Estive a Ler: Conquista da Liberdade, Rebeldes Europeus #1


— Claro que sei! Posso não ter muita experiência, mas tenho carta de condução! Tu sabias disso!

O texto seguinte pode conter spoilers do livro “Conquista da Liberdade”, primeiro volume da série Rebeldes Europeus

Nascida em Vila Franca de Xira no ano de 1994, Jay Luís foi criada entre as verdejantes encostas de Alenquer e o profundo azul marítimo de Sines, entre a camaradagem de bombeiros e o seio de uma família numerosa. Percorreu um ensino técnico ligado aos animais e à alimentação e começou a trabalhar como bombeira, nunca desistindo da escrita e do sonho de publicar os seus livros.

Publicado pela Edições Pastel de Nata, uma chancela do Grupo Capital Books, Conquista da Liberdade é o primeiro volume da série Rebeldes Europeus, um livro de ficção distópica passado num futuro não muito distante. A obra foi lançada no Centro de Artes de Sines no passado dia 8 de julho.

Sem título
Capa Pastel de Nata Edições

O controlo da Terra

O mundo que conhecemos sofreu um terrível revés quando o terrível déspota de origens islâmicas Yabdul Hassin aproveitou uma grave crise mundial para se afirmar no poder. A sua ideologia passava por enfraquecer o ser humano e dobrá-lo à sua vontade através dos mais diversos mecanismos. Com legiões de mercenários, redes de espiões e um controlo efetivo do submundo da droga, Hassin arrebanhou armas e homens, desafiou as grande potências e conquistou-lhes importantes bases militares.

A audácia de Hassin chegou à destruição de cidades importantes, como Nova Iorque ou Washington, mas também as maiores capitais da Europa dobraram-se à sua hegemonia. Com o poder em mãos, Hassin exigiu a cada uma das famílias dos territórios dominados que lhe cedessem duas crianças, de preferência um casal, para que a rapariga servisse como escrava de casa enquanto o rapaz alimentaria as fileiras dos seus exércitos.

Sem título
Promocional Pastel de Nata Edições

A Terra atravessou assim tempos difíceis, não fosse a ação dos Protetores do Espaço, então conhecidos como Rebeldes. Era um grupo concertado de cientistas e militares, que haviam sobrevivido à mão cruel de Hassin e desenvolvido um programa competente de resgate e salvamento. Nesse grupo destacaram-se duas irmãs de forte temperamento e desenvoltura militar: Mira e Lora Addams.

Nos últimos anos anteriores à nova contagem da passagem dos anos, fizeram-se as primeiras descobertas para a permanência de vida no espaço, através de naves, de modificadores de atmosferas e geradores de gravidade. Porém, no ano zero dessa nova contagem, Yabdul Hassin aproveitou a crise mundial instalada, para subir ao poder e mergulhar a Terra inteira em trevas, escravidão e pobreza. Foi, logo no início, que a oposição a este líder tirano se formou.

Com o passar dos tempos, os Rebeldes conseguiram estabelecer bases secretas e aceder a tecnologia de ponta, assim como edificar colónias espaciais, para onde enviavam todas as famílias que conseguiam salvar das garras de Hassin, que controlava todo o Planeta Terra. As equipas no terreno eram normalmente compostas por um Engenheiro Aeroespacial e um Guardião, militar de relevo encarregado da sua proteção.

Sem título
Cena do filme “Seven Sisters” (Fonte: indiewire.com)

Duas irmãs de garra

Mira Addams ocupa a dupla função de engenheira aeroespacial e organizadora de gado e mantimentos para as Colónias, enquanto a sua irmã Lora, a quem era muito ligada desde a morte dos pais, ocupou o lugar de sua Guardiã. Os pais estavam separados há anos quando se deu a destruição de Lisboa, mas encontravam-se na conservatória para tratar de pormenores relativos ao seu divórcio quando a tragédia se deu.

Mira e Lora tinham irmãos mais jovens, frutos das novas relações dos progenitores. As crianças haviam sido levadas como cativos para as ilhas, onde estavam sediados os colégios privados onde o regime de Hassin guardava as crianças e as preparava para o novo mundo. Excelente piloto de aviões, Mira tinha em mente resgatar as irmãs Lyana e Iara, mas também os primos Carina, Jorge e Filipe, aprisionados na Ilha de S. Miguel nos Açores.

