200 Posts, Peça a Peça


Que Aan me valha! Ainda nem passou um ano e já dupliquei o volume de posts no meu blogue. Como podem ver neste link, atingi a marca dos 100 posts a 20 de Abril do ano passado, e já alimento este cantinho desde 2012, o que significa que tenho andado a trabalhar bem. :p A verdade é que sou um saudosista nato e sempre gostei muito de olhar para o retrovisor, se bem que com a vida me tenho tornado bem mais pragmático e virado para o presente. Seja como for, quem é que não gosta de dar uma espreitadela ao que fez no passado? Isso sempre me aconteceu e de alguma forma consigo tirar algum prazer disso, afinal foi o passado que fez de mim o que sou hoje, e as experiências, tanto as negativas como positivas, são o que nos enriquece. 100 posts após a última marca, só posso sentir-me orgulhoso…
… e não me refiro apenas ao blogue. Entre desilusões, cargas excessivas de trabalho e projetos sem luz ao fundo do túnel, o ano de 2015 terminou com um certo sabor agridoce, e 2016, apesar de ter iniciado com algumas reservas e os pés bem assentes na terra, tem-se mostrado muito positivo até à data. Afinal, tudo depende de como abordamos as circunstâncias e do respeito que temos por nós próprios. Depositar a energia certa e viver o dia com tudo o que ele tem de bom, é o segredo para sermos felizes hoje, e não esperarmos por amanhã. Conhecer novas pessoas também ajuda.
Sem título 2As aventuras em Zallar continuam. Sei que estou em falta para com os fãs que já mereciam ter o segundo volume nas mãos, mas as coisas com a Chiado Editora não foram fáceis e preciso de mais uns meses para terem novidades nesse sentido. Entretanto, já estou a escrever o quinto volume e pretendo encerrar a escrita da saga por altura do verão. Tento sempre alterar as minhas rotinas, e escrever tem-se tornado um hobbie cada vez mais prazeroso. Ultimamente, tenho-me sentido mais inspirado a escrever num caderno, em lugares mais isolados – como por exemplo numa esplanada – e passar posteriormente a computador.
Há semanas mais loucas, em que os trabalhos no Clube e no Hospital não me dão energia para escrever, mas mesmo aí ninguém me rouba o prazer da leitura (nem de partilhar as minhas opiniões convosco aqui no blogue). Ultimamente ando mais virado para as bandas-desenhadas, mas continuo a ler bons livros. Terminar a saga Mistborn foi uma experiência muito boa, acreditem; ao contrário de outros autores como Scott Lynch ou George R. R. Martin, não vejo Brandon Sanderson como uma inspiração, porque tenho para mim a arrogância de que sei fazer melhor do que ele, mas apreciei realmente o fim da série.

The Walking Dead tem sido a minha febre do momento, tanto em série de tv como em bandas-desenhadas, e é já uma das minhas grandes paixões da ficção, a par de Dragon Ball e Gentleman Bastards. Ler bandas-desenhadas está a permitir-me ser mais assíduo aqui no blogue, e apesar dos meus dias serem cheios, tenho sempre um bocadinho para vir ao vosso encontro. Muito obrigado pelo feedback positivo que vou recebendo, não só ao livro como ao blogue, e estou desejoso de continuar a montar peça a peça este castelo ao vosso lado. Obrigado a todos!!!

Anúncios

Comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s