Estive a Ler: As Águias de Roma #5

Armínio é o Cavalo de Tróia dos germanos! Está na altura de o perceberem!

O texto seguinte contém spoilers do quinto volume da série As Águias de Roma (formato BD)

Enrico Marini é um autor já bem conhecido pelos portugueses. Depois da publicação de Rapaces, A Estrela do Deserto ou O Escorpião, a Edições ASA apostou na série As Águias de Roma, uma emocionante história de guerra, irmandade e amor situada nos anos conturbados da Roma Antiga. O Livro V foi lançado em dezembro do ano passado.

Marco e Armínio foram criados como irmãos, instruídos na educação romana. Mas Armínio não é o seu nome verdadeiro. Ele é um germânico, adotado e protegido por um senhor romano. Como as runas predisseram, será Ermanamer – nome de nascença de Armínio – quem irá unir as tribos da Germânia e contribuir para a capitulação de Roma. Para isso, tem de desafiar o Império, as suas convicções e as suas promessas. Assim como o seu irmão de criação.

Sem título
Capa Edições ASA

O princípio do fim

Depois de várias tentativas de alertar Varo para as intenções de Armínio, todas elas goradas graças à confiança cega do governador no seu sequaz, Marco é confinado a um transporte para cativos, onde é obrigado a tolerar um companheiro de cela provocador. No caminho, encontra Priscilla, a sua amada, e faz o seu segurança prometer que a protege, assim como ao filho de ambos, do pesadelo que está para vir. Lépido, o esposo de Priscilla, enfrenta um Marco enclausurado, e percebe que o seu rival é o verdadeiro pai de Tito, o menino que pensava ser seu.

A tensão emerge nas fileiras romanas com o crescente poderio militar dos germânicos. Armínio move as suas peças e consegue o apoio de Segestes, o pai da sua amada Thusnelda, o que reforça a sua posição. As forças romanas são desbaratadas. Também a formação que acompanha a cela de Marco é atacada, e o romano vê aí uma oportunidade para fugir.

Sem título
Prancha Edições ASA

A vitória do lobo

O lobo e a águia digladiam-se mais uma vez, em termos metafóricos, tal como nas visões de Marco. Com bastante perícia, ele combate contra os germânicos e consegue escapar-se-lhes, ainda que a legião romana perca o embate. Marco corre para Varo com o relato do ocorrido.

O general guarda reservas em acreditar que Armínio o traiu, mas o relato de um outro sobrevivente, este sim de confiança, vem-lhe trazer a verdade amarga. Varo liberta Marco e ruge as suas ordens. Tardiamente. Ao descobrir que é filho de Marco, o pequeno Tito reage com horror e foge, mas o pai tudo faz para garantir a sua segurança. A investida de Armínio é letal. Ainda que Marco lute com valentia, o seu irmão de criação é um estratega militar sem igual, esmagando os exércitos romanos com a sua força de armas. As mortes de Varo e Lépido vêm, inevitavelmente, trazer mudanças na trama.

Sem título
Prancha Edições ASA
SINOPSE:

Prestes a atacar, o lobo mantêm-se até ao fim ao lado das Águias de Roma…. Quem poderia imaginar que Armínio, em quem o general romano tinha absoluta confiança, se havia tornado chefe de guerra dos Germanos? O que é certo é que a sua traição surtiu efeito: o exército romano é atacado por todos os lados e Marco, prisioneiro, vê-se completamente impotente. Por detrás das grades, ele não consegue nem combater o seu antigo irmão de sangue nem proteger Priscilla e o seu filho…

OPINIÃO:

Dinâmico e intenso, o enredo de As Águias de Roma continua a narrar os feitos inesquecíveis de Armínio, a história de uma traição que embaraçou o Império Romano. Pelas mãos de Enrico Marini, esta série é um marco na BD francófona recente e com razões para isso.