Para tal, estava disposta a engolir um veneno no caso de ser apanhada, para não poder desvendar segredos dos Rebeldes sob tortura, mas a irmã Lora não a abandonou em nenhum momento. Juntas, as irmãs Addams atravessaram meio mundo, de Espanha até à Rússia e da Rússia até à Holanda, na tentativa de travar as intenções malignas do regime de Yabdul Hassin.

Sem título
Cena do filme “Into the Forest” (Fonte: screenfish.net)
SINOPSE:

Mira e Lora são duas irmãs, envolvidas na luta contra um regime tirânico, elas lutam pela liberdade do Mundo inteiro e para encontrar toda a sua família, no seio dos Rebeldes elas mostram ideais antigos que estão mortos e arriscam a vida para os manter, inspirando outros a serem como elas. Os Rebeldes detêm a única forma de escapar, o conhecimento sobre como ir para o Espaço e Mira faz parte da equipa ligada a essa área que foi permitida a permanecer na Terra, com condições, para evitar que o seu conhecimento caia em mãos inimigas, uma dessas condições é que esteja sempre acompanhada por um Guardião e Lora tomou essa posição. Podendo estar em paz, longe da Guerra, estas irmãs decidiram ficar e lutar, mas será que chegarão ao fim da luta?

OPINIÃO:

Conheci a Jay Luís no facebook quando ela procurava uma opinião ao seu livro de estreia e foi com agrado que aceitei o repto. Conquista da Liberdade é o primeiro livro da série Rebeldes Europeus, uma distopia com alguns toques de ficção científica. Quem me conhece sabe que não sou grande apreciador de distopias e tenho alguma aversão a livros do género Jogos da Fome, pelo que entrei nesta aventura com um pé atrás em relação ao que iria encontrar.

Ainda assim, quando o livro me chegou às mãos e percebi não só o tamanho reduzido do livro, como o grafismo atrativo do mesmo, concluí que não demoraria muito em devorá-lo. Achei alguma piada à forma como a autora nos introduziu no mundo criado, através de uma aula de História, e comprei a ideia do livro. Ao ler, tive sempre em conta que a autora é iniciante, pagou para publicar o seu trabalho e não tem qualquer experiência literária, como tantos jovens autores que por aí se lançam no mercado através de vanities.

Como disse, sem grande originalidade, a ideia é agradável. Gostei que a autora tenha partido do nosso mundo real e explorado um futuro distópico que abarcasse o nosso país. A ação do livro foi consistente, repleta de boas passagens e o ritmo foi sempre elevado sem parecer apressado. As cenas sucederam-se de forma natural e fluída e esse é, de facto, um dos maiores elogios a apontar. O sentido de humor da autora também foi uma constante, tenha sido ou não pertinente ou bem sucedido em alguns momentos.

Sem título
Jay Luís (Fonte: facebook.com/jayluisescritora)

Conquista da Liberdade é, porém, um livro por maturar. Aparte ser destinado a um público mais juvenil, patente na forma tipicamente “Barbie + Ken” com que os personagens são definidos na sua maioria, havia muitas arestas para serem limadas antes de o livro ser proposto a publicação. Em primeiro lugar, falta maturidade literária à autora. Tem talento, mas é visivelmente uma pedra em bruto e um autor deve ter vários anos de escrita contínua para que o seu trabalho tenha qualidade. Falta trabalho e traquejo, acima de tudo.

“A ação do livro foi consistente, repleta de boas passagens e o ritmo foi sempre elevado sem parecer apressado. As cenas sucederam-se de forma natural e fluída e esse é, de facto, um dos maiores elogios a apontar.”

Ainda assim, se ignorarmos o uso ostensivo de vírgulas, que nos faz sentir verdadeiros robôs ao ler o livro em voz alta, a descrição de personagens completamente estandardizada e a linguagem de corredor, estamos perante um livro que pode agradar a várias classes etárias. A história agradou-me, mesmo sem ser o meu género de eleição, e fico à espera de ver mais desta jovem autora que tem ainda muito caminho a desbravar no mundo das letras. Neste primeiro volume mostrou alguns conhecimentos sobre animais e sobre ciências e irei, com certeza, continuar a acompanhar os seus passos.

Avaliação: 4/10

Anúncios

5 thoughts on “Estive a Ler: Conquista da Liberdade, Rebeldes Europeus #1

  1. Luisa Bernardino

    Interessante esta tua divulgação. Acho que o facto de ser tão jovem e ter a coragem de escrever é algo a favor. Eu não me atrevo sequee a um parágrafo. (#^_^#)
    Desejo-lhe muita sorte e não desista.

  2. Pingback: Resumo Trimestral de Leituras #11 – Notícias de Zallar

Comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s