Saga #6

Mas não se aflija, nada faz com que se cresça mais rápido do que tempos de guerra…

O texto seguinte pode conter spoilers do sexto volume da série Saga (Formato BD)

Prestes a alcançar a publicação original, a G Floy Portugal lançou este fim-de-semana o sexto volume da série Saga de Brian K. Vaughan e Fiona Staples, que inclui os números 31 a 36. Trata-se da mais ambiciosa space opera dos últimos tempos, uma banda-desenhada que aborda várias problemáticas sociais numa aventura intergaláctica com uma cobertura de ação, cenas de sexo, violência algo gratuita e muito, muito humor.

Com nove Prémios Eisner no bolso (inclui Melhor Série em Continuação por três vezes, Melhor Nova Série, Melhor Argumento e Melhor Arte), um Hugo para Melhor História Gráfica e dezassete Harveys, Saga é já uma série inolvidável do panorama gráfico internacional.

Sem título
Capa G Floy

O crescimento de Hazel

Este volume de Saga começa com a pequena Hazel na escola. Ou… talvez não. Na verdade, a filha de Alana e Marko tem muito a aprender neste volume de Saga. Fechada numa espécie de prisão espacial, onde é levada a ter uma educação pouco tradicional, Hazel é fadada a uma série de encontros mais ou menos inusitados. Desde o reencontro com Izabel, que se havia disfarçado de um médico com corpo de porco, até a uma descoberta terrível sobre a sua avó Klara no chuveiro, Hazel é levada a conhecer mais sobre a natureza das pessoas que a rodeiam, e terá de contar com a ajuda de Noreen – uma mulher-gafanhoto – para tentar sair dali.

Paralelamente, Alana e Marko prosseguem na sua demanda heróica em busca da filha, com o Príncipe Robot IV como aliado. Vontade, recuperado do coma após o sacrifício da irmã, aprisiona o casal gay de repórteres e começa a sua senda de vingança. A sua consciência, na forma da mulher-aranha Haste, continua a sussurrar-lhe ao ouvido, tomando também a forma da irmã falecida. Quando Vontade encontra o pequeno filho de Robot IV, porém, ameaça o menino com cabeça de TV para que lhe indique a localização do seu pai.

Sem título
Imagem G Floy/ Image Comics

O reencontro

A fuga não se revela fácil para Hazel, com o plano de Noreen a sair errado. É a incursão de Marko, armado de espada e escudo, por um portal luminoso, que resulta no reencontro entre Marko e a sua filha… mas também com a mãe, Klara, que surpreendentemente recusa-se a seguir a família.

As intenções de Vontade também saem goradas. Apesar de manter os dois repórteres sob a vigilância apertada do seu cão, eles conseguem fugir e espiar os seus movimentos, dispostos a conseguir concluir o seu trabalho. Para piorar a situação, Gus surge montado em Friendo, a morsa de estimação, e tenta salvar o filho de Robot IV, desafiando Vontade para um combate. Gus consegue cortar os dedos a Vontade com o seu machado, mas acaba derrotado pelo inimigo. Marko e Hazel reencontram Alana, num final surpreendente que traz consigo uma revelação que irá, inevitavelmente, mudar a vida da família. Alana está grávida.

Sem título
Hazel (Image Comics)
SINOPSE:

SAGA narra a luta de uma jovem família para encontrar o seu lugar num universo vasto e hostil, e já foi descrito como um épico de ficção científica cruzado com fantasia, com romance e comédia à mistura, um encontro entre a Guerra dos Tronos e a Guerra das Estrelas ou Romeu e Julieta no espaço. Depois de um salto dramático no tempo, reunimo-nos com Hazel no momento em que ela inicia a maior aventura da sua vida: a escola! Enquanto isso, os seus pais terão de forjar uma aliança improvável com o Príncipe Robot IV, e A Vontade dá os seus primeiros passos no caminho da vingança.

OPINIÃO:

Se há séries de banda-desenhada que não desiludem, Saga é um desses casos. Extremamente provocante, mordaz e bem-humorado, este volume consegue trazer uma aventura cheia de ação e corridas alucinantes sem deixar de lado a crítica social e a temática familiar. Alana, Marko e Hazel são uma família desestruturada, há anos a fugir de uma guerra política entre as suas nações planetárias com um bebé nos braços. Esse bebé perdeu-se dos pais, mas também cresceu.

O sexto livro da obra-prima de Brian K. Vaughan faz regressar o personagem Vontade e mostra o crescimento de Hazel de uma forma consistente e rápida. Com um ritmo permanentemente elevado e vários apartes refrescantes, a linguagem de Vaughan é subversiva e direta, não hesitando em fazer uma criança falar abertamente da forma como foi concebida ou até questionando a sexualidade de uma avó.

Sem título
Noreen (Image Comics)

O humor está sempre presente, atuando de forma fria e direta por vezes quando menos se espera. Os ingredientes repetem-se, com as tramas contadas em separado a cruzarem-se de alguma forma nos instantes finais, o que provoca ganchos importantes que tornam obrigatório o consumo do livro seguinte.