Sem título
Edições ASA

A história avança a bom ritmo. Simples e atraente, a narrativa de Marini envolve-nos numa sequência de ações de aparente casualidade que revelam não só uma fluidez de enredo como também a capacidade de contar histórias do autor franco-belga. A história não revela grandes novidades, mas consegue manter o leitor preso na vontade de saber o que se sucederá.

A arte de Marini tem na expressividade o seu maior destaque. Os desenhos são bem definidos e do que tenho visto em BD, poucos são os artistas contemporâneos que se lhe conseguem equiparar. A cor é outra da grande qualidade desta série. Não transmitindo “verdade”, transmite clareza, o que é, a bem dizer, o mais importante para o sucesso de um álbum gráfico.

Avaliação: 8/10

As Águias de Roma (Asa):

#1 Livro I

#2 Livro II

#3 Livro III

#4 Livro IV

#5 Livro V

Anúncios

As Águias de Roma #4

Muitos deles sacrificaram-se na Ilíria e ainda não receberam o saque que lhes foi prometido. O seu ódio contra Roma aumenta dia após dia.

O texto seguinte contém spoilers do quarto volume da série As Águias de Roma (formato BD)

A série em banda-desenhada de Enrico Marini chega ao clímax neste quarto volume, publicado em Portugal pela Edições ASA. No livro anterior, Marco descobriu que o seu irmão de criação, Armínio, organizava uma rebelião germânica contra Roma, e este volume começa precisamente com uma batalha entre as forças de Marco e as de Loktar, libertado por Armínio. Em Visurgis, no quartel-general de Varo, Armínio salva a vida ao governador, ganhando assim mais uma dívida de gratidão e um voto de confiança.

sem-titulo
Armínio (Marini)

Regressado da guerra, Lépido aterroriza a mulher, Priscilla, e tenta violá-la em frente ao filho, embora o menino acabe por fugir e ser instigado por Armínio a matá-lo. Depois, Armínio regressa para junto dos clãs germânicos e engendra um encontro com Thusnelda, a filha de Segestes, com quem vive um romance proibido.

Nesse momento, Loktar e Marco enfrentam-se em batalha e Marco é aprisionado, sendo levado a Armínio. Quando um bárbaro germânico reclama a liderança dos clãs e desafia o jovem estratega para um combate corpo a corpo, o prisioneiro Marco recebe uma visita inesperada, que o liberta e ajuda a fugir. Encontra as forças de Segestes, o seu aliado germânico, e regressam a Visurgis, tentando convencer Varo da traição de Armínio. Envenenado pelas palavras deste, o romano não acredita em Marco e manda prendê-lo, depois de uma testemunha o acusar de ter assassinado o seu servo Nektarius. Nas masmorras, Armínio revela as suas intenções ao antigo amigo, enquanto o pequeno filho de Marco e Priscilla surpreende Lépido com uma faca.

Sem Título
Capa Edições Asa
SINOPSE:

As runas já o haviam anunciado: ele era aquele que iria unir as tribos da Germânia. Mesmo que para isso tivesse de trair Roma, que tudo lhe deu, que fez dele o homem que ele é agora. Armínio vai então desafiar o império romano. E Marco vai afrontar Armínio, o seu irmão de sangue. Assim se cumprem os destinos, desprezando a história e a amizade. E, quem sabe, também o amor… Porque, embora Marco seja soldado e romano, quem vive no seu coração não é o império, mas sim Priscilla. Priscilla que, mais uma vez, parece escapar-lhe. Renunciará ele à sua amada e àquele filho que chama «pai» a outro homem?

OPINIÃO:

O quarto volume de As Águias de Roma é um desfile de acontecimentos, batalhas e volte-faces que apenas vem consolidar a minha opinião positiva sobre a série. Os dois personagens principais, Marco e Armínio, demonstram desde o primeiro volume um desenvolvimento gradual, um desdobramento de comportamentos e ações que refletem a forma como cada um encara os princípios e valores em que foram gerados. Ao mesmo tempo que são a antítese um do outro, os dois personagens complementam-se.

