uma ida ao Fórum Fantástico. O certame anual dedicado à Ficção Especulativa regressou à Biblioteca Orlando Ribeiro em Telheiras, de 29 de setembro a 1 de outubro. Organizado por Rogério Ribeiro, João Morales e a Épica (Associação Portuguesa do Fantástico nas Artes), o Fórum Fantástico deste ano trouxe várias surpresas, entre elas a existência de uma banca exterior de venda de livros usados, a realização em simultâneo da EuroSteamCon e a presença do autor Mike Carey, conhecido argumentista de X-Men e Lucifer, que lançou recentemente no nosso país, pela Nuvem de Tinta o livro A Rapariga que Sabia Demais.

Este ano tive o privilégio de estar presente no dia 30 de manhã e à tarde, onde registei com agrado uma grande afluência de participantes, especialmente devido à colaboração do pessoal do cosplay e do steampunk. O meu destaque vai, no entanto, para o workshop que decorreu no Auditório a partir das 10:30. Pedro Cipriano e Bruno Martins Soares partilharam com o público algumas ideias muito interessantes sobre Mundicriação e Escrita Criativa (e o Bruno ainda atirou uma melancia ao público xD ). À tarde, Rogério Ribeiro esteve À Conversa com o Especulatório, onde pudemos conhecer muitas das atividades em que este grupo empreendedor e peculiar tem desenvolvido com especial incidência para os jogos de RPG. [LER +]

Sci-Fi Lx 2017

Sem título

Boas! E que tal começar as férias com uma ida ao Sci-Fi Lx? Foi o que eu fiz. A Editorial Divergência havia-me convidado para estar a representar Os Monstros que nos Habitam na sessão de autógrafos de dia 15, mas por motivos profissionais e falta de preparativos, acabei por não conseguir comparecer. Ainda assim, não podia faltar ao evento e fiz a minha appearence hoje, no Pavilhão Central do Instituto Superior Técnico de Lisboa.

Entre vários eventos dedicados à Ficção Científica, o destaque vai para a palestra “Por Favor, Senhor Escritor, Não Faça Isto!” levada a cabo pelo distinto Luís Filipe Silva, no Auditório 1. Num debate cheio de boas dicas e caminhos a “não seguir”, fiquei com a sensação de que a preleção merecia um maior número de público. Estimados autores nacionais, não sabem aquilo que perderam. A conversa foi pertinente e bem construtiva. [LER +]

Feira do Livro de Lisboa 2017

Sem Título

Olá amigos! O verão só começa lá mais para o fim do mês mas assim que entramos em junho sinto-me já completamente possuído por vibrações estivais. E os eventos que normalmente marcam o início desta “sensação” são mesmo a Feira do Livro de Lisboa e os Santos Populares. Como vos tinha anunciado, estive na Feira ontem, dia 3 de junho, para ver livros mas principalmente para estar com alguns amigos da blogosfera que é, realmente, uma das razões que me levam, ano após ano, a participar neste evento maravilhoso.

Sessões de autógrafos a ocorrerem por todo o lado, muralhas de gente em frente às bancas, bares e tasquinhas em pinha, pessoas vestidas de bonecos e figuras públicas a chamarem para eles a atenção marcam a 87.ª edição da Feira do Livro de Lisboa, que em 2017 consegue um novo recorde e uma vez mais é a maior de sempre no nosso país. O clima quente e acolhedor permeou uma tarde de sábado muito bem passada e em boa companhia. Comprei dois livros e não sei se ainda lá voltarei este ano, mas fica o registo de mais uma visita muito agradável à minha querida capital. [LER +]

HISTÓRIAS VERMELHAS DE ZALLAR
Imagem relacionada
Fonte: dejan-delic (deviantart)

Fica por dentro de As Origens de Zallar, um companion para o meu livro Espada que SangraTrata-se de uma série de artigos escritos entre 2014 e 2015 onde podes conhecer as minhas influências para a conceção da saga Histórias Vermelhas de Zallar. Podes também conhecer pormenorizadamente cada uma das personagens.

Lê aqui os artigos: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10

LÍNGUA DE FERRO: UM SACANA QUALQUER

No Wattpad ou aqui no site, lê o meu livro Língua de Ferro: Um Sacana Qualquer gratuitamente, informa-te sobre a conceção do livro através da minha nota de autor e conhece melhor o perfil das personagens.

Resultado de imagem para dejan-delic awesome art
Fonte: dejan-delic (deviantart)

Lê gratuitamente os capítulos: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 19, 20, 21, 22, 23, 24, 25, 26, 27, 28, 29, 30, 31, 32, 33

PARCERIA “EDIÇÕES SAÍDA DE EMERGÊNCIA”

Já à venda (visita o site):

Sem título

Anúncios