A arte de Fiona Staples continua a engatar extremamente bem com a história contada. Com traços únicos que dão destaque à excentricidade dos personagens, a ilustração vem acompanhada por cores distintas e atraentes que dão vigor à série. O volume seis de Saga acabou por revelar-se mais um excelente álbum, dando continuidade ao trabalho excepcional da dupla americana. Quem ainda não leu esta série, não sabe o que tem perdido.

Avaliação: 9/10

Saga (G Floy Studio):

#1 Volume 1

#2 Volume 2

#3 Volume 3

#4 Volume 4

#5 Volume 5

#6 Volume 6

Assombrações Sem Fim, Harrow County #1

As gentes de Harrow County condenaram a bruxa à morte… Mas a bruxa não morreu facilmente.

O texto seguinte pode ter spoilers do livro “Assombrações Sem Fim”, primeiro volume da série Harrow County (Formato BD)

Com argumento de Cullen Bunn e arte de Tyler Crook, Harrow County: Assombrações Sem Fim é considerada por muitos como a melhor BD de terror dos últimos anos. Publicada recentemente pela G Floy Portugal, a história foi concebida por Bunn no formato prosa, mas acabou por não ser terminada para publicação.

A BD acabou por ser o formato escolhido para trazer ao público uma obra que remexe com os medos mais mundanos da Humanidade, originalmente lançada pela Dark Horse. Vencedor de um Gasthly Award e nomeado para o Prémio Eisner de Melhor Série em Continuação no ano passado, o volume inaugural de Harrow County inclui os números 1 a 4 da publicação original.

Sem título
Capa G Floy/ Dark Horse

O fim de um mito

Harrow County é uma povoação prenhe de lendas e crendices, que combate ativamente aquilo que chamam de bruxaria. É nessa toada que queimam viva uma bruxa, Hester, a quem já quase todos os executores haviam solicitado favores, mas cujas repercussões dessas atividades tinham vindo a ser devastadoras no dia-a-dia dos locais, com um declínio evidente a nível ecológico e natural. A execução não foi fácil. A mulher demorou a morrer.

A promessa de um regresso paira no ar e o medo instala-se na comunidade. De forma bastante bizarra, uma criança surge no mesmo local onde a mulher fora queimada, e só o pragmatismo de um agricultor salva a vida à criança, levando-a e cuidando dela como sua.

Sem título
Prancha G Floy

O surgimento de outro

Emmy é uma jovem prestes a completar os seus dezoito anos, a grande protagonista desta história. É ela a menina encontrada na mesma árvore que a bruxa, apartada das ciências e das crendices populares pelo homem que a criou. Tudo indica que é uma menina igual às outras, mas as coisas mudam quando assiste ao parto trágico de uma vaca. Observando a cria morta, Emmy toca-lhe e o improvável acontece. A pequena criatura revive ao seu toque. Esse evento despoleta uma mudança abismal na vida de Emmy.

Harrow County é uma pequena vila no Sul dos E.U.A., confinada a um isolamento que convida ao sobrenatural. À medida que descobre mais dos seus poderes, Emmy é vítima de uma conspiração urdida pelos próprios locais, melindrados pelas suas capacidades. Conselhos vindos das trevas e uma figura há muito morta são outros perigos com que Emmy terá de lidar. Mas quem será mais perigoso? Aqueles que provocam o medo ou quem o sente?

Sem título
Prancha G Floy
SINOPSE:

BEM VINDOS A HARROW COUNTY…

Na pequena vila de Harrow County, no Sul dos Estados Unidos, a jovem Emmy sempre soube que a floresta à volta da sua casa estava cheia de fantasmas e monstros. Mas, na véspera do seu décimo oitavo aniversário, ela descobre que está profundamente ligada a essas criaturas – e à própria terra que pisa – de uma maneira que nunca poderia ter imaginado. Aos poucos, sentirá nascer dentro dela os estranhos poderes que a ligam ao passado de Harrow County… estará ela pronta para enfrentar todos os seus mistérios?

Opinião:

Harrow County foi uma agradável surpresa. Não conhecia o trabalho de Cullen Bunn, já famigerado na Marvel pelas participações em Deadpool e Uncanny X-Men como por trabalhos mais personalizados, onde este se inclui. Se a sua história envolve o leitor num clima de tensão permanente e de grande escuridão, a escrita não perde em comparação.

O argumento oferece uma protagonista bizarra, vítima da sua natureza e daqueles que a circundam. Uma povoação aterrorizada. Males à solta. É esta panóplia de ingredientes, misturados numa narrativa cadenciada com cabeça, tronco e membros, que torna este álbum apetecível.

Sem título
Prancha G Floy

Ainda assim, não achei a premissa muito original e tenho aí talvez o único defeito a apontar. As histórias de bruxas nunca me prenderam por aí além, principalmente envolvendo jovens adolescentes, mas Harrow County traz um clima de tensão e terror mais palpável e visceral que não me desagradou.

A arte de Tyler Crook vem dar um contraste curioso a este álbum. Se toda a história sugere negros e cinzentos, a ilustração jorra de amarelos e vermelhos, numa alusão empírica ao fogo da cena preambular. O traço de Crook também parece destacar os pormenores: do rosto pueril de Emmy aos mórbidos pedaços de cadáveres. Todo o conjunto é arrojado e bizarro.

Avaliação: 8/10

Harrow County (G Floy Studio Portugal):

#1 Assombrações Sem Fim