De forma consistente e credível, Marini constrói um jogo de acontecimentos emocionantes com bastante sumo narrativo, levando o leitor a sentir os dramas dos personagens e conduzindo-o numa guerra entre dois homens que foram um dia os melhores amigos. A história fictícia antecede um facto real, a batalha da Floresta de Teutoburgo, onde Armínio massacrou as legiões romanas.

Mais um volume repleto de detalhes notáveis a nível gráfico, que consolidam este como o trabalho mais conceituado de Enrico Marini. O traço expressivo consegue inquietar e excitar, tanto nas cenas de volúpia como nas descrições de batalha, e a variância de tons continua a ser um fator muito positivo para a “leitura” das pranchas. Resumindo, posso considerar este como uma das melhores produções gráficas dentro do género histórico que já li, seguindo o melhor da tradição franco-belga.

Avaliação: 8/10

As Águias de Roma (Asa):

#1 Livro I

#2 Livro II

#3 Livro III

#4 Livro IV

#5 Livro V

 

 

 

As Águias de Roma #3

#

Mas agora eu me pergunto: onde estão esses valorosos soldados? Só vejo um bando de miseráveis.

O texto seguinte contém spoilers do terceiro volume da série As Águias de Roma (formato BD)

Continuam as aventuras de Marco e Armínio, escritas e ilustradas por Enrico Marini e editadas em Portugal pelas Edições ASA. Neste terceiro volume de As Águias de Roma, encontramos Armínio entre os germânicos, conhecendo as suas gentes e ganhando influência sobre elas. Ali percebe-se que o ponto fraco da Germânia face aos romanos é o facto de estar dividida em muitas tribos. Ao tomar conhecimento de uma profecia, Armínio vira o jogo e une os clãs para enfrentar Roma, enquanto finge continuar do seu lado.

Por sua vez, encontramos Marco mais amadurecido, saindo de Roma como perfeito para fazer face aos germânicos. É quando discute os planos de combate com o impiedoso Varo que reencontra Priscilla, a sua amada. Ela está com o esposo e tem um filho. É também nesse momento que reencontra Armínio, que por essa altura faz jogo duplo com Roma e Germânia, onde foi prometido à filha de Segestes, o líder de uma das tribos. Marco é surpreendido por Priscilla, com quem se envolve. Entre juras de amor, ela revela que o pequeno Tito é filho de Marco, e ele compromete-se com ela para a vida.

Sob as ordens do Imperador, Marco começa a trabalhar num posto-avançado de Varo, um forte onde os homens parecem preguiçosos e pouco resistentes. Enquanto progride e tenta preparar o forte a um cerco germânico, Marco é convidado pelo líder de uma das tribos germânicas à sua casa. Segestes pretende casar Marco com a sua filha, traindo assim o pacto pré-estabelecido com Armínio. Depois de o receber, unem-se para enfrentar um grupo de salteadores vestidos com peles e cabeças de lobo, que vencem facilmente. É quando encontram uma mulher caída em desgraça, deixada para morrer por adultério.

sem-titulo
Priscilla e Marco (Marini)

É levada por Marco, que faz dela sua amante. Armínio, percebendo as movimentações de Marco e a intenção de levar Loktar, seu aliado, como prisioneiro a Varo, leva-o para a floresta, onde revela a sua traição: é Armínio quem está a preparar a rebelião contra Roma. Marco e Armínio lutam um contra o outro, mas um grupo de germânicos surge das sombras e Marco não vê outra alternativa senão fugir. Encontrar-se-ão mais tarde, no campo de batalha.

Sem Título
Capa Edições Asa
SINOPSE:

Marco e Armínio cresceram juntos.
Juntos experimentaram a autoridade e a disciplina de ferro de uma educação romana. Fizeram-se homens e soldados, tornaram-se irmãos. Mas o amor quebrou as suas juras e os seus caminhos divergiram. Agora, corre um rumor: Armínio, regressado à Germânia, às terras do seu povo, estaria a preparar uma rebelião contra Roma.
Enviado como espião pelo imperador, saberá Marco ler no coração do seu amigo?

OPINIÃO:

Este é, muito possivelmente, o melhor volume dos três lidos. No que à narrativa diz respeito, Marini atinge o zénite daquilo a que se propôs. Um jogo político e estratégico cativante, onde os personagens movem-se com fluidez. Marco e Armínio assumem-se como peças capitais no tabuleiro de xadrez e encontramos personagens de boa e má índole dos dois lados da barricada. Se Armínio se consolida como um estratega ímpar, Marco não é tolo e faz mover as suas peças numa intrincada rede de espionagem. Bastante credível em todos os aspetos, a história convida-nos a viver o mundo romano de uma forma emocionante e verosímil, sem faltar as doses certas de intriga, sangue e sexo.

A nível gráfico, Enrico Marini revela-se cada vez mais competente. As cores são fortes e atrativas, as expressões bem definidas, o detalhe dos movimentos e dos cenários bem captados e realistas. Nesse aspeto, o rigor é tão tangível em personalidades como nos trajes e armamentos. Acima de tudo, defino este volume como bem-conseguido, colocando As Águias de Roma na lista das minhas bandas desenhadas preferidas, desenvolvendo muito bem os dois protagonistas e permitindo aos leitores que torçam pelo seu predileto.

Avaliação: 8/10

As Águias de Roma (Asa):

#1 Livro I

#2 Livro II

#3 Livro III

#4 Livro IV

#5 Livro V

As Águias de Roma #2

A luxúria deveria ser a melhor atividade para uma mulher como você. E ainda mais depois da Lex Julia contra o adultério.

O texto seguinte contém spoilers do segundo volume da série As Águias de Roma (formato BD)

O segundo volume da banda-desenhada As Águias de Roma foi publicado pela Edições ASA, com ilustração e roteiro do artista italiano Enrico Marini. Se o primeiro volume se centrou na educação de Marco e Armínio (Ermanamer), e nas diferenças entre o filho do senhor romano e o “refém” germânico, este segundo apresenta os dois personagens mais velhos. A amizade deles solidificou-se, mas ambos mantém diferenças que acabam sempre por separá-los. No entanto, a ação deste livro centra-se em Marco e mostra Armínio como uma sombra, um conselheiro de intenções dúbias.

sem-titulo
Arte de Marco (Marini)

Marco é amante da esposa de um senador, mas acaba por se apaixonar perdidamente por uma jovem que se encontra prometida a um romano influente, Lépido. A impossibilidade desse amor apenas alimenta a paixão de Marco pela bela Priscilla. Tenta encontrar-se com ela, mas um enorme guarda-costas parece sempre vigiar os seus passos. Quando Marco decide prescindir do seu prestígio militar e renuncia à guerra para fugir com Priscilla, Armínio trái a sua amizade e conspira contra esse amor. O jovem romano não só é drogado pela bela Morfea para que Priscilla os encontre juntos (descobrindo posteriormente que a prostituta é mãe da sua amada), como é denunciado ao pai, que se envergonha do seu comportamento. Marco renuncia então ao amor, partindo para a guerra, onde Armínio já se encontra… Resta esperar para ver de que lado eles estarão nesse tabuleiro de xadrez.

Sem título 2
Capa Edições Asa
SINOPSE:

Marco Valério Falco e Ermanamer tiveram o mesmo treino e foram submetidos a uma disciplina de ferro. Ao longo das provas, os dois jovens começam por defrontar-se e acabam por se tornar amigos. Descobrem a embriaguez das armas e o prazer dos sentidos, acabando por misturar os seus sangues para selar um pacto de fraternidade eterna.

OPINIÃO:

Muito embora este segundo volume tenha-se focado nas relações amorosas do protagonista, com muitas cenas de sexo e pouco desenvolvimento a nível narrativo, acabou por me agradar tanto ou mais que o primeiro. A relação entre Marco e Armínio é o pano de fundo de uma história que continua a prometer, apesar de ainda não ter explodido em nenhum momento. Bem, talvez a revelação sobre a maternidade de uma determinada personagem! mas nada que tenha grande influência para a linha mestra da trama.

O que me agrada mais nesta banda-desenhada é o rigor histórico, não só na ilustração dos locais e pormenores, como no próprio discurso dos personagens. Através dos olhos de Enrico Marini, As Águias de Roma apresenta-nos o mundo romano com todos os seus comportamentos desviantes e dilemas de forma palpável. Registo o progresso na arte representada, a nível de detalhes e de corpos humanos, a nível de expressões faciais e corporais. É uma banda-desenhada para um público adulto, rica em elementos sexuais e intriga política. Não estou apaixonado pela série, mas lê-se (e vê-se) muito bem.

Avaliação: 7/10

As Águias de Roma (Asa):

#1 Livro I

#2 Livro II

#3 Livro III

#4 Livro IV

#5 Livro V

As Águias de Roma #1

Eu já treinei milhares de recrutas. Deixei-os comer pó e cuspir sangue. No final, eles gostaram de mim, pois fiz deles soldados legionários… Os melhores soldados do mundo!

O texto seguinte contém spoilers do primeiro volume da série As Águias de Roma (formato BD)

O primeiro volume da série As Águias de Roma, com roteiro e arte de Enrico Marini, foi publicado em Portugal pelas Edições Asa em 2011.

A narrativa, passada no auge do Império Romano, apresenta dois jovens muito diferentes. Marco, filho do romano Tito Valério Falco, e Ermanamer, filho de um príncipe germânico levado para Roma, onde é renomeado Caio Júlio Armínio. A Tito é confiada a educação do jovem Armínio, por ordens do Imperador. Ao início, o germânico revela-se bem mais talhado para as artes da guerra do que Marco, o que desperta a admiração do homem que o albergou e a inveja do seu irmão de criação.

sem-titulo
Marco (Marini)

Também a facilidade com que Armínio conquista as jovens intriga Marco e fomenta entre os rapazes uma certa inimizade. Ainda assim, Marco acaba por se revelar mais nobre de princípios e depois de matar um urso, salvando a vida a Armínio, os dois tornam-se os melhores amigos. A vida dos dois jovens sofre uma reviravolta, porém, quando Lucilla, irmã de Marco, pede a Armínio para a desflorar antes de se casar com o senador Casso, e manifesta o seu desejo em ver a madrasta morta. Misteriosamente, a esposa de Tito é encontrada sem vida.

Sem título 2
Capa Edições Asa
SINOPSE:

Após um terrível combate, Ermanamer, filho do príncipe Sigmar, fica refém dos romanos. O imperador Augusto confia-o ao seu fiel Tito Valério Falco, que tem um filho da mesma idade, Marco. Os dois jovens recebem uma rigorosa educação romana, submetidos a uma disciplina de ferro. Ao longo das provas, o ódio mais implacável cede lugar à amizade. Mas o que acontece à fraternidade de espírito e de armas quando surge o amor por uma mulher?

OPINIÃO:

Sem surpreender, Marini construiu uma narrativa básica e cheia de clichés, mas com tantas histórias já contadas sobre o Império Romano, seria difícil não os encontrar. Faltam algumas frases de efeito, mas os diálogos foram bem trabalhados e as relações entre personagens bem exploradas. A reta final do primeiro volume agradou-me, com algumas reviravoltas e dando destaque a outros personagens para além dos dois protagonistas. Julgo que os dados estão lançados para uma continuação cheia de surpresas e de reviravoltas.

A nível gráfico, as cores são realmente o mais notável da edição. O desenho de As Águias de Roma não me desiludiu; tanto as expressões faciais quanto os traços corporais – masculinos e femininos – agradaram-me bastante.

Avaliação: 7/10

As Águias de Roma (Asa):

#1 Livro I

#2 Livro II

#3 Livro III

#4 Livro IV

#5 Livro V